Melafix caseiro

Por Rosana Ferreira — Agosto/2017

Melaleuca (gênero botânico) é uma planta medicinal arbustiva nativa da Austrália, utilizada amplamente pelos nativos há mais de cem anos.

Temos as espécies Cajeput (Melaleuca leucadendrosis), Niaoli (Melaleuca quinquenervia) e a Melaleuca alternifolia, todas possuindo propriedades medicinais muito semelhantes, no entanto, Cajeput é irritante para a pele, sendo por isso, menos disponibilizada para a comercialização.

Normalmente, o mais fácil de ser encontrado é o óleo da M. alternifolia.

Árvore de Melaleuca alternifolia em seu ambiente natural (Wardell, Austrália). Foto de Essentially Australia

O óleo extraído de suas finas folhas possui propriedades antibacteriana, cicatrizante, antifúngica e anti-inflamatória, o que o torna uma das substâncias mais eficazes que a natureza pode nos oferecer.

Sua atividade antimicrobiana de amplo espectro consiste em um mecanismo principal de ação que atua provocando danos nas membranas das células, causando a morte dos organismos patogênicos.

Sem dúvida, é um bom item que devemos ter em nossa farmácia de aquarista, já que é muito eficaz para a cicatrização de ferimentos em geral, recuperação de nadadeiras roídas por bactérias ou ataques de outros peixes, Pop eye, olhos embaçados, fungos na boca e nos olhos. Aumenta o apetite e a energia do peixe.

Flor de Melaleuca alternifolia. Foto de Essentially Australia

Outro ponto importante é que não prejudica as bactérias do filtro, não altera o pH e a coloração da água, sendo bastante seguro para os peixes e plantas. Possui também um odor característico muito agradável.

O Melafix comercial não está mais disponível para nós, mas podemos fazê-lo em nossa casa utilizando:

  • Óleo de Melaleuca – encontrado em farmácias de produtos naturais, em frascos de 10 ml
  • Etanol 70% (100 ml) – encontrado em algumas farmácias de manipulação.
  • Água destilada ou filtrada para completar o volume da solução para 1 litro.

Apenas misture todos os componentes, na ordem: óleo, etanol e água.

O frasco a receber a solução deverá ser escuro e esterilizado com água fervente, a fim de evitar que o medicamento seja contaminado com fungos ou outro organismo. É necessária uma embalagem escura, pelo fato de que óleos essenciais são sensíveis à luz e sofrem degradação com a mesma. Na falta de um frasco âmbar, você pode encapar o vidro com papel-alumínio ou guardar o frasco dentro de um armário escuro.

Óleo de Melaleuca

No momento do uso, apenas agite. A dose a ser utilizada é a mesma do Melafix comercial, ou seja, 5 ml para cada 40 litros de água, por 7 dias consecutivos. A dose calculada deve ser adicionada diariamente no aquário durante esse período, efetuando-se uma TPA de 50% ao término do tratamento. Não esquecer também de retirar do filtro o Purigen e o carvão ativado, para que estes não absorvam o medicamento.

Importante: Caso tenha Betta e outros Anabantídeos (Gourami, Colisa, Tricogáster, Peixe paraíso, entre outros), que fazem respiração de ar atmosférico via órgão labirinto, é sugerido que se utilize metade da dose recomendada. Principalmente se mantidos em pequenos aquários ou ambientes de baixa circulação de água, uma vez que a medicação utilizada poderá criar uma película na superfície da água, podendo prejudicar as brânquias e órgão labirinto do peixe.

* Órgão labirinto: órgão comum em peixes Anabantídeos formado por uma modificação no primeiro arco branquial, altamente vascularizado e ricamente irrigado por vasos sanguíneos, que faz com que o ar passe bem próximo da corrente sanguínea, proporcionando a troca de oxigênio com o sangue por meio de difusão. A estrutura do órgão varia de complexidade entre as espécies, tendendo a ser mais desenvolvido em espécimes que habitam ambiente privado de oxigênio.

Sobre Rosana Ferreira 8 Artigos
Natural de Rio Claro-SP, iniciou no aquarismo ainda criança, ajudando o irmão mais velho a cuidar de seu aquário. Aos 15 anos, montou seu primeiro aquário sozinha, sem muito sucesso. Teimosa, a partir de então, manteve aquários de várias espécies, especialmente poecílios e anabantídeos. Depois de pequena pausa do hobby, retornou em 2001 com aquário mono espécie de kinguio, espécie pela qual se apaixonou e mantém até o presente. Bióloga por formação, hoje se dedica a pintura de quadros a óleo em tela.

10 Comentário

  1. Adorei.
    Preciso reparar uma vazamento de perda de água no meu tanque de cimento que utilizo para criadouro de peixes. Posso utilizar algum impermeabilizante que não seja nocivo?

  2. Olá, Gilvan! Sim, claro! Em grupos voltados ao laguismo há indicações de qual utilizar. sugiro que faça uma pesquisa nesses grupos, a fim de obter o produto correto.

    • Ricardo, desculpe a demora na resposta. Desde que seja armazenado em frasco escuro e mantido em lugar arejado e fresco, pode ser utilizado por até 1 ano.

  3. PREZADA ROSANA
    QUERO USAR MELAFIX EM UM AQUARIO EM QUE TENHO KINGUIOS,MATO GROSSO E CASCUDO
    ISSO SERIA POSSIVEL, COMO FAÇO TECNICAMENTE ESSA UTILIZAÇAO GRATOS

  4. Olá, Ariovaldo
    Sim, pode usar sem problema. A dosagem é 5 ml para cada 40 litros, sendo que essa dose deve ser colocada diariamente por 7 dias consecutivos. Ao final desse tempo, proceda uma TPA de 40% a fim de retirar o excesso de medicamento. Antes de iniciar o tratamento, retire o carvão ativado ou o Purigen do filtro, para que o medicamento não seja absorvido por eles. Ao final do tratamento, retorne as midias filtrantes.

  5. Oi Rosana
    Obrigado pela receita.
    Tenho ouvido muito falar no uso de folhas de catapa (Terminalia catappa) na água como preventivo contra certas doenças e para a proteção de alevinos. Procede tal informação?
    Obrigado

    • Olá, Eduardo !
      O uso da catapa vem de difundindo no meio aquarístico (principalmente por criadores de Bettas) como bactericida e fungicida e por oferecer outros benefícios aos peixes, além de diminuir o pH e fazer o efeito black water. No entanto, é preciso alguns cuidados ao escolher as folhas e utilizar de maneira correta. Sinceramente, não conheço seu uso aplicado em aquário de alevinos.

  6. Rosana
    Estou com dificuldade para encontrar água destilada nas farmácias. Consegui comprar um litro da água desmineralizada, mas no frasco diz para não ingerir e manter longe do alcance de crianças e animais. Diz também;
    “Utilização em autoclaves (…) Agua obtida por meio de tradamento de troca ionica”. Estou com com receio de usá-la.

  7. Renato, boa noite. Na dúvida, melhor não! Também não sei se poderia causar algum efeito nos peixes. A água destilada é indicada por não conter bactérias e fungos que venham a contaminar a solução. Há pessoas que fervem a água filtrada e utilizam sem problema.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*