Linguado de rio (Catathyridium jenynsii)

Catathyridium-jenynsii2

Catathyridium jenynsii (Günther, 1862)

Nome Popular: Linguado, Solha, Arumaçá — Inglês: não possui

Família: Achiridae (Achiridíeos)

Origem: América do Sul, bacia do Paraná e Uruguai

Tamanho Adulto: 24 cm (comum: 15 cm)

Expectativa de Vida: 5 anos +

Temperamento: Pacífico

Aquário Mínimo: 80 cm X 30 cm X 40 cm (96 L)

Temperatura: 22°C a 28°C

pH: 6.0 a 8.0 – Dureza: 4 a 12

Visão Geral

Sua distribuição ocorre em rios do sudeste e sul do Brasil. Habita exclusivamente águas continentais.

Morfologicamente, seu corpo é bastante oval, fortemente comprimido e coberto por escamas ctenóides, eriçadas na cabeça, e cirros em ambos os lados, estando os cirros escuros evidentes no lado ocular, que é o direito. Boca subterminal dirigida para baixo, formando um arco. Sua linha lateral geralmente é arqueada acima do opérculo, continuando reta até a nadadeira caudal. Nadadeira peitoral apenas no lado ocular. Destaque-se por apresentar os dois olhos num dos lados do corpo quando adulto.

Apresentam forte associação com o tipo de sedimento do substrato em que habitam, sendo encontrados em fundos arenosos, vasosos, substratos com grandes quantidades de carbonatos, em bancos de areia, mas raramente sobre fundo de pedras.

Aquário & Comportamento

Aquário deverá possuir iluminação fraca a moderada com substrato arenoso que lhes permite se enterrar e ficar somente com os olhos visíveis. Do ponto de vista estético o aquário não precisará de muitos adornos como plantas, raízes e afins.

É uma espécie pacífica e predadora. Embora há relatos de sucesso de sua criação em aquário comunitário com peixes de médio porte pacíficos, se faz melhor quando criado em aquário mono-espécie.

Reprodução & Dimorfismo Sexual

Ovíparo. Nunca foi criado em cativeiro. Em seu ambiente natural se reproduzem durante todo o ano. Os alevinos são essencialmente planctivoros e seus olho esquerdo migra para o lado oposto quando adulto. Possui crescimento bastante lento.

Alimentação

Carnívoro e Zooplanctívoro variando a fase de seu desenvolvimento. É um alimentador noturno que dificilmente aceitará alimentos secos, devendo ser fornecido pequenos peixes, filés, lulas e camarões, além de alimentos alternativos como artêmias vivas, minhocas e microvermes.

EtimologiaCatathyridium (Grego), kata = inferior + grego, diminutivo, thyreos = uma grande pedra usada como porta ou escudo.

Catathyridium-jenynsii

Referências

  1. Ramos, R.T.C., 2003. Achiridae (American soles). p. 666-669. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  2. Romero, P., 2002. An etymological dictionary of taxonomy. Madrid, unpublished.
  3. Benedito-Cecilio, E., A.A. Agostinho and R.C.C.-M. Velho, 1997. Length-weight relationship of fishes caught in the Itaipu Reservoir, Paraná, Brazil. Naga ICLARM Q. 20(3/4):57-61.
  4. Mudanças morfológicas no trato digestório e composição da dieta de larvas e juvenis do linguado catathyridium jenynsii no reservatório de Itaipu, rio Paraná, Brasil – Ariane F. de Lima; Maristela C. Makrakis; Michele de F. Gimenes; Sérgio Makrakis; Patrícia S. da Silva ; Lucileine de Assumpção

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Maio/2016

Colaboradores (collaboration): –

 

Sobre Edson Rechi 740 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*