Acará salema (Biotodoma cupido)

 
Biotodoma cupido (Heckel, 1840)

Ficha Técnica

Ordem: Perciformes — Família: Cichlidae (Ciclídeos)

Nomes Comuns: Acará salema, Ciclídeo Cupido — Inglês: Greenstreaked eartheater, Cupid Cichlid

Distribuição: América do Sul, bacia Amazônica no Peru, Bolívia e Brasil

Tamanho Adulto: 12 cm (comum: 10 cm)

Expectativa de Vida: 5 anos +

Comportamento: pacífico, gregário

pH: 5.0 a 7.0 — Dureza: < 10

Temperatura: 24°C a 30°C

Distribuição e habitat

Ocorre em grande parte da bacia Amazônica, desde leste no sistema Ucayali no Peru até o delta do Amazonas. Ocorre também na extremidade sul no rio Mamoré na Bolívia, um afluente do rio Guaporé e norte da bacia do Essequibo na Guiana.

No Brasil pode ser encontrado no rio Negro e Rio Guaporé em Mato Grosso. O primeiro localizado no estado do Amazonas, noroeste do Brasil, enquanto o último no estado de Mato Grosso.

Seu padrão de cor e morfologia externa pode mudar de acordo com sua localização e a existência de espécies adicionais tem sido sugerida, embora até o momento não tenha sido confirmado nenhuma nova espécie oficialmente.

Dada sua extensa área de distribuição natural, seu habitat pode ser considerado um tanto generalista. Muitos deles estão sujeitos a variações sazonais significativas na profundidade da água, turbidez e tipo de fluxo, devido o ciclo anual de inundações que ocorrem em toda região amazônica.

Descrição

A maioria dos peixes encontrado no comércio de aquarismo é originário da cidade de Santarém, estado do Pará, leste do Brasil. Existem pequenas distinções de coloração entre as populações do Peru e da região de Santarém.

Espécimes oriundos de Santarém são comercializados com o nome B. cupido “Santarem”, ou B. cupido “Tocantins”.

B. cupido e seu congênere B. wavrini podem ser distintos pela forma do corpo e posição da mancha escura na porção posterior de seu flanco. Em B. cupido o corpo é relativamente compacto e a mancha localizada acima da linha lateral superior, enquanto que em B. wavrini o corpo é visivelmente alongado e a mancha fica sobre ou abaixo da linha lateral superior.

As espécies simpátricas incluem Acestrorhynchus microlepis , Laemolyta taeniata , Leporinus friderici , L. fasciatus , Triportheus angulatus , Serrasalmus rhombeus , Pygocentrus nattereri , Tetragonopterus argenteus , Catoprion mento , Mylossoma aureum , Hoplias malabaricus , Semaprochilodus taeniurus , Cichla monoculus , Aequidens tetramerus , Auchenipterus ambyiacus , Centromochlus heckelii , Ossancora punctata , Loricaria cataphracta , Hypoptopoma gulare , Peckoltia bachi , Squaliforma emarginata , Sorubim lima e Hypophthalmus marginatus .

Criação em Aquário

Aquário com dimensões mínimas de 100 cm de comprimento e 40 cm de largura desejável.

O substrato deverá ser preferencialmente arenoso e macio. Decorações adicionais são opcionais, mas ficam mais a vontade com a presença de raízes espalhadas e iluminação moderada.

É uma espécie frágil para manter em aquários novos, preferindo água maturada e estável. Se o regime de manutenção do aquário ou alimentação for insuficiente, poderão desenvolver problemas de saúde ou crescimento atrofiado.

Comportamento

Apresenta comportamento pacífico, sendo ideal para aquário comunitário com peixes de pequeno a médio porte igualmente pacíficos. Deve evitar criá-lo com peixes territoriais, agressivos ou muito agitados.

De comportamento gregário que tendem a viver em grupos, exibem uma forte hierarquia. Um grupo de pelo menos cinco indivíduos é recomendado. Quando mantido em menor número, espécimes mais fracos podem se tornar alvo excessivo de agressões dos indivíduos dominantes.

A ausência de peixes muito agitados também ajuda a realçar as suas cores.

Reprodução

Ovíparo. Formado o casal e após o ritual reprodutivo, a fêmea irá liberar ovos adesivos em alguma superfície plana de rochas, folhas ou raízes. Eclodem em até 48 horas sendo transferidos para pequenas cavidades na areia. Cerca de uma semana estarão nadando livremente sob o cuidado dos pais por até quatro semanas.

Dimorfismo Sexual

Machos são maiores e mais magros, além de sua nadadeira dorsal e caudal terminarem em longos filamentos.

Fêmea são menores e possuem linha azul fluorescente abaixo dos olhos pouco definida (pontilhada), enquanto no macho esta linha é bem definida e contínua.

Alimentação

Onívoro. Pertencem a um grupo de peixes conhecido como “papa-terra”, engole uma porção de areia e filtra o que é comestível descartando o restante pelas guelras. Portanto sua alimentação se resume no que encontra no substrato.

Em aquário aceitará prontamente alimentos secos e vivos. Sua dieta deve conter uma variedade alta de preparados de granulometria pequena e alimentos como tubifex, artêmias, larvas de mosquitos, entre outros.

Etimologia: Biotodoma; biotos (grego) = vida, existência + domos (grego) = casa. Em alusão aos espécimes adultos que transportam alevinos em sua boca, porém este comportamento não é aplicável a espécies deste gênero.

Cupido (latim) = desejo, saudade.

SinônimosGeophagus cupido

Referências

  1. Kullander, S.O., 2003. Cichlidae (Cichlids). p. 605-654. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  2. Cella-Ribeiro, A., M. Hauser, L.D. Nogueira, C.R.C. Doria and G. Torrente-Vilara, 2015. Length-weight relationships of fish from Madeira River, Brazilian Amazon, before the construction of hydropower plants. J. Appl. Ichthyol. 31:939-945.
  3. Robins, C.R., R.M. Bailey, C.E. Bond, J.R. Brooker, E.A. Lachner, R.N. Lea and W.B. Scott, 1991. World fishes important to North Americans. Exclusive of species from the continental waters of the United States and Canada. Am. Fish. Soc. Spec. Publ. (21):243 p.
  4. Cichocki, FP , 1977 – Environmental Biology of Fishes 1(2): 159-169 – Tidal cycling and parental behavior of the cichlid fish Biotodoma cupido .
  5. Reis, RE, SO Kullander and CJ Ferraris, Jr. (eds), 2003 – EDIPUCRS, Porto Alegre: i-xi + 1-729 – Check list of the freshwater fishes of South and Central America. CLOFFSCA.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Fevereiro/2017
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 769 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*