Botia Palhaço – Chromobotia macracanthus

 

Chromobotia-macracanthus

Classificação

Classe: Actinopterygii • Ordem: Cypriniformes • Família: Cobitidae

Nome binomial: Chromobotia macracanthus (Bleeker, 1852)

Sinônimos: Botia macrocanthus, Botia macracanthus, Botia macracantha, Cobitis macracanthus

Grupo Aquário: Cobitídeos

Nomes comuns

Botia Palhaço

Inglês: Clown loach, Tiger botia

Distribuição & habitat

Ásia. Encontrado em Kalimantan Barat (West Kalimantan), Kalimantan Tengah (Central Kalimantan) e Kalimantan Timur (Kalimantan Oriental), províncias da Indonésia, incluindo o Kapuas e Kayan. Em Sumatra é encontrado do leste e do sul de Jambi, Sumatra Selatan e províncias Lampung incluindo o Batang Hari, Musi e tulang Bawang.

Populações das duas ilhas são conhecidas por apresentar diferenças na estrutura genética, padronização e tamanho adulto. Têm sido sugerido que estes podem ser espécies diferentes, necessitando de um estudo detalhado.

Países: Indonésia (Sumatra e Bornéu)

Habitat: variando a época, são encontrados em canais principais de rios, migrando para seus afluentes menores durante estação chuvosa para se reproduzir. Comumente encontrados em meio a densa vegetação com substrato em grande parte formado por detritos e serapilheira com raízes de árvores submersas.

Chromobotia-macracanthus-map
Mapa por Discover Life

Ambiente & parâmetros da água

Demersal; água doce • pH: 5.0 – 8.0 • Dureza: 5 – 12 • Clima: tropical; 24°C – 30°C

* embora tolerem um grande range de pH, ideal criá-los em aquário com pH entre 6.0 e 7.0 e água levemente mole.

Tamanho adulto

40 cm (comum entre 25 cm e 30 cm) • Estimativa de vida: 20 anos +

Manutenção em aquário

Aquário com dimensões mínimas de 100 cm X 40 cm X 50 cm (200 litros) requerido. Substrato preferencialmente deverá ser macio e arenoso e aquário deverá possuir diversos esconderijos formados por rochas ou raízes. Necessitam de um ambiente com um forte fluxo de água simulando o ambiente lótico onde são encontrados. Iluminação moderada é indicado.

Relativamente pacífico podendo ser mantido em aquário comunitário. Deve-se criá-los em grupo com no mínimo seis indivíduos. Podem ser bastante ativos podendo incomodar peixes mais lentos ou tímidos, mas no geral se dá bem com espécies pacíficas.

Apresenta um comportamento peculiar podendo ser encontrado descansando em diversas posições, incluindo deitado de barriga para cima podendo passar a falsa impressão que poderá estar morto. Este comportamento é bastante comum e quando em seu habitat natural podem se esconder em pequenas fissuras nas rochas e não raramente podem ser encontrados deitados aos montes com membros da mesma espécie.

É comum a espécie passar um bom tempo escondida aparecendo somente ao apagar as luzes do aquário. Este comportamento pode ser minimizado adicionando peixes gregários (cardume) de pequeno porte que frequentem a parte inferior do aquário a meia água. Botias se sentem seguras quando há outros peixes próximos, indicando que não há predadores próximos.

Alimentação

Onívoro, em seu ambiente natural alimenta-se de vermes, crustáceos e matéria vegetal. Em cativeiro aceitará alimentos secos e vivos sem dificuldades. Sua alimentação deverá ser a mais variada possível, podendo ser fornecido alimentos vivos como artêmias e minhocas periodicamente.

Reprodução e dimorfismo sexual

Ovíparo. Há alguns poucos relatos da reprodução desta espécie em cativeiro e a grande maioria encontrada nas lojas de aquarismo provém de fazendas de peixes especializadas e são obtidos através da indução de hormônios. Espécie requer diversos anos para atingir maturidade sexual.

Em seu ambiente natural a espécie apresenta hábito migratório partindo para afluentes menores com planícies inundadas temporariamente, circundante durante estação chuvosa. O método de reprodução é desconhecido, embora existam alguns relatos de aquaristas.

Dimorfismo sexual

Espécie monomórfica até atingirem cerca de 6 cm, a partir deste tamanho podem ser sexados. Fêmeas tendem a serem maiores e mais gordas que os machos, enquanto este último apresenta nadadeira caudal ligeiramente curvado para dentro similar a uma garra, enquanto nas fêmeas são retos.

