Danio Drácula (Danionella dracula)

Espécime macho

Danionella dracula (Britz, Conway & Rüber, 2009)

Nome Popular: Danio Drácula — Inglês: desconhecido

Ordem: Cypriniformes — Família: Cyprinidae (Ciprinídeos)

Distribuição: Ásia; Sha Du Zup no norte de Myanmar

Tamanho Adulto: 1,7 cm

Expectativa de Vida: 2 a 3 anos

Comportamento: pacífico, gregário

Aquário Mínimo: 40 cm X 30 cm X 30 cm (36 litros)

Temperatura: 15°C a 28°C

pH: 6.5 a 7.5 – Dureza: 1 a 6

Visão Geral

Fêmeas com ovos

Sua distribuição está restrita a Mogaung Chaung (riacho Mogaung), distrito de Myitkyina, estado de Kachin, norte de Myanmar. É um afluente do rio Ayeyarwady. A espécie provavelmente é encontrada em uma área relativamente pequena.

Não existem detalhes precisos sobre sua ocorrência natural, mas outras espécies do gênero são conhecidos por habitar pequenos riachos e lagos.

Esta espécie está disponível no comércio ocasionalmente e tem sido vendido como Danionella sp. “Verde néon” ou “verde fluorescente”.

Seu nome Drácula foi inspirado devido a morfologia de sua mandíbula. Ambas as mandíbulas, superior e inferior, contém uma série de processos odontóides. Em fêmeas são rudimentares, porém nos machos parecem formar fileiras de dentes dos quais o par frontal é grande semelhante a uma presa.

As presas superiores se projetam através da pele em cerca de 0,3 mm, enquanto somente as demais pontas do conjunto inferior são visíveis. Os dentes não são verdadeiros, uma vez que não contêm uma cavidade de polpa, nem substâncias semelhantes a esmalte, mas a estrutura geral da mandíbula se assemelha muito a dos teleósteos dentados. Nenhuma das 3.700 espécies de Cypriniformes descritas possui dentes na mandíbula e acredita-se que os tenham perdido há menos 50 milhões de anos. A função exata destes processos em D. dracula permanece desconhecida, no entanto.

Seu pequeno tamanho adulto evoluiu através de um processo conhecido como miniaturização, caracterizado por adultos sexualmente maduros com um tamanho significativamente reduzido. Entre os peixes ósseos da ordem Cypriniformes, todas as espécies dos gêneros Barboides, Danionella, Microdevario, Microrasbora, Horadandia, Boraras, Sawbwa e Sundadanio apresentam este fenômeno. Todos mostram uma preferência por águas calmas ou de pouco movimento, muitas vezes em habitats pobres em nutrientes, como pântanos de turfeiras .

A estrutura anatômica dos ciprinídeos miniaturizados pode variar muito; Há dois grupos putativos com algumas espécies que possuem características intermediárias em algum grau. A primeira contém os peixes, que embora pequenos, são essencialmente proporcionalmente versões anãs de seus parentes maiores. Enquanto o segundo grupo apresenta os pedomórficos.

Dentição de Danionella dracula

Aquário & Comportamento

O aquário para espécie deverá possuir plantas, preferencialmente parte da vegetação cobrindo a zona superior do aquário, além do fluxo da água lento.

Devido seu comportamento pacífico e tamanho diminuto, deverá ser mantido com peixes de porte semelhante e igualmente pacífico. De comportamento gregário, procure manter pelo menos uma dúzia de indivíduos. Desta forma mostram-se mais tranquilos e exibindo seu comportamento natural.

Reprodução & Dimorfismo Sexual

Ovíparo, fêmeas dispersam livremente ovos em local pré-determinado pelo macho, onde será fecundado em sequência. Pais não cuidam da progênie.

O dimorfismo sexual é evidente com fêmeas maduras apresentando corpo em forma roliça. Machos apresentam corpo mais retilíneo, além das papilas genitais entre as nadadeiras pélvicas, anterior à das fêmeas.

Alimentação

Onívoro. Apesar de seu pequeno tamanho é um micro-predador se alimentando naturalmente de équenos invertebrados e larvas. Em aquário aceitará prontamente alimentos secos e vivos, devendo o primeiro ser triturado para que possa ser melhor aproveitado.

EtimologiaDanionella; nome vernacular da Índia e do Sri Lanka; diminutivo de Danio.

dracula: nome inspirado em Conde Drácula, do romance de Bram Stoker, em referência aos dentes longos nas mandíbulas dos machos.

Referências

  1. Britz, R., K.W. Conway and L. Rüber, 2009. Spectacular morphological novelty in a miniature cyprinid fish, Danionella dracula n. sp. Proc. Royal Soc.
  2. Fang, F., M. Norén, TY Liao, M. Källersjö and SO Kullander, 2009 – Zoologica Scripta 38(1): 1-20
    Molecular phylogenetic interrelationships of the south Asian cyprinid genera Danio , Devario and Microrasbora (Teleostei, Cyprinidae, Danioninae).
  3. Kottelat, M., 2013 – Raffles Bulletin of Zoology Supplement 27: 1-663
    The fishes of the inland waters of southeast Asia: a catalogue and core bibiography of the fishes known to occur in freshwaters, mangroves and estuaries.
  4. Roberts, TR, 1986 – Environmental Biology of Fishes 16(4): 231-241
    Danionella translucida , a new genus and species of cyprinid fish from Burma, one of the smallest living vertebrates.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Dezembro/2016
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 568 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*