Peixe Faca Africano – Xenomystus nigri

 

Xenomystus-nigri

Nome Popular: Peixe Faca Africano, Peixe Fraca Negro — Inglês: African knifefish, False featherback

Ordem: Osteoglossiformes — Família: Notopteridae

Distribuição: África, amplamente distribuído na África Tropical, bacias do Nilo, Chade, Níger e Congo Ogowe. Também distribuído em rios costeiros em Serra Leoa, Libéria, Togo, Benin e Camarões.

Comportamento: Pacífico e predador, podendo se tornar territorial quando adulto.

Tamanho Adulto: 30 cm (comum: 20 cm)

Expectativa de Vida: desconhecido

pH: 6.0 a 7.6

Dureza: 1 a 20

Temperatura: 23°C a 28°C

Aquário Mínimo: 100 cm X 40 cm X 50 cm (200L)

Alimentação: Carnívoro, em seu ambiente natural se alimenta de vermes, crustáceos, insetos e caramujos. Em cativeiro aceitará prontamente alimentos secos e vivos.

Reprodução: Ovíparo, durante fase reprodutiva produzem sons similares a latidos durante cortejo e desova. Depositam ovos em superfície plana que eclodirão em cerca de 10 dias. Macho protegerá ovos e alevinos por alguns dias.

Dimorfismo Sexual: Difícil, exceto quando fêmea está cheia de ovos onde apresenta região ventral mais roliça.

Biótopo: ocorre em águas estagnadas em meio a densa vegetação.

Informações adicionais: Apresenta o ventre achatado e alongado na lateral, ganhando aparência de uma lâmina de faca. A sua vesícula natatória é especialmente adaptado para agir como um órgão acessório de respiração de forma semelhante ao Polypterus. Ele deve subir à superfície para tomar um gole de ar periodicamente, muitas vezes emitindo sons, esta característica lhe permite respirar ar atmosférico podendo sobreviver em águas estagnadas e com pouco índice de oxigênio dissolvido.

Muitas vezes é confundido com o Peixe Faca Asiático (Notopterus notopterus), mas podem ser distinguido facilmente devido a presença da nadadeira dorsal em seu primo asiático, ausente em Xenomystus nigri. Como outros membros da família Notopteridae, esta espécie difere dos Facas Gymnotiformes (sul americanos) apresentando nadadeira anal e caudal fundidas ao longo da parte inferior de seu corpo.

Sua boca é grande, e ele também possui um par de ‘‘bigodinhos,’’ que ficam próximos a sua boca, usados na hora de caçar. O peixe-faca, quando não está escondido em algum lugar, gasta muito do seu tempo nadando de cabeça para baixo com seus ‘‘bigodes’’ próximos do solo aquático, combinando com a boa visão, torna-se uma boa tática para achar alimento.

Manter o aquário bem tampado, uma vez que é comum a espécie saltar para fora, além de tocas (cavernas) onde possa se refugiar e passar a maior parte de seu tempo.Deve-se observar que peixes facas são sensíveis a medicamentos, devendo ser reduzido para metade da dosagem recomendada em qualquer tipo de tratamento, assim como evitar o uso de sal.

Xenomystus-nigri3 Xenomystus-nigri2

Referências:

  1. Robins, C.R., R.M. Bailey, C.E. Bond, J.R. Brooker, E.A. Lachner, R.N. Lea and W.B. Scott, 1991. World fishes important to North Americans. Exclusive of species from the continental waters of the United States and Canada. Am. Fish. Soc. Spec. Publ. (21):243 p.
  2. Hardy, J.D., 1993. NODC taxonomic code links biology and computerized data processing. Earth System Monitor 4(2):1-2.
  3. Romero, P., 2002. An etymological dictionary of taxonomy. Madrid, unpublished.
  4. Roberts, T.R., 1992. Systematic revision of the old world freshwater fish family Notopteridae. Ichthyol. Explor. Freshwaters 2(4):361-383.
  5. Mills, D. and G. Vevers, 1989. The Tetra encyclopedia of freshwater tropical aquarium fishes. Tetra Press, New Jersey. 208 p.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Agosto/2015
Colaboradores (collaboration): –

 

Sobre Edson Rechi 769 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

3 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*