Tetra Kaiser (Hyphessobrycon elachys)

 

Hyphessobrycon elachys (Weitzman, 1984)

Nome Popular: Tetra Kaiser

Ordem: Characiformes — Família: Characidae (Caracídeos)

Distribuição: América do Sul, bacia do rio Paraguai

Tamanho Adulto: 2 cm

Expectativa de Vida: 3 a 5 anos +

pH: 6.0 a 7.2 — Dureza: < 8

Temperatura: 23°C a 28°C

Aquário Mínimo: 60 cm (comprimento) X 30 cm (largura) desejável — se mostram mais coloridos quando mantidos em aquário densamente plantado. Pode-se adicionar raízes e folhas secas (opcional). Substrato arenoso e escuro realça ainda mais suas cores.

Comportamento & Compatibilidade: Espécie de comportamento pacífico podendo ser mantido em aquário comunitário com peixes de mesmo porte. Peixe gregário, será importante manter em cardume com pelo menos 10 espécimes para que mostrem seu comportamento natural e cores mais realçadas. Possui comportamento peculiar se fingindo de “morto” em algumas situações, repentinamente começando a rodopiar ou se deitando no fundo do aquário permanecendo imóvel. Depois de pouco tempo volta a nadar normalmente com o cardume.

Alimentação: Onívoro. Sua alimentação natural é desconhecida, supõe-se que sua alimentação seja similar aos pequenos caracídeos como pequenos invertebrados, crustáceos e zoo plâncton. Em cativeiro aceitará prontamente alimentos secos e vivos.

Reprodução: Ovíparo. O macho conduzirá a fêmea liberar os ovos livremente, que serão fecundados e sua maioria irá para o fundo do aquário ou ficará em meio a aglomerado de plantas. Eclodem em até três dias e larvas estarão nadando livremente em até 48h. Pais não exibem cuidado parental.

Dimorfismo Sexual: Machos são maiores e possuem nadadeiras dorsal e pélvica mais compridas e afiladas com suas pontas brancas. Também apresentarem uma espécie de corcova. Fêmeas possuem corpo mais arredondado e o ventre mais volumoso, as pontas das nadadeiras também são brancas mas com menor intensidade.

Biótopo: Ocorrem principalmente em afluentes lentos, braços laterais e lagos, frequentemente associados a estruturas de madeira submersa como raízes, galhos caídos, vegetação ribeirinha ou plantas aquáticas.

Etimologia: Hyphessobrycon; do grego hyphesson, que significa de menor estatura + grego bryko = morder, mordedor.

Sinônimos: não possui.

Informações adicionais: Distribuído na bacia do rio Paraguai na Argentina, Brasil e Paraguai.

Não é uma espécie muito valorizada no aquarismo devido a ausência de cores chamativas, mas que são compensados pelo seu tamanho diminuto e seu corpo coberto de escamas reflexivas que lhe confere um brilho prateado bem intenso.

Referências:

  • Oyakawa, O.T., 1998. Catalogo dos tipos de peixes recentes do Museu de Zoologia da USP. I. Characiformes (Teleostei: Ostariophysi). Pap. Avuls. Zool.
  • Britski, H.A., K.Z. de S> de Silimon and B.S. Lopes, 2007. Peixes do Pantanal: manual de identificaçäo, 2 ed. re. ampl. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica
  • Lima, F.C.T., L.R. Malabarba, P.A. Buckup, J.F. Pezzi da Silva, R.P. Vari, A. Harold, R. Benine, O.T. Oyakawa, C.S. Pavanelli, N.A. Menezes, C.A.S. Lucena, M.C.S.L. Malabarba, Z.M.S. Lucena, R.E. Reis, F. Langeani, C. Moreira et al. …, 2003. Genera Incertae Sedis in Characidae. p. 106-168. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  • Hyphessobrycon elachys em Sekai Scaping por Chantal Wagner

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Agosto/2018
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 759 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*