Goby de rio (Awaous tajasica)

Awaous-tajasica1

Awaous tajasica (Lichtenstein, 1822)

Nome Popular: Gobi de rio, Amoré Guaçu — Inglês: Sand fish, River goby

Família: Gobiidae (Gobídeos)

Origem: América do Sul, encontrado desde o estado do Piauí até Santa Catarina

Tamanho Adulto: 16 cm

Expectativa de Vida: desconhecido

Temperamento: pacífico, predador

Aquário Mínimo: 80 cm X 30 cm X 40 cm (xxL)

Temperatura: 22°C a 30°C

pH: 7.0 a 8.0 – Dureza: 10 a 20

Visão Geral

Encontrado desde o nordeste até o sul do Brasil em praticamente toda costa do Atlântico. Há relatos questionáveis de sua distribuição na América do Norte e Central, desde a Flórida (EUA) até Antilhas. Ocorre em lagos, lagoas, rios e riachos em águas continentais e salobra.

Aquário & Comportamento

Substrato arenoso e macio é ideal para a espécie, assim como a presença de tocas onde possa se esconder e demarcar território. Somente mantenha em condições de água salobra, se houver outras espécies de peixes que exigem este tipo de água e irá compartilhar o mesmo aquário.

Se torna mais ativo durante o período diurno se mantido sob iluminação fraca a moderada. Não é um peixe agressivo se limitando a defender seu território principalmente frente a membros da mesma espécie. Este comportamento fica mais evidente a medida que amadurece ou quando são mantidos em pouco espaço. Com outras espécies de peixes costuma ser pacífico, porém comerá peixes menores que couber em sua boca.

Reprodução & Dimorfismo Sexual

Ovíparo. Sua reprodução em cativeiro não é relatada.

Alimentação

Onívoro. Em seu ambiente natural se alimenta de crustáceos bentônicos (ex. Copépodes, Ostracodes ), insetos (Diptera e Ephemeroptera); Secundariamente pequenos peixes, detritos e algas.

Etimologia: —

Referências

Watson, R.E., 1996. Revision of the subgenus Awaous (Chonophorus) (Teleostei: Gobiidae). Ichthyol. Explor. Freshwat. 7(1)1:18.

Robins, C.R. and G.C. Ray, 1986. A field guide to Atlantic coast fishes of North America. Houghton Mifflin Company, Boston, U.S.A. 354 p.

McDowall, R.M., 1988. Diadromy in fishes: migrations between freshwater and marine environments. Croom Helm, London.

Baensch, H.A. and R. Riehl, 1991. Aquarien atlas. Bd. 3. Melle: Mergus, Verlag für Natur-und Heimtierkunde, Germany. 1104 p.

McDowall, R.M., 1997. The evolution of diadromy in fishes (revisited) and its place in phylogenetic analysis. Rev. Fish Biol. Fish. 7(4):443-462.

Revisão taxonômica e anatomia de Awaous tajasica (Liechtenstein, 1822) (Perciformes: Gobiidae) –  Flávio Alicino Bockmann

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Maio/2016

Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 740 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*