Peixe Vidro de Cauda Vermelha (Prionobrama filigera)

Prionobrama filigera (Cope, 1870)

Nome Popular: Vidro de Cauda Vermelha — Inglês: Glass bloodfin

Ordem: Characiformes — Família: Characidae (Caracídeos)

Distribuição: América do Sul, bacia Amazônica

Tamanho Adulto: 6 cm

Expectativa de Vida: 3 a 5 anos +

pH: 6.0 a 7.4 — Dureza: —

Temperatura: 23°C a 28°C

Aquário Mínimo: 80 cm (comprimento) X 30 cm (largura) desejável — Prefere aquário com bastante plantas formando áreas sombreadas. Mostram-se mais coloridos e ativos quando mantidos em aquário plantado com áreas abertas para natação. Pode-se adicionar raízes e folhas secas (opcional) como decoração.

Comportamento & Compatibilidade: É uma espécie pacífica e gregária que forma hierarquia livre, podendo ser mantido em aquário comunitário com peixes de tamanho diminuto. Será importante manter em cardume com pelo menos 10 espécimes para que mostrem seu comportamento natural e cores mais realçadas.

Alimentação: Onívoro. Analise de conteúdo estomacal indica que se alimenta de resto vegetal, detritos, algas, sementes e insetos e suas respectivas larvas (Diptera e Hymenoptera). Em aquário aceitará prontamente alimentos secos e vivos.

Reprodução: Ovíparo. O macho conduzirá a fêmea liberar os ovos, que serão fecundados e sua maioria irá para o fundo do substrato ou aglomerado de plantas. Eclodem em até dois dias e larvas estarão nadando livremente em até 48 h. Pais não exibem cuidado parental.

Dimorfismo Sexual: Fêmeas são ligeiramente maiores e mais largas que os machos, principalmente na região ventral. Machos adultos apresentam uma espécie de gancho na nadadeira pélvica e seu corpo é retilíneo.

Biótopo: Nenhuma informação disponível. Dada a sua morfologia e comportamento, provavelmente ocorre em riachos e afluentes menores.

Etimologia: —

Sinônimos: Aphyocharax analis, Prionobrama amazonae, Prionobrama amazonae, Prionobrama madeirae, Aphyocharax filigerus

Informações adicionais: Distribuído na bacia do rio Amazonas no Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador e Peru. No Brasil é encontrado na bacia do rio do Acre e afluentes do rio Jurúa, sendo nativo dos estados do Acre, Amazonas e Rondônia.

P. filigera pode ser facilmente distinguido de outro caracídeos similar, Aphyocharax anisitsi, por sua forma de corpo mais alongada e pelo fato de não exibir coloração vermelha nas nadadeiras anal e ventral.

É um peixe bastante rustico e bastante atraente quando mantido em grande cardume.

Referências:

  • Barriga, R., 1991. Peces de agua dulce del Ecuador. Revista de Informacion tecnico-cientifica, Quito, Ecuador, Politecnica
  • Claro-García, A., L.J. Soares Vieira, L.R. Jarduli, V.P. Abrahão and O.A. Shibatta, 2013. Fishes (Osteichthyes: Actinopterygii) from igarapés of the rio Acre basin, Brazilian Amazon.
  • Lima, F.C.T., L.R. Malabarba, P.A. Buckup, J.F. Pezzi da Silva, R.P. Vari, A. Harold, R. Benine, O.T. Oyakawa, C.S. Pavanelli, N.A. Menezes, C.A.S. Lucena, M.C.S.L. Malabarba, Z.M.S. Lucena, R.E. Reis, F. Langeani, C. Moreira et al. …, 2003. Genera Incertae Sedis in Characidae. p. 106-168. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  • Silvano, R.A.M., O.T. Oyakawa, B.D. do Amaral and A. Begossi, 2001. Peixes do alto Rio Juruá (Amazonas, Brasil). Editora da Universidade de São Paulo, Brazil.
  • DIETA NATURAL DE Prionobrama filigera (COPE, 1870) PIABINHA EM MARGEM ALAGADA DO RIO TELES PIRES – SOLANGE APARECIDA ARROLHO-SILVA E FLORACI RAMOS SILVA

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Outubro/2018
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 684 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*