Tetra Heliacus (Hyphessobrycon heliacus)

Hyphessobrycon heliacus (Moreira, Landim & Costa, 2002)

Nome Popular: Tetra Heliacus — Inglês: Kitty Tetra

Ordem: Characiformes — Família: Characidae (Caracídeos)

Distribuição: América do Sul, Rio Teles Pires na bacia do alto Tapajós, Brasil

Tamanho Adulto: 2.8 cm

Expectativa de Vida: 3 a 5 anos +

pH: 6.0 a 7.0 — Dureza: < 8

Temperatura: 23°C a 28°C

Aquário Mínimo: 60 cm (comprimento) X 30 cm (largura) desejável — se mostram mais coloridos quando mantidos em aquário densamente plantado. Pode-se adicionar raízes e folhas secas (opcional). Substrato arenoso e escuro realça ainda mais suas cores.

Comportamento & Compatibilidade: Espécie de comportamento pacífico podendo ser mantido em aquário comunitário com peixes de mesmo porte. Peixe gregário, será importante manter em cardume com pelo menos 10 espécimes para que mostrem seu comportamento natural e cores mais realçadas.

Alimentação: Resultados obtidos numa pesquisa demonstram que apresenta hábito alimentar onívoro com tendência a herbivoria com uma dieta diversificada. Análises de conteúdo estomacal indicaram a presença de alga filamentosa, restos vegetal, restos de insetos, resto animal, restos de formiga, restos de artrópodes, vermes, sedimentos, sementes, escamas, espinhos de peixes, insetos, ração, carrapato, larva de insetos, encontrados nos estômagos.

Reprodução: Ovíparo. Desconhecido em aquário, presumivelmente similar a demais pequenos caracídeos com desovas livres em meio a aglomerado de plantas ou substrato, não ocorrendo cuidado parental.

Dimorfismo Sexual: Machos são ligeiramente menores e possuem corpo retilíneo, enquanto fêmeas corpo de forma mais roliça. Machos adultos são mais coloridos.

Biótopo: Foram coletados somente em pequenos córregos lênticos com fundo enlameado com abundância de vegetação submersa.

EtimologiaHyphessobrycon; do grego hyphesson, que significa de menor estatura + grego bryko = morder, mordedor Eliacus, em referência a sua cor dourada brilhante; um adjetivo.

Sinônimos: Não possui.

Informações adicionais: Sua distribuição é conhecida a partir dos 5 afluentes do rio Teles Pires, na bacia do alto rio Tapajós. Localidade do tipo córrego Duas-bocas, afluente do rio Teles Pires, bacia do rio Tapajós, 71,9 km ao norte de Sinop, município de Cláudia, na BR-163 em direção a Santarém, Estado de Mato Grosso.

Foto cedida cordialmente por Howard´s Reef em http://howardsreef.blogspot.com/
Foto cedida cordialmente por Howard´s Reef em http://howardsreef.blogspot.com/

Referências:

  • Moreira, C.R., M.I. Landum and W.J.E.M. Costa, 2002. Hyphessobrycon heliacus a new characid fish (Ostariophysi: Chariciformes) from the Upper Rio Tapajós Basin, Central Brazil. Copeia
  • Romero, P., 2002. An etymological dictionary of taxonomy. Madrid, unpublished.
  • DIETA NATURAL DE Hyphessobrycon heliacus (MOREIRA et al., 2002) (CHARACIFORMES) DO CÓRREGO RIBEIRÃO, MUNICÍPIO DE ALTA FLORESTA, MATO GROSSO – Vanuza Aparecida Martins de Oliveira, Solange Aparecida Arrolho da Silva, Ricardo Claro Ortis, Andréia Aparecida Franco, Reginaldo Carvalho Dos Santos

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Setembro/2018
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 661 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*