Red Terror (Mesoheros festae)

 

Mesoheros festae (Boulenger, 1899)

Nome Popular: Terror Vermelho — Inglês: Red Terror, Guayas cichlid

Ordem: Perciformes — Família: Cichlidae (Ciclídeos)

Distribuição: América do Sul, Rio Esmeraldas no Equador e seus afluentes e do Peru no Rio Tumbes

Tamanho Adulto: 40 cm (comum: 25 cm)

Expectativa de Vida: 8 anos

pH: 6.6 a 8.0 — Dureza: 4 a 18

Temperatura: 24°C a 29°C

Aquário Mínimo: 100 cm de comprimento X 40 cm de largura — considere um aquário deste porte para um casal formado. O aquário deve contar preferencialmente com várias rochas e raízes, além de substrato arenoso e macio. Plantas não irão prosperar, uma vez que costumam fazer buracos no substrato.

Comportamento & Compatibilidade: Ciclídeo agressivo e voraz devendo ser mantido preferencialmente em aquário mono-espécie. Se pretende manter em aquário comunitário, certifique-se de criar  junto com ciclídeos igualmente agressivos e peixes de maior porte, além do aquário possuir bastante espaço (600L +).

Alimentação: Onívoro. Naturalmente alimentam-se de crustáceos e pequenos peixes, por vezes de frutas e sementes que caiam na água. Em aquário devem ser alimentados com granulados específicos para ciclídeos predadores de grande porte e comida congelada.

Reprodução: Ovíparo. Fêmeas escavam diversos buracos no substrato, onde depositam os ovos. Estes eclodem ao fim de 3 a 4 dias. Após a eclosão os progenitores mudam os alevinos para grutas – é de onde ganham o nome de “cave breeder”. Ocorre cuidado parental.

Dimorfismo Sexual: O dimorfismo sexual é evidente com machos sendo maiores que as fêmeas, com coloração verde clara a iridescente. Fêmeas possuem coloração vermelho com seis a oito listras verticais pretas bastante evidentes.

Biótopo: Ocorre em vários biótopos, desde pequeno a rios de médio porte.

Etimologia: —

Sinônimos: Heros festae, Cichlasoma festae, Herichthys festae, Nandopsis festae

Informações adicionais: Seu nome comum “Red Terror” deriva de sua personalidade forte e agressiva e forte coloração vermelha da fêmea. Em época de reprodução é um dos ciclídeos mais atraentes, devido cores chamativas que apresentam.

Pode ser confundido com o Ciclídeo Maia (Cichlasoma urophthalmus), mas facilmente distinto pelo ocelo localizado próximo ao seu pedúnculo caudal. Enquanto festae apresenta o ocelo de tamanho menor, este está localizado levemente na parte superior do pedúnculo caudal, enquanto em urophthalmus o ocelo é maior e ocupa o centro do pedúnculo caudal.

Ambas as espécies possuem listras verticais pretas, porém todas barras verticais presentes em uropthalmus são distantes uma da outra, enquanto em festae as duas primeiras listras próximo a cabeça se unem formando um Y. Quando adultos a coloração vermelha/laranja é muito mais vibrante em festae em contraste com a coloração vermelho/rosado pálido em urophthalmus.

Referências:

  • Kullander, S.O., 2003. Cichlidae (Cichlids). p. 605-654. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  • Stawikowski, R. and U. Werner, 1998. Die Buntbarsche Amerikas, Band 1. Verlag Eugen Ulmer, Stuttgart, Germany, 540 p.
  • Romero, P., 2002. An etymological dictionary of taxonomy. Madrid, unpublished.
  • Mesoheros festae por Bruno Peixoto (Ciclídeos.com)

Ficha por (Entered by): Edson Rechi
Maio/2016 — Atualizado em Agosto/2018
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 769 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

4 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*