Tricogaster Cobra (Trichopodus pectoralis)

 
Trichopodus pectoralis (Regan, 1910)

Ficha Técnica

Ordem: Perciformes — Família: Osphronemidae

Nomes Comuns: Tricogaster Cobra, Gourami Pele de Cobra — Inglês: Snakeskin gourami

Distribuição: Ásia, bacias do Mekong e Chao Phraya

Tamanho Adulto: 25 cm (comum 15 cm)

Expectativa de Vida: 5 anos +

Comportamento: Pacífico

pH: 6.0 a 8.0 — Dureza: 2 a 30

Temperatura: 23°C a 28°C

Distribuição e habitat

Distribuído na bacia do Mekong no Laos, Tailândia, Camboja e Vietnã, além da bacia Chao Phraya.

Espécie bastante adaptável, ocorre em uma ampla gama de biótopos, no entanto é mais comum ocorrer em águas rasas de fluxo lento ou parada, em meio a densa vegetação marginal e submersa. No baixo do Mekong é conhecido por se deslocar em áreas de florestas inundadas durante estação chuvosa, retornando para corpos de águas permanentes quando o nível da água começa a descer.

Descrição

Pode respirar oxigênio atmosférico através de seu órgão acessório conhecido como labirinto. Este órgão é formado por uma modificação no primeiro arco branquial, altamente vascularizado e ricamente irrigado por vasos sanguíneos, que faz com que o ar passe bem próximo da corrente sanguínea, proporcionando a troca de oxigênio com o sangue por meio de difusão. A estrutura do órgão varia de complexidade entre as espécies, tendendo a ser mais desenvolvido em espécimes que habitam ambiente privado de oxigênio.

É um dos peixes mais resistentes e comum no comércio de aquarismo podendo se adaptar a diversas condições de água. Seu padrão de coloração poderá variar de acordo com o humor do peixe ou local de ocorrência.

Sua carne é de boa qualidade e saborosa, sendo bastante apreciado em seus países nativos, usa-se principalmente para fazer uma sopa de peixe particularmente saborosa. Como resultado, populações selvagens são estabelecidas na Malásia, Filipinas, Cingapura, Indonésia, Papua Nova Guiné, Sri Lanka, Nova Caledônia e Colômbia.

Este Gourami pode produzir ruídos, uma espécie de estalo, especialmente durante a reprodução ou disputas territoriais.

Criação em Aquário

Aquário com dimensões mínimas de 100 cm de comprimento e 40 cm de largura desejável.

Apreciam aquário densamente plantado.

Comportamento

De forma geral é um peixe bastante pacífico que pode ser mantido em aquário comunitário com peixes de mesmo porte. Peixes de menor porte podem ser comidos.

Ao contrário do comportamento de outros Gouramis onde os machos são extremamente territoriais e agressivos entre si, os machos desta espécie são relativamente tolerantes com outros Gouramis no mesmo espaço.

Reprodução

Ovíparo. Macho constrói ninho de bolhas próximo a superfície e costuma coletar e reunir ovos os colocando no ninho. Os pais protegem as larvas até que eclodam e estejam nadando livremente. Ovos eclodem em até 36h dependendo da temperatura.

Dimorfismo Sexual

Os machos desenvolvem nadadeiras dorsais e anais pontiagudas e suas nadadeiras ventrais são laranja ou vermelhas. As fêmeas são mais roliças.

Alimentação

Onívoro. Em seu ambiente natural se alimenta principalmente de plantas terrestres como Ipomoea sp., e Lemna sp., além de algas e outros fitoplânctons. Também se alimenta de invertebrados terrestres e aquáticos, incluindo larvas de insetos, lesmas e aranhas.

Em aquário aceitará prontamente alimentos secos e vivos.

Etimologia: —

SinônimosTrichogaster pectoralis

Referências

  1. Allen, G.R., 1991. Field guide to the freshwater fishes of New Guinea. Publication, no. 9. 268 p. Christensen Research Institute, Madang, Papua New Guinea.
  2. Ang, K.J., R. Gopinath and T.E. Chua, 1989. The status of introduced fish species in Malaysia. p. 71-82. In S.S. De Silva (ed.) Exotic aquatic organisms in Asia. Proceedings of the Workshop on Introduction of Exotic Aquatic Organisms in Asia. Asian Fish. Soc. Spec. Publ. 3, 154 p. Asian Fisheries Society, Manila, Philippines.
  3. Barua, S.P., M.M.H. Khan and A.H.M. Ali Reza, 2001. The status of alien invasive species in Bangladesh and their impact on the ecosystems. p. 1-7. In P. Balakrishna (ed.) Report of Workshop on Alien Invasive species, GBF-SSEA. Colombo. IUCN Regional Biodiversity Programme, Asia, Colombo, Sri Lanka.
  4. Eidman, H.M., 1989. Exotic aquatic species introduction into Indonesia. p. 57-62. In S.S. De Silva (ed.) Exotic aquatic organisms in Asia. Proceedings of the Workshop on Introduction of Exotic Aquatic Organisms in Asia. Asian Fish. Soc. Spec. Publ. 3, 154 p. Asian Fisheries Society, Manila, Philippines.
  5. Juliano, R.O., R.D. Guerrero III and I. Ronquillo, 1989. The introduction of exotic aquatic species in the Philippines. p. 83-90. In S.S. De Silva (ed.) Exotic aquatic organisms in Asia. Proceedings of the Workshop on Introduction of Exotic Aquatic Organisms in Asia. Asian Fish. Soc. Spec. Publ. 3, 154 p. Asian Fisheries Society, Manila, Philippines.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Maio/2018
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 769 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*