Kinguios: Perguntas & Respostas

Por Rosana Ferreira & Solange Nalenvajko (Agosto/2016)

kinguio00

Quando iniciamos, seja no aquarismo em si ou em uma modalidade de aquarismo diferente daquela a que estamos habituados ou mesmo na manutenção de peixes que nunca tivemos antes, as dificuldades e dúvidas sempre surgem. Com kinguios não é diferente. Na maioria das vezes as questões são simples como a escolha do aquário, do filtro, população e composição da fauna, alimentação, reprodução e comportamento, entre outras. Partindo deste ponto, selecionamos as perguntas e dúvidas mais comuns de quem está iniciando com a espécie, procurando responde-las de maneira simples e concisa. Para aqueles que já convivem com os gordos há algum tempo, há sempre a possibilidade de que este pequeno apanhado de informações não traga novidade alguma, e isto não deixa de ser bom. Para os que estão começando, esperamos sinceramente que este seja apenas o ponto de partida de uma agradável e prazerosa caminhada no conhecimento deste peixinho milenar.

1. Quem sou eu?

Todas as variantes de kinguios (Carassius auratus) que conhecemos hoje descendem de uma carpa selvagem originária da China e conhecida como carpa Gibel ou crucian carp. Cada variante é decorrente de mutações genéticas fixadas através de cruzamentos seletivos ao longo do tempo, técnicas que ganharam bastante impulso no Japão a partir de 1950.

Os primeiros registros sobre a espécie ocorreram entre as dinastias Chun (265-419 dC) e Tang (618-907 dC) na China.  Os primeiros exemplares chegaram ao Japão (Sakai) a partir de 1502, ao continente europeu a partir de 1611 (através de Portugal) e finalmente ao continente americano a partir de 1850.

2. Tenho dois kinguios, um telescópio, um cometa e um cálico!

Solange. Certo, então você tem cinco kinguios. Telescópio, cometa, oranda, cabeça de leão, celestial, pom pom, bolha, etc, etc, são todos variantes da mesma espécie (kinguio). Já cálico não se refere a uma variante, mas sim a uma coloração.

3. Qual o pH ideal?

Rosana. Kinguios se desenvolvem melhor em um intervalo de pH entre  7.2 e 7.5. Fora deste pH o peixe terá uma expectativa de vida menor por causa de estresse fisiológico, sendo mais vulnerável a doenças e tendo, portanto, seu organismo prejudicado.

kinguio05

4. Posso colocar outros peixes junto com kinguios?

Rosana. Apenas o dojô (Misgurnus anguillicaudatus). Kinguios são lentos e outros peixes podem ataca-los, bem como a suas longas caudas. Peixes menores são facilmente presas deles e, em alguns casos, a “refeição” pode ficar presa em sua garganta, impedindo-o de comer e provocando a morte. Muitas pessoas gostam de colocar cascudos em seus aquários para que façam a limpeza de limo e algas, mas com o tempo eles podem atacar os kinguios e muitos desses ataques são fatais, pois eles comem o muco que protege a pele e até mesmo o tecido.

Outros companheiros não recomendados são os peixes cardumeiros de natação rápida como os matogrossos (Hyphessobrycon eques), que acabam beliscando as caudas dos kinguios e criando ferimentos que propiciam infecções por fungos e bactérias.

Finalmente, carpas (Cyprinus carpio) são peixes compatíveis em parâmetros mas que não devem ser criadas em aquários. São peixes de grande porte e, portanto, adequadas para lagos somente. É preciso ter em mente que apesar do corpo grande, os kinguios são muito pacíficos e não reagem a ataques de outros peixes.

