Peixe de sangue quente

Espécie opah tira proveito de poder ficar em águas profundas, mais frias. Sistema e aquecimento mantém seu cérebro funcionando rapidamente.

peixe-opah é capaz de capturar calor por suas nadadeiras, isoladas por uma generosa camada de godura, e manter seu sangue e órgãos aquecidos enquanto ele nada a uma profundidade de centenas de metros. Um estudo que detalha essa descoberta foi publicado pela revista Science.

Foto: reprodução

Outros peixes, como o atum, conseguem aquecer certas partes do corpo – dessa forma se movimentam mais rápido quando precisam perseguir alguma presa. Mas endotermia completa nunca havia sido notada em um animal do tipo antes. E o fato de aparecer justamente no opah, que é um peixe de grandes profundidades, conhecidos por serem lento e não perseguirem as presas (comem animais encurralados) é surpreendente.

Com isso, foi descoberto também que o opah é incrivelmente ágil, podendo se alimentar de lulas o outros animais velozes. Também podem migrar e nadar por longas distâncias.

Os peixes são capazes de deixar seu sangue 3ºC mais quentes do que a água – pode não parecer muito para nós, mamíferos, mas requer uma sofisticada engenharia termal. Ainda mais para um bichão do tamanho do opah: no estudo, o mais gordinho pesava 68kg, mas já foram encontrados espécimes de 270kg.

Via BBC

Sobre Edson Rechi 624 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*