Peixe Folha (Monocirrhus polyacanthus)

 

Monocirrhus polyacanthus (Heckel, 1840)

Foto de Ricardo Kobe (c)

Nome Popular: Peixe Folha, Pirá-cará — Inglês: Amazon leaffish

Ordem: Perciformes — Família: Polycentridae

Distribuição: América do Sul, bacia do rio Amazonas no Peru, Brasil, Bolívia, Colômbia e Venezuela

Tamanho Adulto: 10 cm

Expectativa de Vida: 10 anos +

pH: 5.0 a 6.8 — Dureza: água mole

Temperatura: 24°C a 30°C

Aquário Mínimo: 80 cm comprimento X 30 cm largura — aquário deverá ter preferencialmente iluminação fraca a moderada, com bastante plantas de folhas grandes como Echinodorus e troncos formando refúgios. Substrato preferencialmente escuro e arenoso com bastante folhas para poder se camuflar. O fluxo de água deve ser fraco.

Comportamento & Compatibilidade: Pode ser criado sozinho ou em grupo. Comerá qualquer peixe que couber em sua boca, devendo ser mantido em aquário mono espécie ou com peixes de tamanho similar e comportamento pacífico.

Alimentação: Carnívoro. Possuem uma boca protrátil que auxilia na captura de presas, se alimentando principalmente de peixes e crustáceos. Em cativeiro dificilmente aceita alimentos secos.

Reprodução: Ovíparo. Fêmea deposita de 300 a 600 ovos na parte inferior de superfície de folhas ou raízes e o macho fertiliza imediatamente. Os ovos são pequenos, amarelados e adesivos. Três dias depois os alevinos eclodem e ficam aderidos por um pequeno filamento.

Dimorfismo Sexual: Praticamente inexistente, com exceção em época de reprodução onde a fêmea fica mais gorda quando está cheia de ovos.

Biótopo: Ocorre em ambientes lênticos de águas escuras ricas em ácidos húmicos e tânicos produzidos pela grande quantidade de troncos e folhas em decomposição caídas no rio.

Etimologia: Monocirrhus: do grego, mono = um + latim, cirrus = ondulação

Sinônimos: Monocirrhus mimophyllus

Informações adicionais: No brasil pode ser encontrado nos estados do Amapá, Amazonas, Pará e Rondônia.

Peixe mimético de formato e comportamento que lembra uma folha caída a flutuar na água, daí seu nome comum. De cor acastanhada e um barbilho semelhante a um pedúnculo sob a boca, se move entre as folhas e troncos devorando presas desprevenidas com sua boca protrátil.

Possui coloração que varia de amarelo intenso ao marrom escuro, e utiliza seu formato e postura corporal similar à de folhas secas, como camuflagem e proteção contra predadores, e para capturar as suas presas.

Polycentridae é uma pequena família dos Acanthopterygii, formado apenas por quatro gêneros válidos, todos monotípicos: os africanos Afronandus e Polycentropsis, e os sul americanos Monocirrhus e Polycentrus.

Monocirrhus pode ser distinguido facilmente do Polycentrus pela presença de um filamento mandibular e pela nadadeira caudal quase totalmente coberta por escamas. Além de que o Monocirrhus possuir a borda do osso lacrimal e pré-opercular lisos, enquanto que o Polycentrus possui serras na borda ventral do lacrimal e do pré-opercular.

Referências:

  • Britz, R. and S.O. Kullander, 2002. Polycentridae (Leaffishes). p. 603-604. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  • Mills, D. and G. Vevers, 1989. The Tetra encyclopedia of freshwater tropical aquarium fishes. Tetra Press, New Jersey.
  • Romero, P., 2002. An etymological dictionary of taxonomy. Madrid, unpublished.
  • Camargo, M., Giarrizzo, T., & Carvalho Júnior, J. 2005. Levantamento ecológico rápido da fauna ictica de tributários do Médio-baixo Tapajós e Curuá. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi
  • Barriga, R. 1991 Peces de agua dulce del Ecuador. Revista de Informacion tecnico-cientifica, Quito, Ecuador, Politecnica,
  • Monocirrhus polyacanthus em Floresta do Norte

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Agosto/2021
Colaboradores (collaboration): —

Sobre Edson Rechi 915 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*