Solange. Já mantive (e por circunstâncias muito específicas ainda mantenho dois) kinguios com coridoras sem que nunca houvesse um único problema, até ano passado. Não entendi exatamente o que houve, mas o fato é que uma fêmea cometa engoliu um coridora e ficou com ele entalado na boca. O grande problema – caso também dos otos – é que coridoras têm o primeiro raio da nadadeira dorsal e peitorais rígidos que “cravam” na boca do predador não permitindo que ele engula ou solte a presa, o que pode levar ambos à morte. Se quiser sossego para você e segurança para os peixes, prefira um aquário mono-espécie.

5. Qual o tamanho ideal do aquário?

Rosana.  Kinguios necessitam de aquários grandes, pois são peixes de água fria. Isso quer dizer que seu metabolismo requer uma quantidade maior de oxigênio dissolvido na água do que os peixes tropicais. A fórmula usada para calcular a população de kinguios de modo que vivam confortavelmente é a seguinte:  cem litros para o primeiro kinguio e mais quarenta litros para cada um que adicionar.  É preciso se lembrar de que os peixes que você compra na loja irão crescer e caso o aquário venha a sofrer uma superlotação a qualidade da água decairá, criando condições para o surgimento de doenças ou até mesmo a morte dos peixes por conta de altos índices de amônia, nitritos e nitratos.

Solange. Pense sempre em animais adultos, que podem atingir um tamanho entre quinze e trinta centímetros, conforme a variante. É preciso proporcionar espaço tanto para a natação como para um crescimento saudável.  Das várias indicações que existem gosto muito de uma que é a que adoto, indico a outros aquaristas e que é a mesma da Rosana: cem litros para o primeiro kinguio e quarenta litros a mais para cada kinguio subsequente. Para espécies como cometa ou comum, que possuem natação ágil e rápida, torna-se importante também priorizar o comprimento do aquário.

kinguio03

6. Qual o melhor filtro para um aquário de kinguios?

Rosana.  Kinguios necessitam de uma boa filtragem, pois produzem muita matéria orgânica. O ideal é que seja de dez vezes o volume do aquário. Canisters e sumps são recomendados pelo grande número de mídias que comportam, facilitando assim a manutenção da qualidade da água.

Perlon deve ser colocado como linha de frente a fim de evitar que os resíduos maiores alcancem as mídias e entupam seus poros. Seguidamente, o carvão para a filtragem química (adsorção de substâncias nocivas, mas que não inclui amônia e nitratos) e por último as mídias biológicas ( anéis de cerâmica ou esferas de vidro sinterizado). Nesta última é onde as bactérias específicas formarão colônias sendo que tais colônias são as responsáveis pelo processamento de toda carga de matéria orgânica secretada pelos peixes, processo esse conhecido como Ciclo do Nitrogênio. O sucesso desse ciclo está intimamente relacionado com a boa qualidade da água.

Sendo os kinguios, peixes que produzem grande quantidade de dejetos, uma boa filtragem é de grande importância para seu bem estar.

Solange. Algo que vejo com frequência e não aconselho é o uso de filtros hang on. O limitante deles é a quantidade de mídia biológica que comportam, pouca para dar contar de manter um aquário de kinguios com amônia e nitrito zerados. Prefira investir bem para investir uma vez só. Atenção também na hora de comprar mídias biológicas. Algumas (como as de vidro sinterizado) são muito mais eficientes que outras.

7. Com qual freqüência deve-se fazer TPA e qual o volume que deve ser trocado?

Rosana.  Normalmente deve ser feita semanalmente e não mais do que 30% do volume total (mais do que isso, corre-se o risco de descartar muito da biologia que fica em suspensão), lembrando sempre que a água nova precisa ter o mesmo pH e temperatura da água do aquário. Obrigatório também é o uso de um condicionador ou anticloro, sendo que o condicionador neutraliza também metais pesados eventualmente presentes na água de reposição. Testes para pH, amônia, nitrito e nitrato devem ser usados para  definir a freqüência das TPAs e fora isso, devem ser efetuados pelo menos uma vez na semana pois assim, caso haja alguma alteração, os peixes ficarão pouco tempo sob sua ação.  Recomenda-se que a TPA seja acompanhada de sifonagem, a fim de garantir a remoção do excesso de dejetos e outros detritos. Muito cuidado com os utensílios a serem usados na TPA (principalmente baldes), para que não contenham resíduos de produtos de limpeza ou outros produtos tóxicos. Recomendável que haja utensílios separados exclusivamente para uso no aquário.

