Estudo aponta que tilápia se adaptou ao mar e está se espalhando pela costa do Brasil

Estudiosos de onze instituições brasileiras fizeram descobertas importantes sobre o peixe mais consumido no país

 

Uma pesquisa realizada por estudiosos de 11 instituições brasileiras e publicado na revista científica Aquatic Ecology apontou que uma espécie invasora de água doce está conseguindo se adaptar a ambientes salobros. O animal em questão é a tilápia, o peixe mais consumido no país.

Foto: Department of Land and Natural Resources

De acordo com a publicação, que reúne uma série de registros sobre o assunto, o bicho de origem africana está invadindo os mares no Brasil. Segundo a líder do estudo, Ana Clara Sampaio Franco, da Universidade de Girona na Espanha, observações na costa fluminense serviram como o pontapé inicial para a investigação.

“Surgiram vídeos na internet feitos na região de Arraial do Cabo, no Rio de Janeiro, que mostravam a presença de cardumes de tilápias no mar. Essa é uma região de água muito fria e salina, que sofre a influência de uma corrente oceânica que é profunda e que aflora na costa”, disse a ecóloga ao g1.

O trabalho se deu por mais de um ano. “Nós temos registros que vão desde o Maranhão, até Santa Catarina. Passando por Espírito Santo, São Paulo e pelo Rio de Janeiro. Detectamos que esses casos não eram isolados, o que consideramos preocupante”, explicou Ana Clara.

As equipes chegaram a algumas conclusões sobre como a tilápia pode ter ido parar em um ambiente diferente do seu habitat natural. “As estruturas de criação não são imunes a falhas; por isso, acontecem escapes. Há também descartes de aquicultores equivocados, que soltam essa espécie exótica invasora nos rios”, afirmou a entrevistada.

ESPÉCIE INVASORA

A explicação por trás da adaptação seria explicada pelo fato de que a espécie em questão pertence à família dos ciclídeos, a qual o tucunaré da Amazônia – um dos últimos grupos marinhos a migrarem para a água doce – também faz parte.

“Os ancestrais da tilápia vieram do mar, por isso, a espécie tem capacidade de tolerar algum grau de salinidade”, esclareceu o coordenador da pesquisa, Jean Vitule, do Laboratório de Ecologia e Conservação da Universidade Federal do Paraná.

“A tilápia é uma invasora que pode transferir patógenos e elevar as taxas de eutrofização – surgimento excessivo de organismos como algas e cianobactérias. Ela também compete com espécies nativas por recursos, por alimentos e espaço. A tilápia é um bicho territorialista. Ela pode predar vários organismos, desde peixinhos até camarões, crustáceos e corais. Em último estágio, ela pode causar até a extinção de algumas espécies”, alertou Vitule.

Outra preocupação apontada pelo estudo é a criação de tilápias em água salobra em alguns lugares do mundo, o que traria riscos para os ecossistemas marinhos. O estudo também fez um alerta sobre a necessidade de um controle mais rigoroso sobre a criação de peixes no Brasil.

Fonte: Diário do Nordeste 

Publicado em Outubro/2023

Sobre Edson Rechi 858 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*