Principais variedades de Kinguios (Carassius auratus)

Por Rosana Ferreira — Agosto/2017

Kinguio Comum

É a variante mais parecida com a carpa original. Apresenta cor laranja brilhante, mas pode ser encontrado nas cores vermelha ou amarela. Sua nadadeira dorsal é longa e baixa, enquanto que as demais são bem parecidas às da carpa original. Possui cauda levemente bifurcada. É bastante sociável e pode conviver com outros peixes de parâmetros compatíveis. É considerada uma das variantes mais resistentes.

Kinguio Bolha (bubble eyes)

Possui duas bolsas sob os olhos, cheias de líquido, por isso devem ser manuseadas com muito cuidado, caso contrário, estouram facilmente. Visto isso, a captação do filtro deve ser protegida para evitar que essas bolsas sejam sugadas, já que depois de rompidas, dificilmente voltam a crescer, ou então, uma fica menor do que a outra. Como a cura ocorre lentamente, o tecido se torna sujeito a infecções.

Essas bolsas se desenvolvem a partir dos 6 – 9 meses e aumentam de tamanho com a idade, tornando o peixe mais lento. Essa variante pode ser encontrada nas cores vermelho, preto, ouro ou bicolor (branco e vermelho). Não apresenta nadadeira dorsal, mas os chineses desenvolveram uma variante que a possui. A ausência da dorsal aliada ao formato do corpo reduz sua estabilidade ao nadar, necessitando assim de águas mais calmas. Embora o Bubble Eye seja encontrado com facilidade, eles são considerados delicados e não recomendados para iniciantes.

Cabeça de Leão (lionhead)

Apresenta o mesmo gorro dos Oranda (dos quais se originam), só que muito maior, tomando toda a cabeça. Possui um corpo grosso, curto e arqueado e uma barriga saliente. Não possui nadadeira dorsal e a cauda é dupla e curta, parecida com a do Fantail. Possui ainda nadadeira anal dupla.

Esta variedade é muito parecida com o Ranchu, embora o dorso do Lionhead tenha uma forma menos curvada. Pode apresentar várias cores, incluindo vermelho, laranja, chocolate, azul e preto, cálico, bicolores (vermelho e branco ou vermelho e preto), ou tricolores em vermelho, branco e preto.

Foi criado na China para desenvolver um capuz que retrata a imagem do mítico cão-leão chinês. O desenvolvimento dessa estrutura é diferente para cada peixe, dependendo muito da genética. Em alguns exemplares, com exceção da boca e narinas, podem ficar com a cabeça completamente coberta, chegando a impedir sua visão.

O Lionhead é considerado um peixe bastante delicado e não é recomendado para iniciantes. A habilidade de natação é diminuída pelo seu corpo arredondado e pela falta da nadadeira dorsal, exigindo assim, águas calmas.

Oranda

Um dos mais populares do mundo. Possui um crescimento carnudo no topo da cabeça chamado wen. O wen começa a ficar visível por volta dos 3 a 4 meses, estando completamente desenvolvido por volta dos 2 anos de idade. Os oranda possuem forma arredondada, escamas cintilantes e uma longa cauda dividida. No Japão, é chamado Oranda Shishigashiri, e há uma versão cálica que eles chamam de Azuma Nishiki.

Na Ásia, embora o nome comum de Oranda seja aplicado a esses peixes, são conhecidos como Tigerhead ou Tiger Goldfish. É originado do cruzamento entre os Cabeças de Leão e os Véus. Apresenta a protuberância carnosa dos Cabeças de Leão, porém menor e concentrada no topo da cabeça e as nadadeiras muito longas dos Véus. É um peixe bastante sociável e dócil. É resistente, apesar de apresentarem propensão a desfunções da vesícula gasosa. São delicados e têm baixa tolerância a má qualidade da água e também a águas extremamente frias. O wen está sujeito a infecção por detritos, bactérias e fungos que se instalam nas pequenas dobras.