8. Qual o melhor substrato para aquário de kinguios?

Rosana.  Devem-se evitar pedregulhos que caibam em suas bocas, já que kinguios são peixes pastadores, ou seja, reviram o fundo em busca de comida.  Facilmente podem engolir pequenos pedregulhos, causando ferimentos e engasgamentos. Areia grossa é uma boa opção, já que não causa ferimentos na boca dos peixes e não é leve o suficiente para se manter em suspensão com a “pastagem”, o que turvaria a água. Muito cuidado também com rochas usadas na decoração. Evite rochas pontiagudas que podem machucar os peixes, principalmente em época de desova.

Solange. Outra vantagem de substratos mais finos como areia é que todos os detritos permanecem sobre ela, facilitando a retirada via sifonagem. Cascalho, por ser bem maior, permite que fezes, restos de ração, folhas em decomposição, entrem entre as pedrinhas e se acumulem no aquário. A sifonagem é mais imperfeita e sempre haverá uma constante de matéria orgânica presente para ser decomposta e que se transformará em amônia, nitrito e nitrato.

Outro substrato bastante usado é o basalto. Nunca utilizei porque acho pontiagudo e tenho receio que cause ferimento na boca dos kinguios. Por outro lado, também nunca li qualquer relato sobre isto, desabonando seu uso. Evite as famosas “pedrinhas coloridas”.

kinguio06

9. Qual a melhor ração para alimentar meus kinguios?

Rosana.  Prefira rações próprias para a espécie e que afundam. Rações em flocos podem ser dadas, desde que umedecidas antes para que afundem. Isso é necessário para evitar problemas de bexiga natatória (provocados muitas vezes por ingestão de ar junto com alimentos flutuantes), tão comuns na espécie.  Um item que identifica uma ração de boa qualidade é o extrato etéreo, ele não deve ser superior a 6%. Há ótimas rações importadas em forma de grânulos, sticks, crisps e pérolas que oferecem nutrição equilibrada. Variações devem ser feitas, para assegurar que recebam sempre todos os nutrientes. Kinguios que recebem sempre a mesma ração por longo tempo acabam por apresentar carência de algum elemento. Rações para Kois também podem ser fornecidas, desde que o tamanho dos grãos/sticks seja adequado.

Evite rações destinadas a outras espécies ou de baixa qualidade, pois estas normalmente não são bem digeridas pelo organismo provocando maior quantidade de fezes, levando a doenças de fundo fisiológico e finalmente comprometendo a qualidade da água. Kinguios são peixes onívoros (ou seja, alimentam-se de vegetais e pequenos animais aquáticos), mas devido a particularidades de seu aparelho digestório, têm maior propensão a uma dieta herbívora.

10. Como posso variar a dieta?

Rosana.  Ervilhas frescas cozidas devem ser oferecidas duas a três vezes na semana, para prevenir problemas de bexiga natatória. As ervilhas a serem oferecidas devem ser as congeladas, vendidas em saquinhos, a fim de evitar produtos com conservantes.  Separe uma pequena quantidade, cozinhe em água fervente por cinco minutos, deixe esfriar, retire a casca, amasse ou corte em pequenos pedaços e ofereça, duas por kinguio no máximo, pois tem efeito laxante.

Proteína extra pode ser oferecida uma vez na semana através de alimentos como blood worms, artêmias e dáfnias, desde que seja comprovada sua boa procedência, a fim de evitar que introduzamos patógenos, principalmente parasitas intestinais em nossos aquários. Tenébrios, gamarus e insetos maiores devem ser evitados por conta do tamanho e da quantidade excessiva de gordura que possuem.

