Tratamento de troncos

Autor: Paulo Zuchetti

Em virtude da montagem do meu próximo aquário que será de peixes discos com layout de troncos, resolvi fazer a coleta dos mesmos e também fazer o tratamento para que fiquem livres de pragas e para que não soltem mais tanino (responsável por deixar a água amarelada) depois de tratado.

Existem alguns procedimentos para o tratamento e você poderá seguir qualquer um deles que com certeza chegará a um resultado satisfatório.

Vale lembrar que o tronco de aroeira é preferível, por se tratar de uma espécie vegetal que mais “agüenta” a submersão em água sem apodrecer, se despedaçar, soltar detritos etc. É muito resistente à água, se bem tratada.

Se não conseguir a aroeira poderá utilizar troncos de Ipê, Goiabeira, Figueira e etc., Geralmente as que tenham a madeira densa e pesada.

Tratar troncos não é um bicho de sete cabeças. Mas não é apenas mergulhá-los em um recipiente com água e trocar algumas vezes. Dá certo trabalho, mas vale à pena e será feito uma só vez, então compensa muito.

Esse procedimento garantirá a cristalinidade d’água do seu aquário e isso por si só já é muito bom.

Caso você queime alguma etapa o resultado será que seu tronco irá amarelar a água, pela liberação de ácidos, taninos e detritos. Então siga corretamente o procedimento.

Segue uma lista dos melhores tratamentos:

Tratamento com cloro ativado.

– O tronco deve ser submerso em recipiente com volume suficiente para cobri-lo totalmente, adicionando durante sete dias um ml de cloro ativo para cada dez litros d’água;

– Troque á água e deixe o tronco descansar por mais sete dias, para que o cloro em excesso seja totalmente removido;

– Caso seja possível, adicione água quente sobre o tronco, para eliminar agentes resistentes ao cloro.

Tempo para o tratamento: dezoito dias

Tratamento com sal grosso.

– O tronco deve ser submerso em recipiente com volume suficiente para cobri-lo, adicionando quatro colheres de chá para cada litro de água;

– Completar a água do recipiente para manter o tronco sempre submerso.

Tempo para o tratamento é de vinte e cinco dias, neste prazo o tronco irá deixar de tingir a água.

Tratamento com imersão em água de rua (rede de distribuição).

– O tronco deve ser submerso em recipiente com volume suficiente para cobri-lo, com água da rede distribuidora (torneira);

– Trocar a água a cada três ou quatro dias.

Tempo para o tratamento é de trinta e cinco dias, neste prazo o tronco irá deixar de tingir a água.

Tratamento com imersão em água quente

– O tronco deve ser submerso em recipiente com volume suficiente para cobri-lo;

– Despejar água fervente sobre o tronco e deixar descansar;

– Trocar a água a cada três ou quatro dias.

Tempo para o tratamento é de vinte e oito dias, neste prazo o tronco irá deixar de tingir a água.

Tratamento com cloro, sal grosso e imersão em água quente.

– O tronco deve ser submerso em recipiente com volume suficiente para cobri-lo, adicionando 1 litro de cloro para cada 2 litros de água, deixando-o em repouso durante vinte e quatro horas;

– Colocar o tronco em outro recipiente para que a água possa ser aquecida ao ponto de ebulição (100°C) durante quinze minutos e deixe descansar por vinte e quatro horas;
– No terceiro dia adicionar 200 g de sal grosso à água a ser fervida, conforme o item acima;

– Troque a água diariamente e repita o item 2 até a água se apresentar limpa.

Tempo para o tratamento é de sete dias, neste prazo o tronco irá deixar de tingir a água.

Hoje, 16-09-12, coletei alguns danadinhos na região de ITU, todos já de árvores cortadas algumas até queimadas.

Coletando…

t1

Esse é o resultado final da coleta.

t2

Alguns dos exemplares não serão utilizados. Os que têm mais chances são esses:

Obs. Coloquei uma garrafa de Coca pra você ter ideia do tamanho.

t3

Esse tronco é bem bonito, já não tinha nada de casca vai ser só colocar de molho.

t4

Acho que vou cortar esse bem abaixo de onde começa a forquilha.

t5

Na verdade essa é uma raiz e não um tronco, ela não foi cortada e sim quebrada com a força da árvore caindo ao chão, acho que vou só passar a serra para acertar o corte na base.

t6

Esse é o pedaço que resultou do corte que dei na primeira foto “Coletando”, não sei se vai dar certo por que está todo queimado. Sei lá vamos ver!

Agora é limpeza, como os troncos eram de árvores mortas, estão bem secos, então vou limpá-los com uma faca raspando as cascas.

Veja essa foto das cascas que estou falando.

t7

Hoje, 19/09/12, depois de limpar bem e tirar todas as cascas possíveis dei uma lavada com escova e água da torneira, coloquei na barrica água e sal e vai ficar de molho por algum tempo.

t8

t9

Hoje, 03-10-12 após 14 dias debaixo d’ água com sal e cloro retirei os troncos da barrica e dei uma bela escovada.

t10

Separei uns de aroeira que estavam soltando tinta e coloquei numa bacia para tratamento.

t11

Os outros voltaram para a barrica com água nova, sal e cloro só que desta vez estão de ponta cabeça para submergir as partes que ficaram emersas anteriormente.

Hoje, 08-10-12, troquei a água da barrica, tirando a de sal com cloro e colocando água quente, não foi fervendo por que não dava, mas foi bem quente. Vou fazer essa troca umas duas vezes ao dia durante uns cinco dias.

Alguns pedaços pequenos eu estou fervendo em panelas. Tomara que a tinta não grude nas na mesma senão serei frito pela minha esposa nelas.

t12

Hoje, 13-10-12, finalmente cheguei à final do tratamento e todos os troncos foram parar no telhado para secarem ao sol.

t13

Sobre Aquarismo Paulista 122 Artigos
Visamos o fortalecimento dos amantes deste hobby, para que possamos promover a divulgação do aquarismo responsável através de nosso grupo no Facebook e site, além de promover encontros e eventos relacionados. O foco do grupo Aquarismo Paulista é abranger todas as vertentes do aquarismo e aquaristas de todos os níveis.