Sardinha (Triportheus nematurus)

 

triportheus-nematurus-sardinha

Triportheus nematurus (Kner, 1858)

Nome Popular: Sardinha — Inglês: desconhecido

Família: Triportheidae

Origem: América do Sul, bacias do Paraguai e Paraná

Tamanho Adulto: 18 cm

Expectativa de Vida: desconhecido

Temperamento: Pacífico

Aquário Mínimo: 100 cm X 40 cm X 50 cm (200 L)

Temperatura: 24°C a 28°C

pH: 6.4 a 7.4 – Dureza: desconhecido

Visão Geral

Espécies do gênero Triportheus Cope, 1872 habitam uma grande variedade de ecossistemas sul-americanos e são amplamente distribuídas, tendo sido registradas desde a bacia do rio do Prata até o Orinoco, com grande representatividade na Amazônia (Goulding, 1980).

Aquário & Comportamento

Sua manutenção em aquário é desconhecido.

Reprodução & Dimorfismo Sexual

Ovíparo. Não existem relatos de sua reprodução em cativeiro.

Alimentação

Onívoro. Alimenta-se de insetos e plantas.

EtimologiaTriportheus; tres tria (grego) = três + portheo (grego) = saco

Referências

  1. Malabarba, M.C.S.L., 1998. Phylogeny of fossil characiformes and paleobiogrography of the Tremembé formation, São Paulo, Brazil. p. 69-84. In Malabarba, L. R., R. E. Reis R. P. Vari, Z. M. Lucena, and C.A.S. Lucena (Eds). Phylogeny and classification of Neotropical fishes. Edipucrs, Porto Alegre. 603 p.
  2. Lima, F.C.T., L.R. Malabarba, P.A. Buckup, J.F. Pezzi da Silva, R.P. Vari, A. Harold, R. Benine, O.T. Oyakawa, C.S. Pavanelli, N.A. Menezes, C.A.S. Lucena, M.C.S.L. Malabarba, Z.M.S. Lucena, R.E. Reis, F. Langeani, C. Moreira et al. …, 2003. Genera Incertae Sedis in Characidae. p. 106-168. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  3. Lucena, C.A.S., 1998. Relaçocões filogenéticas e definição do género Roeboides, Günther (Ostariophysi; Characiformes; Characidae). Comun. Mus. Ciênc. Tecnol. PUCRS, Sér. Zool. Porto Alegre (CMCT), 11:19-59.
  4. Comparação da dieta de duas espécies de Triportheus (Characidae, Triportheinae), em trechos do reservatório de Manso e lagoas do rio Cuiabá, Estado do Mato Grosso – André Beal Galina e Norma Segatti Hahn

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Setembro/2016
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 768 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

2 Comentário

    • Plantas em aquário não sei te dizer, mas peixes muito pequenos podem virar alimento. No geral pude notar que trata-se de uma espécie bastante agitada que pode incomodar peixes menores ou de natação lenta.

       

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*