Evite também rações de engorda. São muito carregadas de gordura, ocasionando uma doença conhecida como “fígado gordo”, levando o peixe a morte.

Rações específicas para realçar a coloração costumam ser mais pesadas do que as demais e devem, portanto, ser fornecidas em menor quantidade. Espinafre cozido, algas (marinhas ou outras) devem ser fornecidos em forma de ração (Spirulina), misturados a ela ou como petisco. Rações que contenham alho em sua fórmula ou adição de extrato de alho na ração devem ser utilizados, já que alho aumenta a imunidade e combate parasitas intestinais.

Solange. Outros alimentos de origem vegetal que podem ser oferecidos são pepino, agrião, alface (crus), couve flor, brócolis (cozidos). Alguns têm aceitação melhor que outros, depende do paladar de seus kinguios. Plantas como elódea e lentilha d’água também são opções.

De origem animal, larvas de besouro do amendoim também podem ser incluídas, mas com parcimônia, já que são ricas em gordura. Finalmente, há também os patês feitos em casa, cujas receitas são conseguidas facilmente na internet.

11. Qual a quantidade de ração que deve ser fornecida e quantas vezes por dia?

Rosana. Existe uma regrinha que podemos utilizar a fim de não errar na quantidade: dar o suficiente para ser consumido em cinco minutos.  Peixes não têm saciedade, portanto o dono é quem precisa controlar o quanto comem, sob pena de sobrecarregar a filtragem, comprometer a qualidade da água e provocar doenças.  A comida pode ser distribuída duas a três vezes ao dia.

12. Qual a melhor temperatura  para os kinguios?

Rosana.  O ideal fica entre 18°C e 26°C. Tão importante quanto a temperatura é evitar oscilações muito bruscas, pois isso compromete a imunidade dos peixes deixando-os vulneráveis a doenças. Quando a temperatura se aproxima dos 30°C é preciso aumentar a oxigenação. Não toleram águas muito quentes.

Solange. Quanto mais alta a temperatura menor a quantidade de oxigênio dissolvido na água, por isso a necessidade de aumentar a aeração. Temperaturas elevadas aceleram o metabolismo, aumentam o apetite e contribuem para a diminuição da expectativa de vida. Temperaturas baixas desaceleram o metabolismo, levando o peixe à inapetência e letargia.

kinguio02

13. Kinguios precisam de aquecimento no inverno?

Rosana.  O aquecedor com termostato se faz necessário quando em regiões de oscilação de temperatura muito bruscas entre o dia e a noite ou locais onde o inverno apresenta temperaturas abaixo dos 15°C.

Solange. Considere este equipamento como um item de segurança que beneficiará seus peixes. Mantê-los em um intervalo de temperatura confortável significa inclusive a prevenção de certas doenças oportunistas como o íctio.

14. Um de meus kinguios está sendo perseguido por vários outros, por quê?

Rosana.  Trata-se do ritual de acasalamento. A fêmea é perseguida por vários machos, a fim de efetuar a postura dos ovos. Eles a pressionam com seus corpos, a fim de fazer com que expulse os ovos, que são imediatamente fecundados.

Solange. Kinguios também não apresentam nenhum cuidado parental. Comerão tanto os ovos como as larvas que encontrarem no aquário.

15. Como posso identificar machos e fêmeas?

Rosana.  Só na época da reprodução é possível identificar com segurança.  Machos possuem seus corpos mais delgados no abdômen, nadadeiras peitorais grossas e ásperas e alguns apresentam pequenas protuberâncias brancas  sobre o opérculo ( a região que recobre as brânquias) , conhecidas como “órgãos de pérola” e indicam que o macho está sexualmente maduro. No entanto, os indivíduos de algumas variantes não os apresentam. Além disso, o orifício anal é abaulado (para dentro).

