Blue Flash Glass Tetra (Heterocharax virgulatus)

 

Heterocharax virgulatus (Toledo-Piza, 2000)

Foto de Peter e Martin Hoffmann (c)

Nome Popular: Matapiri, Piaba — Inglês: Blue Flash Glass Tetra

Ordem: Characiformes  — Família: Acestrorhynchidae

Distribuição: América do Sul; bacias dos rios Amazonas e Orinoco no Brasil e Venezuela

Tamanho Adulto: 4 cm

Expectativa de Vida: 5 anos +

pH: 6.0 a 7.2 — Dureza: —

Temperatura: 24°C a 28°C

Posição no aquário: Fundo / Meio

Nível de dificuldade: Fácil

Foto de Peter e Martin Hoffmann (c)

Este peixe é bastante raro no aquarismo e a primeira impressão é de que se parece um Tetra cinza e sem cor. Uma vez adaptado e sob condições ideais, exibe uma coloração iridescente impressionante com tons de azul, verde e amarelo dependendo da iluminação ambiente.

Os atributos físicos deste Tetra é bastante distinto incluindo uma tonalidade cinza oliva adornado com nadadeiras transparentes. Duas listras finas proeminentes e iridescentes verde azuladas em seus flancos. A primeira listra margeia a linha lateral desde o opérculo até o pedúnculo caudal, enquanto a segunda listra situa-se abaixo se estendendo desde o olho até a base da cauda.

Embora seja considerado um Tetra, possui relação mais próxima das barracudas de água doce da família Acestrorhynchus, o que é claramente visível pela estrutura das presas e dentes. Sua boca é voltada para cima, dentes afiados e grandes olhos negros.

No Brasil ocorre no estado do Amazonas.

Aquário Mínimo: 60 cm comprimento X 30 cm largura — se mostram mais coloridos quando mantidos em aquário densamente plantado. Pode-se adicionar raízes e folhas secas (opcional). Substrato arenoso e escuro realça ainda mais suas cores.

Comportamento & Compatibilidade: Espécie de comportamento pacífico podendo ser mantido em aquário comunitário com peixes de mesmo porte. De comportamento gregário, será importante manter em numeroso cardume para que mostrem seu comportamento natural e cores realçadas.

Foto obtida em www.fishtopia.de

Alimentação: Insetívora e necrófaga. Em aquário aceitará sem dificuldades alimentos secos e vivos.

Reprodução: Ovíparo. Desconhecido em aquário, presumivelmente similar a demais pequenos caracídeos com desovas livres em meio a aglomerado de plantas ou substrato, não ocorrendo cuidado parental.

Dimorfismo Sexual: Machos são ligeiramente menores e possuem corpo retilíneo, enquanto fêmeas corpo de forma mais roliça. Machos adultos são mais coloridos.

Biótopo: Encontrado em águas ácidas com maciça presença de troncos e plantas aquáticas.

Etimologia: Não disponível.

Sinônimos: Não possui.

Referências:

  • Lucena, C.A.S. and N.A. Menezes, 2003. Subfamily Characinae (Characins, tetras). p. 200-208. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  • Toledo-Piza, M., 2000. Two new Heterocharax species (Teleostei: Ostariophysi: Characidae), with a redescription of H. macrolepis. Ichthyol. Explor. Freshwat.
  • Toledo-Piza, M., 2002. Peixes do Rio Negro (Fishes of the Rio Negro: Alfred Russel Wallace (1980-1952)).

Publicado em Maio/2024

Sobre Edson Rechi 860 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*