Venustus (Nimbochromis venustus)

 

Nimbochromis venustus (Boulenger, 1908)

Foto: Virginie Torrecillas (c)

Nome Popular: Venustus

Ordem: Perciformes — Família: Cichlidae (Ciclídeos)

Distribuição: Lago Malawi

Tamanho Adulto: 25 cm

Expectativa de Vida: 8 anos +

pH: 7.8 a 8.6 — Dureza: –

Temperatura: 24°C a 28°C

Aquário Mínimo: 150 cm comprimento X 50 cm largura — Para manter um harém com um macho e diversas fêmeas considere aquário com pelo menos 150 cm de comprimento, para aquário comunitário mínimo de 200 cm. O aquário para a espécie, assim como para a maioria dos ciclídeos africanos, deverá conter inúmeras rochas formando um paredão rochoso para se refugiarem e demarcarem território. Deixe algum espaço livre para nadarem.

Comportamento & Compatibilidade: Tem forte tendência a ser agressivo com peixes de formato e coloração semelhante. Deve ser mantido com peixes de mesmo porte ou maiores. É uma espécie solitária em seu ambiente natural, portanto, não há necessidade de ser mantido em haréns como ocorre com outros ciclídeos africanos.

Alimentação: Carnívoro. Em seu ambiente natural é um predador de emboscada se alimentando de pequenos ciclídeos. Permanece imóvel na sua toca na areia até que as presas estejam ao seu alcance. Em aquário aceita facilmente alimentos secos e vivos, devendo ser fornecido alimentos ricos em proteínas.

Reprodução: Ovíparo. O acasalamento ocorre num local escolhido previamente pelo casal e o macho atrai a fêmea num ritual de movimentos. A fêmea depositará os ovos no solo e o macho fertilizará em seguida. Incubadores bucais, a fêmea guardará os ovos na boca até que eclodam e estejam nadando livremente.

Dimorfismo Sexual: Macho é ligeiramente maior e exibe uma coloração mais chamativa do que as fêmeas, mostrando coloração azul na cabeça, que se intensifica em época de reprodução, tal como o amarelo na parte superior da cabeça, nadadeira dorsal e parte anal.

Biótopo: Ocorre em regiões arenosas, em águas abertas e nas proximidades de zonas rochosas, onde encontram presas menores. Pesquisadores observaram a imitar como morto, ou até mesmo se enterrar parcialmente na areia, e depois alimentar-se de peixes pequenos assim que se aproximam.

Etimologia: Nimbochromis, latim, nimbus = tempestuoso, chuvoso + grego, chromis, um peixe. Venustus, Do latim “venustus” = bonito, gracioso, elegante.

Sinônimos: Haplochromis simulans, Cyrtocara venusta, Haplochromis venustus

Informações adicionais: Como mencionado, é um predador de emboscada na natureza, muitas vezes encontrado imóvel em meio a estruturas rochosas, matagais de plantas ou no fundo do lago.

Sedentário e muitas vezes se fingindo de morto, esta adaptação é conhecida como tanatose. Em outros animais serve como meio defensivo, enquanto no peixe é adaptado para meios ofensivos. Quando um peixe menor tenta se aproveitar da situação e investir contra o suposto cadáver, será engolido. A coloração amarela na cabeça e nadadeira dorsal serve como atrativo para suas presas.

Pertence a um grupo conhecido comumente como ciclídeos pavões (Peacock cichlid) ou Haps. Como todo ciclídeo pavão, possui coloração extraordinária que só é demonstrada após cerca de um a dois anos de vida.

Referências:

  • Maréchal, C., 1991. Protomelas. p. 387-393. In J. Daget, J.-P. Gosse, G.G. Teugels and D.F.E. Thys van den Audenaerde (eds.) Check-list of the freshwater fishes of Africa (CLOFFA). ISNB, Brussels; MRAC, Tervuren; and ORSTOM, Paris.
  • Snoeks, J. and J. Manuel, 2004. The genus Nimbochromis Eccles & Trewavas, 1989. p. 57-85. In Snoeks, J. (ed.) The cichlid diversity of Lake Malawi/Nyasa/Niassa: identification, distribution and taxonomy. Cichlid Press, El Paso, USA
  • Konings, A., 1990. Ad Konings’s book of cichlids and all the other fishes of Lake Malawi. T.F.H. Publications, Inc.
  • Comunidade Ciclídeos.com

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Setembro/2020
Colaboradores (collaboration): —

Sobre Edson Rechi 831 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*