As fêmeas são mais roliças, possuem nadadeiras peitorais delicadas e finas e o orifício anal para fora, formando um pequeno biquinho.

Solange. E o mais evidente: machos perseguem, fêmeas são perseguidas.

16. Qual a época de reprodução dos kinguios?

Rosana.  Fim no inverno/início da primavera estendendo-se por todo o verão, mas não é raro que ocorra desova por todo o ano se as condições estiverem ideais (alimentação, qualidade da água e boa imunidade).

16a. Como posso conseguir uma ninhada?

Rosana.  Plantas de raízes longas, flutuantes, podem ser colocadas no aquário no momento da desova. A fêmea desovará nessas raízes e logo após a desova a planta deverá ser retirada e colocada em outro aquário para a eclosão dos ovos em três dias, aproximadamente. Ovos fungados (adquirem uma cor branca leitosa) devem ser retirados. Uma TPA deve ser feita após a desova, pois muita matéria orgânica é dispensada na água e pode alterar parâmetros.

Solange. Caso não encontre ou não queira usar plantas flutuantes, uma boa opção é confeccionar uma bruxinha, estratégia bastante usada em desovas de killifishes.

16b. Os ovos eclodiram, como alimentar as larvas?

Rosana.  Nos três primeiros dias não é preciso alimentá-los, pois se alimentam da reserva protéica do saco vitelino em seus ventres. Decorrido esse período, o melhor é alimentá-los com infusórios contidos na então chamada água verde. Para fazê-la, pegue um pouco de água do aquário e coloque pedaços de folha de alface em um pote de vidro, deixe ao sol por algumas horas, mas não deixe que a água fique demasiadamente quente. A água irá ficando turva e após o terceiro dia se tornará cristalina. Coloque um foco de luz pequeno em um ponto do pote e verá uma concentração de pontos brilhantes se formarem. Com uma seringa, colete a água nesse ponto e ofereça aos alevinos.  Musgo de Java também pode ser colocado no “berçário” para que os alevinos se alimentem da rica microfauna presente em seus ramos.

Após dez dias já podem ser alimentados com gema de ovo cozida e aos vinte e cinco dias podem receber ração triturada ou ainda ração em pó específica para alevinos. Náuplios de artêmia também podem ser oferecidos. Devem ser alimentados no mínimo quatro vezes ao dia.

Atenção com a qualidade da água, pois a alimentação freqüente contribui para degradá-la. TPA diária com sifonagem é recomendada. Para isso use uma mangueirinha de compressor com um pedaço de meia calça velha preso na ponta, evitando assim que algum alevino seja sugado.

Solange. Segundo Rodrigo Mabilia, é importante observar que as necessidades alimentares são diferentes segundo a fase de vida do peixe. Para kinguios adultos e juvenis a faixa ideal de proteína bruta (PB) é de 30%, enquanto que para larvas chega a 53%.

17. O que é bexiga natatória?

Rosana.  É uma bolsa epitelial, responsável pela flutuação do peixe. É muito vascularizada, de modo que os gases podem se difundir para dentro ou para fora dela de acordo com a necessidade. Essa bolsa epitelial possui uma comunicação com o esôfago através de uma estrutura designada canal pneumático, permitindo que ocorram ajustes de flutuação pela saída ou entrada de ar através do trato digestivo.

No entanto, esse mecanismo ocasiona alguns problemas, principalmente nas variantes cujo formato do corpo é mais globoso, já que por causa disso os órgãos ficam mais comprimidos no abdômen.

18. Como diagnosticar problemas de bexiga natatória?

Rosana.  O peixe fica o tempo todo boiando, normalmente de barriga para cima, não consegue nadar e chega ao fundo com muita dificuldade. Também pode ser ao contrário, ficar no fundo sem conseguir subir à superfície.  A anatomia é apontada como causa mais comum de distúrbios da bexiga natatória nos kinguios, uma vez que o canal pneumático se entope por ação dos alimentos devido ao fato de os órgãos estarem comprimidos.  Por isso é sempre bom umedecer os alimentos secos, para que se expandam antes de serem consumidos, evitando assim impactos no canal pneumático. Ervilhas também previnem esse processo.

