Peixe Borboleta de Rio / Prateada (Gasteropelecus sternicla)

Gasteropelecus sternicla Gasteropelecus sternicla2

Classificação

Gasteropelecus sternicla (Linnaeus, 1758)

Classe: Actinopterygii   Ordem: Characiformes  FamíliaGasteropelecidae

Nomes comuns: Peixes Borboleta, Borboleta de rio, Borboleta Prateada, Borboleta Prata, Sapopema, Peixe voador, Timbibé — Inglês: River hatchetfish, Silver hatchetfish , Common hatchetfish

Grupo Aquário: Peixes Borboletas

Ambiente & parâmetros da água

Água doce • pH: 5.5 – 7.0 Dureza: 1 – 15 Temperatura: 23°C – 30°C

Em seu ambiente natural é encontrado em águas de fluxo lento com grande abundância de vegetação de superfície.

Tamanho adulto:

4 cm (comum 4 cm) Estimativa de vida: 3 anos

Distribuição

América do Sul; ocorrente na Amazônia peruana, médio do Amazonas, Guianas e Venezuela. Coletado também na Bacia do Paraguai. Encontrado no Brasil, Guiana Francesa, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela.

Gasteropelecus sternicla-map
Mapa por Discover Life

Manutenção em aquário & Comportamento

Aquário com dimensões mínimas de 60 cm X 30 cm X 30 cm (54 litros) requerido. Aquário deverá possuir preferencialmente plantas flutuantes ou altas e fluxo de água moderado. Deve-se usar tampas no aquário para evitar fugas, pois esta espécie é um exímio saltador e qualquer brecha não exitará em pular para fora do aquário.

Espécie bastante pacífica e tímida, ideal para aquário comunitário. Permanece a maior parte do tempo imóvel na superfície da água. Trata-se de uma espécie gregária ficando mais ativo e confortável se mantido em pelo menos 8 espécimes ou mais.

Alimentação

Onívoro (essencialmente insetívoro), em seu ambiente natural alimenta-se principalmente insetos como artrópodes, formigas, Hymenoptera (vespas, abelhas), coleoptera (besouros), dipteros (moscas e afins), entre outros . Em cativeiro aceitará alimentos secos e vivos prontamente.

Reprodução e dimorfismo sexual

Ovíparo. Deposita seus ovos em raízes de plantas flutuantes para protegê-los de predadores. Alevinos eclodem cerca de 30h e nadam livremente em até 5 dias. Pais não cuidam da prole.

A fêmea é um pouco maior que o macho e seu corpo, mais saliente, especialmente, na época de reprodução, quando possui ovos em seu interior.

Galeria de imagens

Gasteropelecus sternicla4 Gasteropelecus sternicla3

Descrição

Seu nome popular é devido apresentar corpo semelhante a borboleta. Apresenta nadadeiras peitorais bastante musculosas podendo saltar em busca de insetos que sobrevoam a superfície da água. Encontrado comumente em grande número. Conhecido também como Peixe Machado devido o formato de seu corpo ser similar a ferramente de mesmo nome.

O nome Borboleta é comumente utilizado para designar todas espécies do gênero Gasteropelecus. Atualmente existem três espécies descritas neste gênero: Gasteropelecus sternicla, Gasteropelecus levis e Gasteropelecus maculatus. Todas estas espécies são bem semelhantes em sua aparência, sendo muitas vezes confundido.

Gasteropelecus sternicla comumente é confundido com Gasteropelecus levis e ambas são rotuladas por aquaristas como Borboleta Prateada. Espécies do gênero Thoracocharax também são conhecidos pelo nome comum de Borboleta Prata/Prateada, mas diferem de membros do gênero Gasteropelecus por apresentarem tamanho superior quando adulto. Existe ainda outras espécies do gênero Carnegiella que também são conhecidos como Peixe Borboleta, mas diferem de espécies do gênero Gasteropelecus através de sua coloração.

Esta espécie passa quase todo o seu tempo na superfície da água, embora, às vezes, recua para meio da água se ameaçado ou quando vai se alimentar. Semelhança a outras borboletas de água doce, é conhecido pela sua capacidade de pular grandes distâncias. Este comportamento é usado tanto para capturar insetos voadores e para escapar dos predadores potenciais.

Ao contrário dos peixes voadores marinhos, o Peixe Borboleta não paira no ar, mas bate freneticamente as nadadeiras.

Sinônimos: Gasteropelecus sternicla morae, Gasteropelecus sternicla marowini, Gasteropelecus coronatus, Gasteropelecus argenteus, Salmo gasteropelecus, Clupea sternicla

Etimologia: Gasteropelecus: Grego, gaster = estômago + Latino, pelecus = machado

Referências

  1. Weitzman, S.H. and L. Palmer, 2003. Gasteropelecidae (Freshwater hatchetfishes). p. 101-103. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  2. Pereira, R., 1982. Peixes de nossa terra. Livraria Nobel, Sao Paulo, Brazil. 129 p.
  3. Boujard, T., M. Pascal, F.J. Meunier and P.-Y. Le Bail, 1997. Poissons de Guyane. Guide écologique de l’Approuague et de la réserve des Nouragues. Institut National de la Recherche Agronomique, Paris, 219 p.
  4. Robins, C.R., R.M. Bailey, C.E. Bond, J.R. Brooker, E.A. Lachner, R.N. Lea and W.B. Scott, 1991. World fishes important to North Americans. Exclusive of species from the continental waters of the United States and Canada. Am. Fish. Soc. Spec. Publ. (21):243 p.
  5. Mills, D. and G. Vevers, 1989. The Tetra encyclopedia of freshwater tropical aquarium fishes. Tetra Press, New Jersey. 208 p.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Janeiro/2015
Colaboradores (collaboration): –

 

Sobre Edson Rechi 636 Artigos

Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*