Goby Ornado (Sicyopus zosterophorus)

 

Sicyopus zosterophorus  (Bleeker, 1856)

Nome Popular: Goby Ornado — Inglês: Bali goby, Ornate goby

Ordem: Perciformes — Família: Gobiidae (Gobídeos)

Distribuição: Ásia e Oceania

Tamanho Adulto: 4.5 cm

Expectativa de Vida: desconhecido

pH: 6.0 a 7.6 — Dureza: desconhecido

Temperatura: 22°C a 26°C

Aquário Mínimo: 80 cm X 30 cm X 40 cm (96 L) — Exige água bem oxigenada. O substrato deverá ser preferencialmente arenoso e a decoração composta por troncos ou pedras formando cavernas e refúgios.

Comportamento & Compatibilidade: Apresenta comportamento pacífico com outras espécies, sendo os machos bastante territorialistas e agressivos entre si. Deve ser mantido com peixes de porte semelhante e de mesmas exigências.

Alimentação: Em cativeiro precisam de uma variedade de pequenos alimentos vivos ou congelados como Daphnia, Cyclops, bloodworm, larvas de mosquito e camarões. Dificilmente aceitam alimentos secos.

Reprodução: Ovíparo. Observações do comportamento de corte e da desova ocasionais existem, mas até hoje ninguém conseguiu reproduzir a espécie em aquário. Fato atribuível à sua complexa estratégia de reprodução anfídromo, na qual os adultos vivem e desovam em riachos de água doce com as larvas pelágicas pós-nascimento inicialmente passam a primeira parte de sua vida se desenvolvendo em condições marinhas. Quando atingem um certo estágio de desenvolvimento, começam a migrar rio acima, uma jornada que às vezes inclui subidas espetaculares e quedas d’água ou outras obstruções.

Dimorfismo Sexual: Os machos adultos possuem nadadeiras não pareadas relativamente longas e o primeiro raio da nadadeira dorsal é visivelmente maior em comparação com o segundo, enquanto nas fêmeas as nadadeiras não unidas. Machos são mais coloridos com a porção anterior do corpo escura, a porção posterior laranja a vermelho e a iridescência verde na superfície dorsal de alguns indivíduos. Essas cores são intensificadas em espécimes dominantes, especialmente em época de reprodução.

Biótopo: Adultos ocorrem em riachos pequenos e rochosos. O substrato normalmente é rochoso, dispersos de pedras e rochas, enquanto a vegetação ripária e aquática geralmente não estão presentes. Todos os habitats contêm água muito clara e bem oxigenada que, aliada ao sol tropical, facilita o desenvolvimento de superfícies cobertas de biofilme.

Sua morfologia adaptativa faz com que possua uma grande tolerância na variação de salinidade, temperatura, oxigênio dissolvido e turbidez da água.

Etimologia: Sicyopus, do grego, sika, sikya = pepino + grego, pous =

Sinônimos: não possui.

Informações adicionais: Sua distribuição é dada como “Boleling”, norte de Bali, Indonésia’ que parece corresponder a Buleleng moderna, mas a distribuição desta espécie é mais ampla se estendendo para oeste das Ilhas Marquesas (Polinésia Francesa), em grande parte de Vanuatu, Nova Caledônia, Ilhas Salomão, Papua Nova Guiné, Palau, Fiji, Indonésia, Filipinas, Japão, Taiwan e, mais recentemente, sul da China continental.

Os peixes parecem apresentar diferenças no padrão de cor dependendo da localidade, mas estes não foram estudados em detalhes, tanto quanto sabemos.

Os membros deste gênero são habitantes quase exclusivos de pequenos riachos costeiros em ilhas tropicais, muitas vezes vulcânicas, com habitats típicos situados acima de cachoeiras ou cataratas. Isso os torna inacessíveis para a maioria dos peixes, embora outros góbios do gênero Stiphodon frequentemente ocorram simpatricamente, enquanto que os anfídromos Macrobrachium spp. caramujos e neritídeos são os invertebrados mais comuns encontrados.

S. zosterophorus aparentemente é encontrado apenas em cabeceiras de riachos com águas cristalinas, e muitas vezes de alto gradiente e na ilha de Cebu, Filipinas, co-ocorre juntamente com o congênere Sicyopus cebuensismais, Lentipes armatus, Sicyopterus lagocephalus e Stiphodon surrufus, por exemplo.

Referências:

  • Kottelat, M., A.J. Whitten, S.N. Kartikasari and S. Wirjoatmodjo, 1993. Freshwater fishes of Western Indonesia and Sulawesi. Periplus Editions, Hong Kong
  • Allen, G.R., 1991. Field guide to the freshwater fishes of New Guinea. Publication, no. 9. 268 p. Christensen Research Institute, Madang, Papua New Guinea.
  • Kailola, P.J., 1991. The fishes of Papua New Guinea: a revised and annotated checklist. Vol. III. Gobiidae to Molidae. Research Bulletin No. 41, Research Section, Dept. of Fisheries and Marine Resources, Papua New Guinea.
  • Yamasaki, N. and K. Tachihara, 2006. Reproductive biology and morphology of eggs and larvae of Stiphodon percnopterygionus (Gobiidae: Sicydiinae) collected from Okinawa Island. Ichthyol. Res.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Dezembro/2018
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 747 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*