Há processos inflamatórios e infecciosos que podem levar a esse distúrbio ou ainda, quedas bruscas de temperatura, fazendo com que o órgão se paralise, perdendo o peixe a capacidade de controlar sua flutuação.

kinguio04

19. Como socorrer meu kinguio com problema de bexiga natatória?

Rosana.  Primeiro, prepare um aquário hospital com coluna d’água baixa, não ultrapassando três vezes a altura do peixe na posição normal. Dilua em recipiente separado uma colher de sopa rasa de sal grosso ou sal amargo para cada vinte litros e adicione à água do hospital. Use um compressor e pedra porosa e cuide para que não haja oscilações bruscas de temperatura. Coloque o peixe e não o alimente por três dias e, decorrido esse período, alimente-o com ervilhas frescas cozidas, apenas uma ou duas no máximo. Faça TPAs diárias de 30% a fim de controlar a amônia e reponha a quantidade de sal perdida com a TPA. O tempo de recuperação é variável, dependendo unicamente do peixe. Alguns necessitam de apenas algumas horas de tratamento já outros precisam de dias.

Solange. Apenas um alerta. Há vários vídeos mostrando uma técnica de perfuração da bexiga natatória para extração do ar contido nela, o que permitiria ao peixe voltar a nadar normalmente. Se você não tem conhecimento sobre a anatomia do peixe e segurança absoluta do que faz, não faça. O benefício pretendido talvez nem seja alcançado, com prejuízo ainda maior para o animal.

20. Meu kinguio está mudando de cor, isto é normal?

Solange. Normal, não se preocupe. É bastante comum basicamente em kinguios jovens. O exemplo clássico é aquele telescópio que você trouxe da loja pretinho igual a um veludo e, depois de alguns meses em seu aquário, fica completamente alaranjado.

Rosana. A alimentação também pode influir nesse processo. Rações para realçar coloração ou a base de artêmias/camarão podem fazer manifestar os tons laranja e avermelhados em kinguios de outras cores e cuja linhagem não seja pura, conforme exemplo citado pela Solange.

21. E plantas dão para colocar no aquário?

Solange. Este parece ser o eterno ponto polêmico. Eu posso dizer que é possível sim porque tenho aquários montados desta forma desde 2010. Há algumas coisas a se considerar para fazer esta composição. A primeira é que nem todas as plantas são adequadas, algumas serão consideradas como almoço mesmo. A segunda é não esquecer que kinguios são curiosos, portanto, vão sim “desplantar” aquelas que não estiverem bem enraizadas, beliscar para verificar se podem servir ou não como refeição e às vezes simplesmente picar uma determinada planta em pedaços P-M-G sem nenhum motivo aparente. Tudo isto acontece.

Como mencionado em um artigo do Rafael G. Moulin, o segredo para manter plantas em aquário de kinguios é boa alimentação (lembrando que kinguios são onívoros com tendência herbívora), plantas adequadas e, invariavelmente, uma dose de paciência. Nem sempre as plantas mantidas em um aquário serão mantidas em outro com o mesmo sucesso, a muito de tentativa e erro neste processo. E apenas para constar, uma situação em que ocorre grande dano às plantas são as desovas, seja pela reprodução em si, seja pelo fato dos kinguios tentarem (com sucesso) retirar os ovos aderidos a elas.

Rosana. Eu realmente nunca consegui conciliar planta com a espécie, embora tenha feito de tudo para tornar isso possível.  As únicas que consegui manter foram as Anubias e as Sagittarias.

Resumindo, os segredos para manter kinguios saudáveis são simples: alimentação em quantidade adequada e de boa qualidade, água de boa qualidade e respeito para com as necessidades da espécie.  Dedicação é tudo e com certeza eles agradecerão com a exuberância de suas cores, longevidade e desenvolvimento de belas características.

