Cará (Australoheros ribeirae)

Australoheros-ribeirae

Australoheros ribeirae (Ottoni, Oyakawa & Costa, 2008)

Nome Popular: Cará, Acará — Inglês: não possui

Família: Cichlidae (Ciclídeos)

Origem: América do Sul, endêmico da bacia do rio Ribeira no Brasil

Tamanho Adulto: 8 cm

Expectativa de Vida: 5 anos +

Temperamento: comportamento

Aquário Mínimo: 80 cm X 30 cm X 40 cm (96 L)

Temperatura: 22°C a 28°C

pH: 6.0 a 7.0– Dureza: —

Visão Geral

Endêmico da bacia do rio Ribeira de Iguape e distinguindo-se das demais espécies do gênero devido a caracteres de coloração, osteológicos, morfometricos e por apresentar um ectopterigoide fino.

Australoheros ribeirae, difere de A. facestus, A. Kaaygua, A. scitulus; por possuir os seguintes caracteres: 9-10 raios na nadadeira dorsal, 6-7 espinhos na nadadeira caudal, 8 raios na nadadeira anal, 14 vertebras pré-caudal, 12 vertebras caudal, 26 vertebras ao todo, 24-26 escamas na serie longitudinal, 16-18 escamas na linha lateral superior. Altura da cabeça 95.4–98.9 % da medida padrão, comprimento do ultimo espinho da nadadeira dorsal 16–16.8 % da medida padrão, altura do corpo 47.4–51.3 % da medida padrão, comprimento da nadadeira pélvica 32.4–37.2 % da medida padrão, comprimento da pré-dorsal 47.1–49.6 % da medida padrão, profundidade do pré-orbital 64.2–73.3 % da medida padrão, largura da cabeça 48.9–53.6 % da medida padrão. Apresenta coloração marrom-avermelhada com barras negras verticais.

(Fonte: Ottoni, F.P., O.T. Oyakawa and W.J.E.M. Costa, 2008. A new species of the genus Australoheros from the rio Ribeira do Iguape basin, São Paulo, Brazil (Labroidei: Cichlidae: Cichlasomatinae). Vertebrate Zoology 58(1):75-81.)

Aquário & Comportamento

Aquário mínimo de 100L para um casal ou 300L para comunitário. Decoração com pedras grandes e troncos devem ser utilizados para a espécie ficar mais a vontade e demonstrar suas cores vibrantes. Evitar criar fluxo lótico no aquário.

Seu comportamento é bastante variável, costuma ser pacífico com outros peixes se reservando a expulsá-los de seu território. Em época de reprodução se tornam agressivos. Comem peixes menores.

Reprodução & Dimorfismo Sexual

Ovíparo. Desovam em superfícies planas de rochas, folhas ou troncos. Em dois ou três dias os ovos eclodem e em dois dias os alevinos estarão nadando livremente sob supervisão dos pais. Progenitores cuidam das larvas por duas a quatro semanas.

Os machos são maiores com nadadeiras mais coloridas e pontiagudas, fêmeas são ligeiramente menores.

Alimentação

Onívoro. É um predador diurno oportunista que se alimenta de detritos e matéria vegetal, além de pequenos animais aquáticos. Em cativeiro aceitará prontamente alimentos secos, vivos e congelados.

Etimologia: Ribeirae se refere a bacia do rio Ribeira de Iguape, a localidade da nova espécie. A localidade tipo da espécie é o município de Sete Barras, próximo a estrada Sete Barras – Eldorado (SP).

Referências

Ottoni, F.P., O.T. Oyakawa and W.J.E.M. Costa, 2008. A new species of the genus Australoheros from the rio Ribeira do Iguape basin, São Paulo, Brazil (Labroidei: Cichlidae: Cichlasomatinae). Vertebrate Zoology 58(1):75-81.

Site Nature Planet

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Junho/2016

Colaboradores (collaboration): —

Sobre Edson Rechi 734 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

4 Comentário

  1. achei interessante esta matéria sobre este peixe nem sabia da existência desta espécie aqui no brasil estava interessado em comprar o australoheros scitulus mas esta sendo difícil adquirir esta espécie teria como vcs me explicar como eu posso adquirir um casal de australoheros ribeirae e me dizer o preço do casal e o custo do transporte eu moro em salvador faz muito tempo que não vejo esta espécie a venda no rio de janeiro sou carioca mas moro em salvador eu so tive um exemplar do australoheros scitulus quando tinha 15 anos hoje estou com 55 e nunca mas vi essa espécie sendo vendida no rio agradeço se vcs me enviarem uma resposta sobre a venda desta espécie nossa que ocorre em são Paulo obrigado atenciosamente

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*