Danio Laranja (Danio kyathit)

 

Danio kyathit (Fang, 1998)

Espécime adulto listrado. Foto de Peter Maguire (c)

Nome Popular: Danio Laranja — Inglês: Orange-Finned ‘Danio’

Ordem: Cypriniformes — Família: Cyprinidae

Distribuição: Ásia. Endêmico de Myanmar

Tamanho Adulto: 3.5 a 4.5 cm

Expectativa de Vida: desconhecido

pH: 6.5 a 7.4 — Dureza: –

Temperatura: 18°C a 26°C

Aquário Mínimo: 80 cm comprimento X 30 cm largura — é um peixe bastante ativo exigindo um bom espaço para nadar. Preferencialmente deve ser crisado em um aquário plantado. Manter o aquário bem tampado, esta espécie pula para fora com frequência.

Comportamento & Compatibilidade: Pacífico, deve ser mantido em numeroso cardume para que mostre seu comportamento natural e cores chamativas, podendo ser mantido em aquário comunitário com peixes de comportamento e tamanho similar.

Alimentação: Onívoro, em seu ambiente natural alimentam-se de pequenos crustáceos, larvas de insetos e pequenos vermes. Em cativeiro aceitam prontamente alimentos secos.

Reprodução: Fêmeas dispersam livremente ovos onde será fecundado pelo macho em sequência. Pais não cuidam da progênie e ovos eclodem em até 2 dias.

Dimorfismo Sexual: Fêmeas maduras apresentam corpo em forma roliça e são levemente maiores e menos coloridas do que os machos. Machos apresentam corpo mais retilíneo e são mais coloridos principalmente em fase de reprodução.

Biótopo: Pequenos córregos lótico de águas claras e acastanhadas, com densa floresta de bambu em suas margens e fundo lamoso com pequenas pedras.

Etimologia: Danio, um termo vernacular (local) utilizado para pequenos peixes da família dos Ciprinídeos. Kyathit, palavra birmanesa que significa ‘leopardo‘, em referência ao padrão de cor da espécie.

Sinônimos: Brachydanio kerri

Informações adicionais: Os primeiros espécimes foram coletados a partir da cidade de Myitkyina, estado de Kachin, no norte de Mianmar.

De acordo com o informações recentes, B. kyathit tem padrões de cores variáveis, com as faixas laterais completamente sólidas em alguns espécimes e onduladas ou quebradas em marcas pontiagudas em outras.

A série tipos de Fang era composta inteiramente de espécimes manchados, exceto um único paratipo listrado que havia sido coletado por Prashad e Mukerji de Kamaing, perto de Myitkyina, em 1929 e identificado erroneamente como B. rerio.

Embora esta forma listrada se assemelhe superficialmente a B. rerio, possui barbilhões mais longos e finos vermelhas a alaranjado, e em B. rerio todas as 5 listras escuras continuam na nadadeira caudal e a nadadeira anal contém marcações mais definidas.

Outro peixe semelhante, listrado do rio Yu (drenagem do rio Chindwin) foi descrito como B. quagga (Kullander, Liao & Fang, 2009), mas apresenta barbilhões mais curtos.

As diferenças entre os sexos são claras neste grupo misto de machos e fêmeas. Foto de Glenn Axt (c)
A forma manchada do espécime acima é geneticamente distinta da listrada, abaixo. Foto de Charles König (c)

Referências:

  1. Fang, F., 1998. Danio kyathit, a new species of cyprinid species from Myitkyina, northern Myanmar. Ichthyol. Explor. Freshwat
  2. Swedish Museum of Natural History, 1999. Fish collection database of the Naturhistoriska riksmuseet (Swedish Museum of Natural History). Ichthyology Section, Department of Vertebrate Zoology, Swedish Museum of Natural History, Stockholm, Sweden.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Agosto/2019
Colaboradores (collaboration): —

Sobre Edson Rechi 768 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*