Rasbora Ruby (Paedocypris progenetica)

 

Paedocypris progenetica (Kottelat, Britz, Tan & Witte, 2006)

Foto de Ikan Pemburu (c)

Nome Popular: Ruby Rasbora

Ordem: Cypriniformes — Família: Cyprinidae (Ciprinídeos)

Distribuição: Sudeste Asiático, Indonésia.

Tamanho Adulto: 0.8 a 1.0 cm

Expectativa de Vida: desconhecido

pH: ~3.4 a 4.5 — Dureza: desconhecido

Temperatura: 22°C a 28°C

Aquário Mínimo: 40 cm (comprimento) X 30 cm (largura) — Prefere aquário com plantas formando áreas sombreadas. Mostram-se mais coloridos e ativos quando mantidos em aquário plantado com áreas abertas para natação. Pode-se adicionar raízes e folhas secas (opcional) como decoração.

Comportamento & Compatibilidade: Espécie pacífica e gregária que forma hierarquia livre, devendo ser mantido em aquário mono espécie devido seu tamanho diminuto. Será importante manter em cardume com pelo menos 10 espécimes para que mostrem seu comportamento natural e cores mais realçadas. Devido seu tamanho diminuto se torna ideal para aquário plantado ou de camarões ornamentais.

Alimentação: Sua alimentação natural é desconhecida, presumivelmente se alimenta de larvas de insetos, pequenos vermes e crustáceos.

Reprodução: Ovíparo. Sua reprodução em cativeiro é desconhecida, presume-se que seja similar dos pequenos ciprinídeos. Depositam ovos aleatoriamente em folhas ou outros objetos e não ocorre cuidado parental.

Dimorfismo Sexual: Desconhecido.

Biótopo: Ocorre em riachos e afluentes em meio a densa vegetação aquática. A água possui tonalidade marrom devido a presença de taninos e outras substâncias químicas liberadas pela matéria orgânica em decomposição. O substrato é arenoso e composto com folhas caídas e raízes. Tais ambientes caracteristicamente contêm água macia, extremamente ácida e são pouco iluminados devido à densa vegetação marginal e aquática. O pH pode variar entre 3.0 a 4.0 nestes ambientes.

Etimologia:

Sinônimos: Não possui.

Informações adicionais: Considerado um dos menores vertebrados do mundo, atualmente ficando atrás somente do sapo Paedophryne amauensis e do peixe Photocorynus spiniceps.

Esguio e transparente, o peixe vive em pântanos altamente ácidos de Sumatra e na parte malaia de Bornéu, ambientes ameaçados pela silvicultura e pela agricultura.

Possui crânio que deixa o cérebro exposto. Pressões evolutivas fizeram o peixe desenvolver nadadeiras altamente modificadas para sobreviver neste ambiente especial. Os machos também possui uma estrutura em frente à cintura pélvica, que pode ser usado para ajudá-los a se prender sobre as fêmeas durante o acasalamento.

O menor espécime adulto descoberto foi uma fêmea de Paedocypris progenetica madura, encontrada em Sumatra, medindo apenas 7,9mm do nariz à cauda. A equipe de cientistas também descobriu uma espécie similar ao Paedocypris progenetica, o Paedocypris micromegethes, encontrado em Sarawak, no Bornéu malaio, com 8.8 mm de tamanho.

Foto: Maurice Kottelat (c)
Foto de Aquaristikhaus (c)

Referências:

  • Kottelat, M., R. Britz, H.H. Tan and K.-E. Witte, 2005. Paedocypris, a new genus of Southeast Asian cyprinid fish with a remarkable sexual dimorphism, comprises the world’s smallest vertebrate. Proc. Royal Soc. Biol. Sci.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Janeiro/2019
Colaboradores (collaboration): —

Sobre Edson Rechi 747 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*