Bluefin killifish (Lucania goodei)

 
Lucania goodei (Jordan, 1880)

Ficha Técnica

Ordem: Cyprinodontiformes — Família: Fundulidae (Fundulídeos)

Nomes Comuns: Bluefin killifish

Distribuição: América do Norte, em toda a Flórida exceto Panhandle

Tamanho Adulto: 6 cm (comum: 3 cm)

Expectativa de Vida: 2 anos

Comportamento: pacífico

pH: 6.6 a 7.4 — Dureza: 5 a 20

Temperatura: 12°C a 22°C

Distribuição e habitat

Endêmico dos Estados Unidos, distribuído em toda a Flórida, exceto Panhandle. Ocorrência de populações ao longo da costa Atlântica até o norte da Carolina do Sul onde possivelmente foi introduzido. Encontrado também no sudeste do Alabama, em drenagens do rio Chipola.

Ocorre em meio a densa vegetação em lagoas e riachos com pouca ou nenhuma correnteza. Pode sobreviver em salinidade moderada, bem como ambientes com baixo índice de oxigênio, onde utiliza sua boca voltada para cima para respirar oxigênio atmosférico.

Descrição

Não é uma espécie popular devido ao desinteresse geral por peixes norte americanos no aquarismo. No entanto é uma espécie adequada para aquários, sendo resistente, pacífico e com cores bastante chamativas.

Seu corpo é alongado com uma listra escura que vai do nariz, através do olho, até o pedúnculo caudal. As nadadeiras dorsal e anal apresentam coloração azulada com manchas vermelhas.

Não é um peixe sazonal, ao contrário de outros killifishes.

Criação em Aquário

Aquário com dimensões mínimas de 30 cm de comprimento e 20 cm de largura desejável.

O aquário deverá possuir bastante plantas para o peixe de esconder, além de áreas abertas para nadar.

Bastante tímido, se assusta facilmente. Razão pela qual deverá tampar bem o aquário.

Comportamento

De comportamento extremamente pacífico, pode ser mantido em casal ou sozinho.

Machos são territorialistas e frequentemente disputam território, porém as disputas são inofensivas quando mantido em aquário de porte maior (100 litros +)

Reprodução

Ovíparo. Sua reprodução em cativeiro é desconhecida, acredita-se que seja similar a de outros Killis. Produzem até 200 ovos.

Fêmea na parte superior e macho na inferior respectivamente

Dimorfismo Sexual

O macho apresenta nadadeira dorsal e anal com coloração azul. Nas fêmeas, a coloração nas nadadeiras está ausente.

Alimentação

Onívoro, essencialmente insetívoro. Em seu ambiente natural se alimenta basicamente de pequenos insetos e suas larvas.

Em aquário aceitará prontamente alimentos secos e vivos.

Etimologia: Lucania, em alusão a província italiana de Lucania, próximo do golfo de Tarento.

Sinônimos: não possui

Referências

  1. Able, K.W., 1984. Cyprinodontiformes: development. p. 362-368. In American Society of Ichthyologists and Herpetologists. Ontogeny and systematics of fishes, based on an international symposium dedicated to the memory of E.H. Ahlstrom, 15-18 August 1983, La Jolla, California. Spec. Publ. Am. Soc. Ichthyol. Herpetol. (1):1-760.
  2. Nelson, J.S., E.J. Crossman, H. Espinosa-Pérez, L.T. Findley, C.R. Gilbert, R.N. Lea and J.D. Williams, 2004. Common and scientific names of fishes from the United States, Canada, and Mexico. American Fisheries Society, Special Publication 29, Bethesda, Maryland. ix, 386 p. + 1 CD.
  3. Page, L.M. and B.M. Burr, 1991. A field guide to freshwater fishes of North America north of Mexico. Houghton Mifflin Company, Boston. 432 p.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Março/2017
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 769 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*