Barbo Cereja / Titéia (Puntius titteya)

 

Puntius titteya  Deraniyagala, 1929

Variedade super “red”

Nome Popular: Barbo Cereja/Titéia — Inglês: Cherry barb

Ordem: Cypriniformes — Família: Cyprinidae (Ciprinídeos)

Distribuição: Ásia, bacias de Nilwala e Kelani no Sri Lanka

Tamanho Adulto: 5 cm (comum: 3 cm)

Expectativa de Vida: 3 anos +

pH: 6.0 a 7.6 — Dureza: 5 a 19

Temperatura: 23°C a 28°C

Aquário Mínimo: 60 cm (comprimento) X 30 cm (largura) – a decoração do aquário é indiferente, embora se mostrem mais coloridos quando mantidos em aquário plantado e substrato escuro.

Comportamento: Pacífico e gregário, deve ser mantido no mínimo seis espécimes.

Compatibilidade: Não é um peixe exigente em termos de química da água, podendo ser mantido com a maioria dos peixes mais populares encontrados em lojas de aquarismo.

Alimentação: Onívoro, em seu ambiente natural se alimenta de detritos, algas verdes, diatomáceas, dipteranos e matéria animal. Em aquário aceitará prontamente alimentos vivos e secos.

Reprodução: Ovíparo, similar a outros barbos, após ritual de acasalamento com macho se exibindo para fêmea, ela dispersará ovos livres próximo ao substrato ou entre plantas, que serão fecundados em seguida pelo macho. Larvas eclodem em até 48 horas e nadam livremente após 24 à 48 horas. Pais não exibem cuidado parental e podem comer alevinos.

Dimorfismo SexualOs machos adultos são perceptivelmente menores, mais magros e mais coloridos que as fêmeas, especialmente quando em condições de desova. Algumas linhagens ornamentais parecem ter sido criadas para manter a pigmentação vermelha permanentemente.

Biótopo: Ocorre principalmente em riachos fortemente sombreados, preferindo água rasa e de fluxo lento com substrato de silte e detritos de folhas.

EtimologiaPuntius do bengalês pungti, um termo vernacular para pequenos ciprinídeos. Titteya parece ser um nome vernacular local para o peixe.

Sinônimos: Barbus frenatus, Capoeta titteya, Barbus titteya

Informações adicionais: Endêmico do Sri Lanka, onde está restrito às bacias dos rios Kelani e Nilwala, na “zona úmida” do sudoeste da ilha, além de drenagens menores na área entre elas. 

P. titteya é uma escolha ideal para aquaristas iniciantes e está entre os pequenos ciprinídeos mais onipresentes no hobby. A grande maioria dos peixes à venda é cultivado em cativeiro e várias estirpes ornamentais foram desenvolvidas através de reprodução seletiva, incluindo formas albinas e “super-vermelhas”.

Variedade comum, espécime fêmea

Referências:

  1. Pethiyagoda, R., 1991. Freshwater fishes of Sri Lanka. The Wildlife Heritage Trust of Sri Lanka, Colombo.
  2. Schliewen, U.K., 1992. Aquarium fish. Barron’s Education Series, Incorporated.
  3. Talwar, P.K. and A.G. Jhingran, 1991. Inland fishes of India and adjacent countries. vol 1. A.A. Balkema, Rotterdam.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Junho/2018
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 769 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*