Barbo Xadrez (Oliotius oligolepis)

Oliotius oligolepis (Bleeker, 1853)

Espécime macho adulto

Nome Popular: Barbo Xadrez — Inglês: Checkered barb

Ordem: Cypriniformes — Família: Cyprinidae (Cyprinídeos)

Distribuição: Ásia, Sumatra e Indonésia

Tamanho Adulto: 5 cm

Expectativa de Vida: 5 anos +

pH: 5.5 a 7.5 — Dureza: < 10

Temperatura: 18°C a 26°C

Aquário Mínimo: 80 cm (comprimento) X 30 cm (largura) – a decoração do aquário é indiferente, embora se mostrem mais coloridos quando mantidos em aquário plantado e substrato escuro.

Comportamento: Normalmente bastante pacífico . É uma espécie gregária por natureza devendo ser mantido pelo menos seis espécimes. Mantê-los em numeroso cardume resultará em uma exibição de seu comportamento natural e cores mais realçadas.

Compatibilidade: Pode ser mantido em aquário comunitário com peixes de porte semelhante.

Alimentação: Alimenta-se de vermes, pequenos crustáceos, insetos e material vegetal. Em aquário aceitará prontamente alimentos secos e vivos.

Reprodução: Ovíparo, similar a outros barbos, após ritual de acasalamento com macho se exibindo para fêmea, ela dispersará ovos livres próximo ao substrato ou entre plantas, que serão fecundados em seguida pelo macho. Larvas eclodem em até 48 horas e nadam livremente após 24 à 48 horas. Pais não exibem cuidado parental e podem comer alevinos.

Dimorfismo Sexual: Os machos adultos são perceptivelmente menores, mais magros e mais coloridos do que as fêmeas, sendo este último mais perceptível nos indivíduos nupciais.

Biótopo: desconhecido.

Etimologia: Oliotius, nome da combinação espécie oligolepis (‘Olio‘) e parte do nome de seu antigo gênero Puntius (‘tius‘). Oligolepis, do grego antigo olígoi, que significa ‘poucos’ e lepís que significa ‘escama de peixe’.

Sinônimos: Puntius oligolepis, Capoeta oligolepis

Informações adicionais: Aparentemente endêmico do centro-oeste de Sumatra, na Indonésia, mas a sua distribuição não totalmente é clara. Cultivado comercialmente em grande número, com exemplos selvagens raramente, ou nunca, disponíveis.

Espécime juvenil

Referências:

  1. Kottelat, M., 2013. The fishes of the inland waters of Southeast Asia: a catalogue and core bibliography of the fishes known to occur in freshwaters, mangroves and estuaries. The Raffles Bulletin of Zoology 2013 (Suppl. 27)
  2. Mills, D. and G. Vevers, 1989. The Tetra encyclopedia of freshwater tropical aquarium fishes. Tetra Press, New Jersey.
  3. Kottelat, M., A.J. Whitten, S.N. Kartikasari and S. Wirjoatmodjo, 1993. Freshwater fishes of Western Indonesia and Sulawesi. Periplus Editions, Hong Kong.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Julho/2018
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 661 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*