Celestial

Da mesma linhagem dos Telescópios, tem os olhos virados pra cima, para a superfície da água. Com isso, sua visão é bastante prejudicada, tendo dificuldade em localizar até o alimento. Deve ser mantido em aquários somente com variantes iguais. Tem cauda dupla e não apresenta a nadadeira dorsal.
Surgiu na China, ao que tudo indica, no século XIX, em redor de 1870. Durante esse período, seus olhos eram parcialmente móveis. A partir daí, os japoneses o desenvolveram no início dos anos 1900, através da criação seletiva. Para os japoneses, esta variante é conhecida como Deme-Ranchu.

Este peixe bastante delicado não é recomendado para iniciantes e não gosta de águas muito frias. Tal como o Oranda, possui menor tolerância à má qualidade da água do que outras espécies de kinguios.

Pérola

Seu corpo apresenta formato de ovo e possui uma bonita cauda dupla. Apresenta coloração brilhante, devido às suas escamas serem maiores, muito mais grossas, além de lembrarem pérolas dispostas em filas. Apresenta várias cores, incluindo combinações de vermelho, preto, cálico, chocolate e vermelho/branco. É bastante sensível a temperaturas abaixo de 14 º C. Suas escamas podem cair com manipulação brusca ou após contato com objeto afiado. A exemplo das outras variantes com corpos arredondados, são nadadores lentos, desajeitados e necessitam de águas calmas.

A primeira menção conhecida do seu surgimento é do início do século XX. Foram desenvolvidos em grande parte na Inglaterra, onde eles apareceram pela primeira vez em 1900.

Uma variação do Pearlscale comum é a Crown Pearlscale ou Hamanishiki Crown Pearlscale, que desenvolve um wen semelhante ao observado no oranda.

Pompom

Recebe o nome pelo septo nasal coberto (porção externa do nariz) que se assemelha a pompons. Os kinguios dessa variedade são frequentemente encontrados com dorsal, mas os pompons verdadeiros não as possuem e são uma variante japonesa conhecida como Hanafusa.

Pompons se assemelham ao Cabeça de leão na forma do corpo e das nadadeiras e são mais frequentemente encontrados em branco com manchas laranja. Os “buquês nasais” dos pompons são alvos perfeitos para beliscadelas de outros peixes, por isso devem ser criados com outros da mesma variedade.

Ryukin

O Ryukin foi desenvolvido a partir do Fantail. E como tal, possui corpo mais arredondado.

A corcunda começa na região do pescoço e dá uma aparência mais apurada à cabeça, dando a impressão de que é pequena. Eles também possuem uma cauda mais ampla do que a do Fantail, sendo bifurcada ou dupla.

Por causa do formato do corpo, são propensos a distúrbios da vesícula gasosa.

Podem ser encontrados em várias cores como vermelho, vermelho e branco, tricolor, branco e chocolate. Crescem consideravelmente.

Telescópio

Acredita-se que o Telescópio tenha sido desenvolvido na China, no início dos anos 1700, quando eles foram chamados Dragon Eye Goldfish ou Dragonfish. Mais tarde, naquele século, no Japão, eles receberam o nome de Demekin, que os japoneses mentém até hoje.

Apresenta os olhos bastante saltados, com as pupilas protegidas por um cristalino grosso. O corpo é curto e redondo com uma cabeça larga e cauda de comprimento moderado ligeiramente bifurcada. Hoje, eles também estão disponíveis com longas nadadeiras e alguns outros estilos de cauda.

Possui uma grande variedade de cores, como: vermelho, azul, chocolate ou branco; tricolor e cálico, bem como versões bicolores em vermelho/branco e preto/branco. Suas variantes são o Telescópio Preto (Black Moor) e o preto e branco (Panda Moor). Seus olhos fazem com que eles tenham uma visão deficiente, sendo também sujeitos a lesões e infecções em águas ricas em matéria orgânica.

Cometa

Desenvolvido nos Estados Unidos a partir do kinguio comum, no início do século 19, presumivelmente por Hugo Mullert.

O Cometa e o kinguio comum têm uma forma de corpo quase idêntica. No entanto, as nadadeiras do Cometa são muito mais longas, especialmente a cauda, que é também mais bifurcada.

