Abotoado, Armau (Pterodoras granulosus)

 
Pterodoras granulosus (Valenciennes, 1821)

Ficha Técnica

Ordem: Siluriformes — Família: Doradidae (Doradídeos)

Nomes Comuns: Abotoado, Armau — Inglês: Granulated catfish

Distribuição: América do Sul, principalmente nas bacias do rio Amazonas e Paraná

Tamanho Adulto: 70 cm

Expectativa de Vida: desconhecido, supõe-se 10 anos +

Comportamento: pacífico

pH: 6.4 a 7.6 — Dureza: desconhecido

Temperatura: 20°C a 28°C

Distribuição e habitat

Distribuído nas Bacias Amazônica, Tocantins-Araguaia, Paraná, Paraguai e Uruguai, além de drenagens costeiras na Guiana e Suriname. Encontrado em diversos rios brasileiros, principalmente em rios dos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

Frequenta poços de grande profundidade onde rastreia o fundo atrás de comida.

Pterodoras granulosus, foto cortesia de Segrest Farms (USA)

Descrição

O peixe Abotoado é um peixe de couro. Seu corpo é coberto por uma fileira de placas ósseas. Possui coloração cinza escura uniforme, cabeça estreita, focinho longo, boca inferior, olhos grandes e presença de barbilhões curtos. Sua boca inferior e sem dentes, bem como focinho longo servem para conseguir os alimentos.

O padrão de cores deste peixe-gato varia de acordo com sua idade e com a localização de onde são originários. Estes peixes são geralmente uma cor marrom enlameada com alguns pontos mais escuros sobre o corpo e as barbatanas. À medida que esses peixes amadurecem, a mancha tende a desaparecer. Os espécimes juvenis tendem a não ser tão escuros quanto os peixes adultos.

Conhecido no Brasil por inúmeros nomes comuns como Abotoado, Armado, Armado comum, Armau, Bacu, Bacu Barriga Mole, Bacu Liso, Bacu Pedra, Barriga de Folha,  Botoado, Cuiú cuiú, Mandi Capeta e Vacu Pedra.

Criação em Aquário

Aquário com dimensões mínimas de 200 cm de comprimento e 60 cm de largura desejável.

O substrato deverá ser preferencialmente arenoso e macio. Por ser uma espécie sedentária e de hábito noturno, a presença de raízes e outros objetos formando refúgios serão importante para abrigá-lo. Embora atinja um tamanho razoável, possui hábito sedentário, não exigindo grande espaço.

Comportamento

É um peixe pacífico que deverá ser mantido com peixes de grande porte. Apesar de seu grande porte não é considerado um grande predador, porém eventualmente poderá comer peixes menores.

Pterodoras-granulosus (esquerda) e Megalodoras uranoscopus

Reprodução

Ovíparo. Sua reprodução em cativeiro é desconhecida, sabe-se que desovam em ninhos no fundo do rio ou em barrancos. Não ocorre cuidado parental.

Dimorfismo Sexual

Não há dimorfismo sexual evidente. Observações de aquaristas indicam que as fêmeas tendem a ser mais robustas e esbeltas que os machos.

Alimentação

Onívoro, é um predador noturno que se alimenta principalmente de moluscos, camarões e frutos como Coqueiro Javari (Astrocaryum javary), secundariamente larvas de insetos, sementes (durante a cheia), peixes pequenos e detritos do fundo dos rios.

Em aquário aceitará prontamente alimentos secos e vivos.

Espécime adulto

Etimologia: Pterodoras: do grego, pteron = asa, nadadeira + grego, doras = pele. Em referência a sua nadadeira caudal bifurcada.

Granulosus; Nomeado devido o aspecto de sua pele com grânulos.

SinônimosDoras granulosus, Doras maculatus, Doras murica, Doras laevigatulus, Megalodoras laevigatulus, Doras lentiginosus, Pterodoras lentiginosus, Silurus armatus, Silurus duodecimradiatus e Parapterodoras paranensis.

Referências

  1. Sabaj, M.H. and C.J. Ferraris Jr., 2003. Doradidae (Thorny catfishes). p. 456-469. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  2. Goulding, M., 1981. Man and fisheries on an Amazon frontier. In H.J. Dumont (ed.). Developments in Hydrobiology, v. 4. The Hague: W. Tunk Publishers.
  3. Peixes de água doce do Brasil – Abotoado – CPT Cursos Técnicos

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Junho/2017
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 757 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

1 Comentário

  1. Gostei muito de conhecer sobre i abotoado, encontrei um pequenininho entre plantas no rio Guapore, meu neto o adotou, ele e cheio de listras, muito bonito, estou preocupada com a alimentação, tenho colocado no aquário algumas minhoquinhas.

     

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*