Molinésia Mexicana (Poecilia mexicana)

 

Poecilia mexicana

Nome Popular: Molinésia Mexicana — Inglês: Shortfin molly, Atlantic molly

Ordem: Cyprinodontiformes — Família: Poeciliidae (Poecilídeos)

Distribuição: América do Norte e América Central. Rio San Juan, do México até Guatemala.

Comportamento: Pacífico, comunitário

Tamanho Adulto: 12 cm (comum: 5 cm)

Expectativa de Vida: 3 anos

pH: 7.0 a 7.6

Dureza: 10-20

Temperatura: 24°C a 28°C

Aquário Mínimo: 80 cm X 30 cm X 40 cm (96L)

Alimentação: Herbívoro, em estado selvagem consome algas, diatomáceas, matéria vegetal e matérial em decomposição. Em cativeiro aceitará prontamente alimentos secos, devendo ser fornecido alimentos de origem vegetal regularmente.

Reprodução: Vivíparo, fecundação interna. Fêmeas podem armazenar espermatozóides dos machos para fertilizar mais tarde e produzir alevinos parceladamente em curtos períodos. Após o período de gestação, que pode variar entre duas e três semanas, fêmeas dão a luz a filhotes já formados (cerca de 30 a 80). Não ocorre cuidado parental. São extremamente prolíferos e se reproduzem facilmente.

Dimorfismo Sexual: Machos são mais coloridos e apresenta borda de cor amarela na extremidade de sua nadadeira caudal, além da nadadeira anal modificada em gonopódio. Fêmeas são mais roliças.

Biótopo: Ocorre em águas termais e seus afluentes, canais e valas. Algumas populações vivem exclusivamente em cavernas. Podem ser encontrados em condições de água salobra.

Informações adicionaisPoecilia mexicana muitas vezes é referido como Molinésia de Nadadeira Curta, devido sua nadadeira dorsal ser menor comparado com outras Molinésias, ou Molinésia do Atlântico devido a localidade de sua distribuição. É um peixe pouco comum no aquarismo, mas indiscutivelmente um dos Poecilídeos mais bonitos, apresentando uma borda amarela notável em sua nadadeira caudal.

Pesquisas sugerem que P. mexicana originou P. formosa, e que foi o primeiro vertebrado comprovado a utilizar a reprodução totalmente unissexual (diplóide).

Poecilia mexicana2

Referências:

  1. Robins, C.R., R.M. Bailey, C.E. Bond, J.R. Brooker, E.A. Lachner, R.N. Lea and W.B. Scott, 1991. World fishes important to North Americans. Exclusive of species from the continental waters of the United States and Canada. Am. Fish. Soc. Spec. Publ. (21):243 p.
  2. Bussing, W.A., 1998. Peces de las aguas continentales de Costa Rica [Freshwater fishes of Costa Rica]. 2nd Ed. San José Costa Rica: Editorial de la Universidad de Costa Rica. 468 p.
  3. Hugg, D.O., 1996. MAPFISH georeferenced mapping database. Freshwater and estuarine fishes of North America. Life Science Software. Dennis O. and Steven Hugg, 1278 Turkey Point Road, Edgewater, Maryland, USA.
  4. Proudlove, G.S., 1997. A synopsis of the hypogean fishes of the world. p. 351-354. In Proceedings of the 12th International Congress of Speleology, La Chaux de Fonds, Switzerland. vol. 3.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Julho/2015
Colaboradores (collaboration): –

 

Sobre Edson Rechi 769 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*