Galeria de imagens

Chromobotia-macracanthus2

Chromobotia-macracanthus6 Chromobotia-macracanthus5

Chromobotia-macracanthus4 Chromobotia-macracanthus3

Descrição

Apresenta corpo longo e comprido lateralmente, sua cabeça é relativamente grande, sua boca virada para baixo com lábios carnudos grossos e quatro pares de barbos. Os barbos no maxilar inferior são pequenos e difíceis ver. Seu corpo é laranja avermelhado com três listras pretas verticais. A primeira listra atravessa toda sua cabeça e olhos, a listra mediana situa-se entre a cabeça e a nadadeira dorsal, enquanto a listra posterior cobre quase todo o pedúnculo caudal se prolongando até a nadadeira anal. Pode haver variações na coloração de acordo com a proveniência do peixe, as nadadeiras pélvicas em peixes oriundos de Bornéu são da cor laranja avermelhado e preto, enquanto as nadadeiras pélvicas em peixes de Sumatra são laranjas totalmente avermelhado.

O nome Chromobotia vem do grego cromo que significa “cor” ou “colorido” e a palavra asiática botia (regional) que significa “guerreiro” ou “soldado”. O epíteto macracanthus é derivado da palavra grega macros que significa “grande” e do latim acanto que significa “espinhoso”, em alusão ao grande espinho encontrado abaixo de cada olho do peixe. Seu nome comum, Botia Palhaço, faz referência as cores vivas do peixe e suas listras, assim como seu comportamento como nadar de cabeça para baixo ou “fingir” de morto. Note que muitos peixes tropicais com listras verticais são referidos como “palhaço”.

Podem fazer barulho similar a estalos durante a alimentação ou quando animados, este som é produzido pela moagem de seus dentes localizados na faringe.

Não apresentam escamas, sendo bastante sensível a produtos químicos adicionados na água, principalmente medicações. É bastante propenso a doenças de pele, devendo ser mantido uma qualidade de água ímpar.

Comumente são recomendados para ajudar a livrar aquário de infestação de caramujo, mas devido seu tamanho adulto nem sempre poderá ser uma boa escolha. Existem outras espécies menores de Botias que desempenham esta função, sendo a escolha mais adequada para um aquário de pequeno porte ou comunitário. Relativo ao seu tamanho, crescem rapidamente até próximo de 15 cm de comprimento, após este tamanho costumam crescer muito lentamente podendo levar anos para ultrapassar 30cm.

Embora seja um peixe bastante pacífico, são animais formidáveis quando precisam se defender ou quando perturbada. Possuem espinhos abaixo dos olhos que podem ser utilizados como mecanismo de defesa. Embora o espinho não possua veneno, infringe em uma dolorosa ferida.

Referências

  1. Robins, C.R., R.M. Bailey, C.E. Bond, J.R. Brooker, E.A. Lachner, R.N. Lea and W.B. Scott, 1991. World fishes important to North Americans. Exclusive of species from the continental waters of the United States and Canada. Am. Fish. Soc. Spec. Publ. (21):243 p.
  2. Legendre, M., D. Satyani, S. Subandiyah, Sudarto, L. Pouyaud, E. Baras and M. Slembrouck, 2012. Biology and culture of the clown loach Chromobotia macracanthus (Cypriniformes, Cobitidae): 1- Hormonal induced breeding, unusual latency response and egg production in two populations from Sumatra and Borneo Islands. Aquat. Living. Resour. 25:95-108.
  3. Kottelat, M., 2004. Botia kubotai, a new species of loach (Teleostei: Cobitidae) from the Ataran River basin (Myanmar), with comments on botiine nomenclature and diagnosis of a new genus. Zootaxa 401:1-18.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Junho/2014
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 769 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

1 Comentário

  1. Tenho duas em casa lindas e grandes, média de 12/15 cm ficam juntas o tempo todo brincando entre os troncos e enfeites do aquário, esta de dormir de barriga pra cima para quem não sabe preocupa mesmo acha que esta morto e o fazem com bastante frequência quando estão de barriga cheia, parece uns cães do aquário…kkkkkkkk…foram várias vezes com visita em casa as pessoas diziam que estava morta e eu respondia que nada esta só dormindo, as pessoas não acreditavam daí eu tinha que tocar no aquário para acordá-la para ver que estava tudo bem, peixe magnífico e belo um comunitário sem elas não tem a menor graça!

     

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*