Jenynsia onca

 

Jenynsia onca (Lucinda, Reis & Quevedo, 2002)

Foto: imperialtropicals.com

Nome Popular: Não possui

Ordem: Cyprinodontiformes  — Família: Anablepidae

Distribuição: América do Sul, baixo do rio Uruguai no Brasil e Uruguai

Tamanho Adulto: 4.5 cm

Expectativa de Vida: 3 anos

pH: 6.8 a 7.8 — Dureza: —

Temperatura: 18°C a 24°C

Aquário Mínimo: 60 cm comprimento X 30 cm largura — aquário com bastante plantas desejável.

Comportamento & Compatibilidade: De comportamento pacífico podendo ser criado em aquário comunitário, exceto com peixes de natação lenta ou de longas nadadeiras. Mantenha a proporção de duas ou mais fêmeas para cada macho, uma vez que frequentemente os machos procuram as fêmeas para se reproduzirem, podendo estressá-las ao extremo. Um cardume de pelo menos 8 a 10 espécimes desejável.

Alimentação: Onívoro. Em aquário aceitará prontamente alimentos secos e vivos.

Reprodução: Vivíparo, fecundação interna. Período de gestação varia conforme a temperatura. Fêmeas mais novas tendem a produzir menos. Macho irá fertilizar a fêmea utilizando seu gonopódio, onde as larvas nascerão em cerca de 28 dias, neste período se desenvolvem internamente na fêmea e quando expelidos já nascem formados e nadando livremente. Não ocorre cuidado parental.

Dimorfismo Sexual: Machos possuem um gonopódio e são menores do que as fêmeas. Fêmea não apresenta edema entre a abertura urogenital e a base anterior da nadadeira anal.

Biótopo: Pequenos córregos sub-tropicais da América do Sul.

Etimologia: Jenynsia, em homenagem ao naturalista inglês Leonard Jenyns. O termo específico onca refere-se ao padrão de coloração do peixe, em alusão a do felino Onça Pintada (Panthera onca).

Sinônimos:

Informações adicionais: Conhecido a partir do rio Ibicui, um afluente do baixo rio Uruguai. Localidade tipo rio Inhacundá no Rio Grande do Sul (Brasil).

Todos os membros do gênero Jenynsia são diagnosticáveis ​​pela posse de um gonopódio tubular não escalonado formado principalmente pela terceira, sexta e sétimo raios da nadadeira anal, e pela posse de dentes tricúspides.

J. onca distingue-se de seus congêneres pelas seguintes autapomorfias: (1) presença de uma grande expansão convexa nos segmentos distais da metade direita do sexto raio anal de machos adultos; e (2) manchas ovais distintas a escuras circulares confinadas à metade ventral do flanco posterior à nadadeira pélvica, que gradualmente se tornam mais circulares em direção ao perfil ventral.

Foto: Leo van der Meer

Referências:

  1. Lucinda, P.H.F., R.E. Reis and R. Quevedo, 2002. Jenynsia onca, a new species of anablepid fish (Teleostei: Cyprinodontiformes) from southern Brazil and its phylogenetic position. Ichthyol. Explor. Freshwat.
  2. Eguren, G. and L. Carrasco-Letelier, 2017. Length-weight relationships of 15 fish species from the Lower Uruguay freshwater ecoregion. J. Appl. Ichthyol.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Julho/2019
Colaboradores (collaboration): —

Sobre Edson Rechi 759 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*