Mono (Monodactylus argenteus)

Monodactylus argenteus (Linnaeus, 1758)
Espécime juvenil em aquário

Ficha Técnica

Ordem: Perciformes — Família: Monodactylidae (Monodactylídeos)

Nomes Comuns: Monodactylus — Inglês: Silver moony

Distribuição: Ásia, África e Austrália

Tamanho Adulto: 27 cm (comum: 15 cm)

Expectativa de Vida: 7 anos +

Comportamento: pacífico

pH: 7.4 a 8.4 — Dureza: 20 a 30

Temperatura: 24°C a 28°C

Distribuição e habitat

Distribuído no Mar Vermelho e África Oriental, incluindo o Golfo Pérsico até Samoa, sul da Nova Caledônia e Austrália, além do delta do rio Mekong.

Esta espécie ocorre em uma grande variedade de ambientes, incluindo o oceano aberto, água salobra e rios de água doce. Na Austrália, pode ser encontrado em portos e estuários ao redor dos pilares.

Espécime adulto

Descrição

Adultos apresentam coloração prateada e nadadeira dorsal amarela. Juvenis são mais coloridos com a nadadeira dorsal de cor amarela em quase toda sua totalidade, além de apresentar duas listras verticais pretas sobre a cabeça. Possuem olhos grandes e boca pequena.

Sua capacidade de sobreviver em uma ampla gama de salinidade o torna um organismo modelo no estudo da tolerância à salinidade. Os juvenis são especialmente tolerantes às mudanças de salinidade, mantendo facilmente a homeostase em ambientes variáveis, como os estuários.

Criação em Aquário

Aquário com dimensões mínimas de 150 cm de comprimento e 50 cm de largura desejável.

Espécie bastante adaptável, podendo ser mantido em água doce, salobra ou marinha.

Embora atinjam tamanho mediano, são agitados e excelente nadadores demandando de um aquário com bastante espaço horizontal.

A medida que se tornam adultos é preferível mantê-los em condições de água salobra.

Comportamento

De comportamento pacífico, porém bastante agitado. Deve ser mantido preferencialmente em cardume com pelo menos seis indivíduos ou mais.

Pode ser mantido em aquário comunitário com peixes que toleram as mesmas condições.

Cardume de espécimes adultos em ambiente marinho

Reprodução

Ovíparo. Reprodução desconhecida em cativeiro. Acredita-se que este peixe migre para o mar para se reproduzir.

Dimorfismo Sexual

Não possui.

Alimentação

Essencialmente detritívoro e planctívoro. Em seu ambiente natural se alimenta detritos, camarões e zooplancton.

Em aquário deverá ser fornecido regularmente alimentos de origem vegetal como Spirulina, ervilhas, alface, além de origem animal como pequenos camarões. Aceitam alimentos secos sem dificuldades.

Etimologia: monos (Grego) = um + daktylos (grego) = dedo

Sinônimos: Psettus rhombeus, Scomber rhombeus, Psettus argenteus, Chaetodon argenteus

Referências

  1. Alcala, A.C. and A.S. Cabanban, 1986. Fry and larvae of fishes and crustaceans in coastal marine waters of Negros Oriental, Negros Island, Philippines. Silliman
  2.  Allen, G.R. and M.V. Erdmann, 2012. Reef fishes of the East Indies. Perth, Australia: Universitiy of Hawai’i Press, Volumes I-III. Tropical Reef Research.
  3. Allen, G.R. and P.L. Munday, 1994. Kimbe Bay rapid ecological assessment: the coral reefs of Kimbe Bay (West New Britain, Papua New Guinea), Volume 3: Fish diversity of Kimbe Bay. The Nature Conservancy, South Pacific program Office, Auckland, New Zealand.
  4. Gell, F.R. and M.W. Whittington, 2002. Diversity of fishes in seagrass beds in the Quirimba Archipelago, northern Mozambique. Mar. Freshwat. Res. 53:115-121.
  5. Kailola, P.J., 1987. The fishes of Papua New Guinea: a revised and annotated checklist. Vol. II Scorpaenidae to Callionymidae. Research Bulletin No. 41, Research Section, Dept. of Fisheries and Marine Resources, Papua New Guinea.
  6. Zajonz, U., M. Khalaf and F. Krupp, 2000. Coastal fish assemblages of the Socotra Archipelago. p.127-170. In Conservation and sustainable use of biodiversity of Socotra Archipelago: marine habitat, biodiversity and fisheries surveys and management. Progress Report of Phase III. Senckenberg Research Institute and Natural History Museum, Frankfurt.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Janeiro/2018
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 706 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*