Killifish (Kryptolebias ocellatus)

 
Kryptolebias ocellatus (Hensel, 1868)
Espécime macho

Foto cedida por It Rain Fishes

Ficha Técnica

Ordem: Cyprinodontiformes — Família: Rivulidae (Rivulídeos)

Nomes Comuns: Não possui

Distribuição: América do Sul; áreas estuarinas da costa atlântica

Tamanho Adulto: 6 cm

Expectativa de Vida: 3 anos

Comportamento: pacífico

pH: 7.0 a 7.6 — Dureza: desconhecido

Temperatura: 18°C a 24°C

Distribuição e habitat

Distribuído em áreas estuarinas da costa atlântica no Brasil, Guiana Francesa e Venezuela.

No Brasil pode ser encontrado nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo.

Foto cedida por It Rain Fishes

Descrição

Em 2011, Costa estabeleceu K. caudomarginatus como sinônimo de K. ocellatus, se tornando um binomial inválido.

Em um estudo envolvendo análises genéticas (microsatélites), mostraram que a espécie Kryptolebias ocellatus, encontradas na regiões de mangues com água doce (do Rio de Janeiro a Santa Catarina) também é uma espécie de fertilização externa. Foi provado que 97% dos indivíduos da espécie são geradas de maneira solitária, ou seja, um único indivíduo se auto-fecunda. Analisando K. caudomarginatus e K. brasiliensis, não foram encontradas nenhuma evidência de auto-fecundação entre elas, apenas em K. ocellatus.

Esses resultados indicam que a origem da auto-fecundação provavelmente surgiu no ancestral comum das duas espécies, o clado marmoratus-ocellatus, sendo estimado em cerca de 2 milhões de anos atrás, através das sequências de DNA e microsatélites mitocondrial. (Fonte: Nature Planet)

Espécime fêmea

Criação em Aquário

Aquário com dimensões mínimas de 30 cm de comprimento e 20 cm de largura desejável.

São encontrados em água salobra. Embora tolerem água doce, devem ser mantidos preferencialmente em água levemente salobra em aquário (1.005 a 1.010).

Comportamento

Em geral apresenta comportamento pacífico, exceto machos que são agressivos e territorialistas entre si.

Deve-se evitar criar em aquário comunitário.

Reprodução

É um killifish não anual. Seus ovos são grandes (2 mm) e eclodem entre duas a três semanas.

Atingem a maturidade sexual entre cinco e sete meses de idade.

Dimorfismo Sexual

Machos são maiores e mais coloridos, apresentam nadadeiras mais compridas e ventre retilíneo. Fêmea é menor com o ventre mais roliço, além de cores mais pálidas e nadadeiras mais curtas.

Alimentação

Onívoro, em seu ambiente natural alimenta-se de vermes, crustáceos e insetos.

Em cativeiro aceitará alimentos secos e vivos sem dificuldades. Fornecer alimentos vivos regularmente como artêmias, daphnias, enquitréias e larvas de mosquitos.

Etimologia: —

Sinônimos: Rivulus ocellatus

Referências

  1. Costa, W.J.E.M., 2004. A new killifish genus and species from the coastal plains of north-eastern Brazil (Teleostei: Cyprinodontiformes: Rivulidae). Zootaxa
  2. Radda, A.C., 2004. Description of a new species of the rivuline genus Rivulus Poey, 1869 (Rivulidae, Osteichthyes) from Rio Caura, Bolivar State, Venezuela. Ann. Naturhist. Mus. Wien (105 B):21-25.
  3. TATARENKOVA, A.; LIMA, S.M.Q.; TAYLORr, D.S.; AVISE, J. C. Proc Natl Acad Sci USA 106:14456-14459, 2009.
  4. Kryptolebias ocellatus, (Seegers, 1984) em It Rains Fishes

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Outubro/2017
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 769 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*