Danio Rosa (Danio roseus)

 

Danio roseus (Fang & Kottelat, 2000)

Macho coletado a partir do nordeste da Tailândia. Foto de Nonn Panitvong/Siamensis.org

Nome Popular: Danio Rosa — Inglês: Rosy danio

Ordem: Cypriniformes — Família: Cyprinidae

Distribuição: Ásia. Bacia do Mekong na Tailândia, Laos e Myanmar

Tamanho Adulto: 3.5 a 4.5 cm

Expectativa de Vida: desconhecido

pH: 6.5 a 7.4 — Dureza: –

Temperatura: 18°C a 26°C

Aquário Mínimo: 80 cm comprimento X 30 cm largura — é um peixe bastante ativo exigindo um bom espaço para nadar. Preferencialmente deve ser criado em um aquário plantado.

Comportamento & Compatibilidade: Pacífico, deve ser mantido em numeroso cardume para que mostre seu comportamento natural e cores chamativas, podendo ser mantido em aquário comunitário com peixes de comportamento e tamanho similar.

Alimentação: Onívoro, em seu ambiente natural alimentam-se de pequenos crustáceos, larvas de insetos e pequenos vermes. Em cativeiro aceitam prontamente alimentos secos.

Reprodução: Fêmeas dispersam livremente ovos onde será fecundado pelo macho em sequência. Pais não cuidam da progênie e ovos eclodem em até 2 dias.

Dimorfismo Sexual: Fêmeas maduras apresentam corpo em forma roliça e são levemente maiores e menos coloridas do que os machos. Machos apresentam corpo mais retilíneo e são mais coloridos principalmente em fase de reprodução.

Biótopo: Habita pequenos córregos e cachoeiras de águas relativamente frias. Pode também ser encontrado no principal rio de Mekong.

Etimologia: Danio, um termo vernacular (local) utilizado para pequenos peixes da família dos Ciprinídeos. Roseus do latim roseus, que significa “rosado, rosa”, em referência ao padrão de cor nos machos em época de reprodução.

Sinônimos: nenhum.

Informações adicionais: É uma espécie relativamente nova no aquarismo, mas se mostra bastante popular, principalmente no exterior, devido seu baixo valor e resistência. Por vezes é vendido como ‘purple passion danio’.

É muito semelhante a B. albolineata, mas difere pelo corpo relativamente mais magro, barbos rostrais mais curtos e falta de faixas escuras na metade posterior do corpo.

Criadores na Europa Oriental cruzaram com sucesso B. albolineata e B. rosea, e muitos dos peixes atualmente encontrados no aquarismo são considerados híbridos.

Variedade híbrida em aquário. Foto de Mark Duffill (c)
Foto de Ivan Lerdsuwa. Wikki Commons

Referências:

  1. Fang, F. and M. Kottelat, 2000. Danio roseus, a new species from the Mekong basin in northeastern Thailand and northwestern Laos (Teleostei: Cyprinidae). Ichthyol. Explor. Freshwat.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Agosto/2019
Colaboradores (collaboration): —

Sobre Edson Rechi 768 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*