Essa variante é tipicamente laranja avermelhada, estando disponível também em amarelo, laranja, branco e vermelho ou em combinação bicolor vermelho/branco. É uma das variedades mais resistentes e pode ser mantida em lagos devido a sua natação rápida e tamanho avantajado.

Fantail

Esses peixes possuem corpos arredondados e como tal, natação lenta. Sua característica principal, é a cauda dividida, distinguindo nitidamente dois lóbulos de comprimento médio. Podem ser encontrados em várias cores, sendo o alaranjado o mais comum.

Ranchu

Originou-se na China e foi desenvolvido no Japão no final do século XIX. Com o seu corpo redondo, largo e cabeça grande, também é conhecido como kinguio Cabeça de Búfalo, especialmente na Ásia.

O Ranchu não possui nadadeira dorsal e desenvolverá o wen. Pode ser distinguido do Lionhead pelo seu contorno curvo e muito mais alto nas costas, além disso, sua cauda se ramifica para os lados, muitas vezes sendo quase horizontal, formada por três ou quatro lóbulos.

São encontrados em maior frequência em combinações bicolores.

São vistos também nas cores: vermelho intenso, laranja avermelhado, completamente brancos ou ainda, negros.

Também são delicados, de natação reduzida devido ao formato do corpo e pela ausência da dorsal. Portanto, precisam ser mantidos em águas pouco movimentadas.

Kinguio Véu (Veiltail)

Essa variedade apresenta as maiores nadadeiras entre os Kinguios. A cauda, apesar de dupla, não possui uma bifurcação entre os lóbulos. Pode apresentar muitas cores diferentes, entre elas, lisas ou malhadas. A natação é lenta, devido ao peso das nadadeiras e portanto, não apreciam águas movimentadas e companheiros de variantes de corpos alongados, pois estes nadam rapidamente.
Devido à sua forma muito arredondada, a vesícula gasosa está comprimida no abdome. Além disso, suas longas e delicadas nadadeiras também estão sujeitas a feridas e infecções por fungos e bactérias. Estas características tornam o Véu um kinguio bastante delicado.

O Cauda de Véu foi desenvolvido na Filadélfia no final dos anos 1800, derivado do Wakin japonês, um kinguio de cauda dupla alongada. Na Ásia, eles também são chamados de Long-Finned Man-yu, (vestidos com penas).

Referências:

  • My Aquarium Club – Types Of Goldfish – The Goldie Identification Guide
  • Animal world – Pet and Animal Information
Sobre Rosana Ferreira 8 Artigos
Natural de Rio Claro-SP, iniciou no aquarismo ainda criança, ajudando o irmão mais velho a cuidar de seu aquário. Aos 15 anos, montou seu primeiro aquário sozinha, sem muito sucesso. Teimosa, a partir de então, manteve aquários de várias espécies, especialmente poecílios e anabantídeos. Depois de pequena pausa do hobby, retornou em 2001 com aquário mono espécie de kinguio, espécie pela qual se apaixonou e mantém até o presente. Bióloga por formação, hoje se dedica a pintura de quadros a óleo em tela.

9 Comentário

    • Olá, Bruna ! É um pouco complicado colocar outras espécies com kinguios, que apesar de grandes são bobinhos, tornando-se presa fácil a outros peixes ou mesmo por parâmetros incompatíveis. o Dojo, que é um peixe de fundo pode ser colocado sem problemas. Não recomendo outras espécies porque podem vir a mordiscar as caudas dos kinguios, cascudos podem atacar porque o muco dos kinguios é atrativo para eles e coridoras podem ser comidas pelos kinguios, ficando entaladas em suas bocas matando-os. Então, para evitar problemas, vale a máxima de que kinguio e bom apenas com kinguio.

    • Oi Maria Clara, a carpa prussiana (a que originou os kinguios) pode chegar por volta dos 40 cm. Já o kinguio comum, a primeira variedade descrita no artigo e a mais parecida com a carpa mencionada, fica por volta dos 20 cm.

  1. Olá! Queria saber qual variedade de kinguio fica menor na fase adulta. Já vi em lojas aquários vendendo filhotes e separando em “Kinguio P”, “Kinguio M” e “Kinguio G”.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*