Tetra Amarelo (Hyphessobrycon bifasciatus)

 

Hyphessobrycon bifasciatus (Ellis, 1911)

Espécime coletado em Itirapina, São Paulo (Brasil)

Nome Popular: Tetra Amarelo, Lambari — Inglês: Yellow tetra

Ordem: Characiformes — Família: Characidae (Caracídeos)

Distribuição: América do Sul, alto da bacia do Rio Paraná

Expectativa de Vida: 3 a 5 anos +

pH: 5.8 a 7.6 — Dureza: 10 a 30

Temperatura: 20°C a 28°C

Aquário Mínimo: 60 cm (comprimento) X 30 cm (largura) desejável — se mostram mais coloridos quando mantidos em aquário densamente plantado. Pode-se adicionar raízes e folhas secas (opcional). Substrato arenoso preferencialmente.

Comportamento & Compatibilidade: É uma espécie gregária que forma hierarquia livre, com machos rivais disputando continuamente entre eles a atenção das fêmeas e posição hierárquica dentro do cardume. Será importante manter em cardume com pelo menos 10 espécimes para que mostrem seu comportamento natural e cores mais realçadas. Possui fama de mordiscar as nadadeiras de peixes lentos ou de longas nadadeiras. Este comportamento fica mais evidente quando mantidos em número insuficiente ou quando o espaço é limitado.

Alimentação: Onívoro, essencialmente insetívoro. Naturalmente se alimenta de vermes, crustáceos, insetos e secundariamente plantas. Em cativeiro aceitará prontamente alimentos secos e vivos.

Reprodução: Ovíparo. O macho conduzirá a fêmea liberar livremente os ovos que serão fecundados e sua maioria irá para o fundo ou em meio a aglomerado de plantas. Eclodem em até dois dias e larvas estarão nadando livremente em até 48 h. Pais não exibem cuidado parental.

Dimorfismo Sexual: O dimorfismo sexual é evidente em espécimes adultos, o macho apresenta corpo de forma retilínea e coloração mais intensa, enquanto fêmea possui corpo mais roliço e cores mais pálidas, além de ser um pouco maior.

Biótopo: Ocorre em afluentes de várzea, lagos e riachos, geralmente sob cobertura florestal.

EtimologiaHphessobrycon, do grego hyphesson, que significa de menor estatura + grego bryko = morder, mordedor. bifasciatus: a partir palavra em latim bis, que significa ‘duas vezes ou dois’, e fasciatus, que significa ‘faixas ou listras’, em referência às duas listras escuras no corpo.

Sinônimos: Não possui.

Informações adicionais: Distribuído entre a região sudeste e sul do Brasil, desde Espirito Santo até Rio Grande do Sul, e na bacia do alto do rio Paraná No Uruguai e Argentina. No Brasil é encontrados nos estados da Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Esta espécie é susceptível a uma doença que tem sido observada em várias espécies de pequenos caracídeos, o que faz com que parte ou a totalidade do corpo apresente cor ouro metálico. Ainda não está claro se esta é consequência de uma infestação parasitária, como tem sido sugerido, porém os peixes afetados não demostram nenhum desconforto e sua expectativa de vida, bem com sua saúde, parece inalterada.

Pode ser confundido com inúmeras espécies do gênero, mas se distingue de seus semelhantes pela seguinte combinação de características: presença de duas manchas alongadas no úmero, sendo a primeira mais proeminente; ausência de mancha no pedúnculo caudal. Conhecido popularmente como Lambari e Piabinha.

Referências:

  • Lima, F.C.T., L.R. Malabarba, P.A. Buckup, J.F. Pezzi da Silva, R.P. Vari, A. Harold, R. Benine, O.T. Oyakawa, C.S. Pavanelli, N.A. Menezes, C.A.S. Lucena, M.C.S.L. Malabarba, Z.M.S. Lucena, R.E. Reis, F. Langeani, C. Moreira et al. …, 2003. Genera Incertae Sedis in Characidae. p. 106-168. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  • Morfologia testicular e estrutura da espermatogênese em peixes ornamentais Tetra Negro, Gymnocorymbus ternetzi; Tetra Amarelo, Hyphessobrycon bifasciatus e Mato Grosso, Hyphessobrycon eques (Teleostei, Characiformes) – Prieto Mojica, Camilo Alberto.
  • Estudos de toxicidade e acumulo de endosulfan nos peixes Brachydanio rerio e Hyphessobrycon bifasciatus – Claudio Martin Jonsson

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Agosto de 2016
Atualizado em Setembro/2018

Sobre Edson Rechi 769 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

1 Comentário

  1. Comprei 2 tetras, um amarelo e 1 rosa a 2 semanas. Ontem demanha reparei tinha um dos outros peixinhos mortos no fundo do aquario sem uma única barbatana 😒. Pelo o que consegui observar os meus tetras nadavam atras dos peixes mais pequeninos e mordiam as barbatanas, ou seja, tiveram brincadeira para a noite toda. Agora vou tentar Trocar por tetras mais pequenos ou outras espécie.

     

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*