Refrigerador para Aquários

Por Rosana Ferreira — Dezembro/2018

Essa é uma ideia que já coloquei em prática em ocasiões anteriores, com ótimos resultados. A eficiência depende de alimentar o sistema com gelo no momento adequado para garantir refrigeração sem oscilações. No caso atual, consigo refrigerar 2 aquários, um de 200 e outro de 240 litros, mantendo-os em 24°C. As temperaturas iniciais em ambos era de 29°C.

É possível controlar o resfriamento aumentado a vazão da bomba ou aumentando a quantidade de mangueira em contato com a água fria.

No entanto, é preciso cautela, tendo sempre em mente que o resfriamento deve ser feito lentamente, a fim de evitar o choque térmico e suas consequências.

Produtos utilizados:

  • 1 caixa térmica Colleman 48 QT (45,4 L)
  • 1 Bomba submersa de baixa vazão para a litragem do seu aquário, mantendo na vazão mínima
  • 5 m ou mais de mangueira para a Bomba
  • 1 placa de isopor com 5 cm de espessura

Obs:  * lembrar que o comprimento de mangueira é variável, pois vai depender da distância entre o sistema de refrigeração e o aquário, bem como o comprimento da “serpentina” que ficará dentro da caixa térmica.

1)     Substituir a tampa original por uma de isopor grosso para facilitar o trabalho de passagem das mangueiras e não estragar a tampa de plástico (você precisará dela intacta se um dia for utilizá-la para gelar cerveja, por exemplo).

2)     Veja que, além de acertar o comprimento, deverá depois esculpir o encaixe (como o da tampa original). Para que fique bem vedada.

3)     Com o auxílio de um metal aquecido, faça os furos na tampa de isopor, por onde as mangueiras deverão passar.  Fazer a mangueira sobrar dentro da caixa como se fosse a serpentina de uma chopeira.

4)     Conectar a mangueira a bomba, abastecer a caixa térmica com gelo e água e ligar.

Testes serão necessários para ajustar a velocidade de refrigeração (o ideal é que seja de 0,5°C a cada hora)

O consumo de gelo vai depender do tamanho do aquário e da temperatura inicial da água.

Sobre Edson Rechi 740 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*