Ciclídeo de Madagascar (Paratilapia polleni)

Paratilapia polleni (Bleeker, 1868)

Nome Popular: Ciclídeo de Madagascar — Inglês: Madagascar Cichlid

Ordem: Perciformes — Família: Cichlidae (Ciclídeos)

Distribuição: África, endêmico do Madagascar

Tamanho Adulto: 28 cm

Expectativa de Vida: 8 anos

pH: 6.6 a 8.0 — Dureza: >10

Temperatura: 19°C a 28°C

Aquário Mínimo: 100 cm X 40 cm X 50 cm (200 L) – o aquário deve conter muitos esconderijos formado por raízes, troncos ou qualquer outro objeto. Plantas não são essenciais, mas serão apreciadas pelos peixes. Substrato preferencialmente arenoso.

ComportamentoRelativamente pacífico com outras espécies, tornado-se agressivo com indivíduos de mesma espécie ou em época de reprodução.

Compatibilidade: Pode ser mantido com inúmeros outros peixes, incluindo outras espécies de ciclídeos do Lago Rift ou Centro Americanos. Peixes pequenos serão comidos. Ele é geralmente agressivo em relação a coespecíficos e deve ser mantido apenas como um único espécime ou par, amenos que um enorme aquário esteja disponível.

Alimentação: Onívoro, em seu ambiente natural se alimenta basicamente de pequenos peixes. Em aquário aceitará granulados, flocos, comida congelada para ciclídeos, têm um apetite voraz e comportamento predador especialmente no período noturno.

Reprodução: Ovíparo, fêmea desova no substrato ou superfícies planas de troncos, folhas ou rochas. Após a postura, que pode chegar a 1.000 ovos, a fêmea encarrega-se da oxigenação enquanto o macho defende o território. Ovos eclodem em cerca de 48 horas e os alevinos estarão nadando livremente em até sete dias. Pais cuidam do progênie por até quatro semanas.

Dimorfismo Sexual: macho é maior do que a fêmea e desenvolve nadadeira dorsal e anal mais longas. Eles também tendem a ter a forma da cabeça mais arredondada.

Biótopo: Um dos ciclídeos mais adaptáveis. Existem registros de sua ocorrência em altitudes de 1.500m com temperatura da água em 12°C e fontes termais que podem chegar a 40°C. Normalmente a química destas águas é mito alcalina, mas também são encontrados em águas negras levemente ácidas e eventualmente em ambiente de água salobra.

Etimologia: Paratilapia, do grego par = lado, perto + Bechuanas, dialeto nativo africano = peixe

Sinônimos: Paracara typus, Paratilapia bleekeri

Informações adicionais: Conhecido localmente como “Marakely”, que significa “peixe preto”. Assim como acontece com a maioria das espécies de ciclídeos do Madagascar, é altamente ameaçado na natureza devido à destruição de seu habitat e a concorrência de espécies introduzidas.

Esta espécie é muito sensível a mudanças nos parâmetros da água e grandes mudanças de água devem ser evitadas. Recomendamos trocar pequenas quantidades regularmente e com frequência. Também é particularmente suscetível ao Oodinium, mais conhecido como doença de veludo.

Referências:

  1. Maréchal, C. and M. Poll, 1991. Paratilapia. p. 358. In J. Daget, J.-P. Gosse, G.G. Teugels and D.F.E. Thys van den Audenaerde (eds.) Check-list of the freshwater fishes of Africa (CLOFFA). ISNB, Brussels; MRAC, Tervuren; and ORSTOM, Paris. Vol. 4.
  2. Baensch, H.A. and R. Riehl, 1995. Aquarien Atlas. Band 4. Mergus Verlag GmbH, Verlag für Natur-und Heimtierkunde, Melle, Germany. 864 p.
  3. Paratilapia polleni por Vanessa Sarmento, site ciclideos.com

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Junho/2018
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 594 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*