Marieta (Rhinodoras dorbignyi)

 
Rhinodoras dorbignyi (Kner, 1855)

Ficha Técnica

Ordem: Siluriformes — Família: Doradidae (Doradídeos)

Nomes Comuns: Marieta, Armado, Abotoado

Distribuição: América do Sul, bacia do rio Paraná

Tamanho Adulto: 50 cm *

Expectativa de Vida: desconhecido

Comportamento: pacífico

pH: 6.5 a 7.0 — Dureza: < 10

Temperatura: 20°C a 25°C

Distribuição e habitat

Distribuído na bacia do rio Paraná na Argentina, Brasil, Bolívia, Paraguai e Uruguai.

Adultos ocorrem principalmente em águas tranquilas em lagos e pequenos riachos, preferindo áreas pouco profundas e pantanosas com substrato macio e arenoso. Ocasionalmente podem ser encontrados em rios lóticos e em corredeiras.

Descrição

Seu tamanho adulto é uma incógnita. Segundo o FishBase, esta espécie pode chegar a 50 cm, enquanto outras literaturas indicam que seu tamanho adulto varia entre 20 e 30 cm.

É a espécie que apresenta coloração mais chamativa dentro de sua família.

Criação em Aquário

Aquário com dimensões mínimas de 150 cm de comprimento e 50 cm de largura desejável.

Substrato preferencialmente arenoso e macio. Formar refúgios para se esconder, uma vez que possui hábito noturno.

Comportamento

Como a maioria dos Doradídeos, é uma espécie bastante pacífica que pode ser mantido em aquário comunitário, desde que os peixes não sejam pequenos o suficiente para serem comidos.

Reprodução

Ovíparo. Sua reprodução é desconhecida.

Dimorfismo Sexual

Desconhecido.

Alimentação

Onívoro, essencialmente insetívoro. Sua dieta se baseia principalmente em larvas de dípteros. Analises estomacal indicaram que além destas larvas, foram encontrados mosquitos Chironomidae e Trichoptera, além de insetos aquáticos, moluscos, Ephemeroptera e matéria vegetal.

Possui hábito noturno sendo conveniente alimentá-los neste período. Em aquário aceitará sem dificuldades alimentos secos específicos para peixes de fundo e alimentos vivos.

Etimologia: Rhinodoras;  rhino (grego) = nariz + dora (grego) = pele

Sinônimos: Doras dorbignyi, Doras nebulosus

Referências

  1. Sabaj, M.H. and C.J. Ferraris Jr., 2003. Doradidae (Thorny catfishes). p. 456-469. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  2. Ecologia alimentar de Rhinodoras dorbignyi (Kner, 1855) (Siluriformes: Doradidae) no rio Paranapanema, SP, Brasil. Felipe Pontieri de Lima, André Batista Nobile, Diogo Freitas Souza, Edmir Daniel Carvalho, Ana Paula Vidotto-Magnoni

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Junho/2017
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 756 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*