Sobre Rosana Ferreira 8 Artigos
Natural de Rio Claro-SP, iniciou no aquarismo ainda criança, ajudando o irmão mais velho a cuidar de seu aquário. Aos 15 anos, montou seu primeiro aquário sozinha, sem muito sucesso. Teimosa, a partir de então, manteve aquários de várias espécies, especialmente poecílios e anabantídeos. Depois de pequena pausa do hobby, retornou em 2001 com aquário mono espécie de kinguio, espécie pela qual se apaixonou e mantém até o presente. Bióloga por formação, hoje se dedica a pintura de quadros a óleo em tela.

62 Comentário

  1. Eu adquiri faz uns 2 meses 2 kinguios Red Cap. Acontece que 1 deles comçou a perder a cor vermelha da cabeça e está ficando todo branco. Isso é normal? A princípio pensei que fosse um fungo, mas fora o fato da cabeça ter desbotado ele está normal, comendo e brincando com o outro comapnheiro(a) normalmente. A cor da cabeça que o identifica como RED CAP volta ou deixou de ser um RED CAP?

    • Olá Yoichi, é normal que kinguios juvenis mudem de cor. Normalmente o processo é rápido e pode estar relacionado com a genética. Quase sempre a coloração não volta ao que era, pode ocorrer ainda outra mudança antes de adquira sua coloração definitiva. Continue observando, se ele continuar saudável e se alimentando como relata, não há problema algum.

    • olá menina… red caps são orandas que tem o wen vermelho, se mudou de cor acho improvável que retorne, imagino que esteja amarelo claro, rosado ou mesmo branco. e que deve estar lindo!! Relaxa mudança de coloração as vezes acontece… Agora vou te falar… que sorte, heim? comprou um red cap e acabou levando um oranda branco

  2. O qie pode ter sido , perdi 4 kinguios sintomas ( n tinha força para nadar , a correnteza que levava ele pra lá e cá , n se alimentava direito , foi morrendo aos poucos e todos os 4 foram assim )

    • Ola Sidnei, Não da para ter certeza apenas com a descrição que fez, mas me parece problema de bexiga natatória. É comum nos kinguios e geralmente está ligado a alimentação inadequada. Em muitos desses casos, é possível reverter, no entanto, há outros provocados por alterações anatômicas, onde o peixe pode chegar a óbito. É preciso ver as condições do aquário e tipo de alimentação para dar um diagnóstico seguro. Ab

  3. Tenho um aquário sextavado com capacidade de 30 litros,é um aquário pequeno. Qual especie ou espécies de peixe (água doce) seriam indicados para esse tipo de aquário, de preferência resistentes pois já errei ao adquirir kinguios pois necessitam de aquários maiores.

    • Oi Stellla! Exato, kinguios necessitam de aquários maiores. Um aquário de 30 litros realmente é pequeno, você pode optar por 2 bettas fêmeas, ou ainda um único macho. Outra opção seria uns 4 Tanicts e 4 coridoras, que ajudam a manter o substrato limpo. Outra opção seria um cardume de paulistinhas (5 ou 6). Coloque plantas naturais como Cabomba, Elodea, Valisnéria, fica muito bonito, Não se esqueça também que é preciso um termostato para que os peixes não sofram agora no inverno. Espero ter ajudado! 🙂

  4. Tenho 1 peixe Kinguio, 2 peixes cascudos e um aquário de 30 litros. Depois que troquei da ração Alcon Colour em flocos para Alcon Goldfish Colour granulada os peixes cascudos começaram a comer o kinguio depois de 3 semanas com a nova ração. As vezes alimentava os peixes com a ração em flocos.
    O que aconteceu? Tem algo a ver com a ração? Esse comportamento é normal do cascudo?

    • Monica, conforme informado no artigo acima, seu aquário não comporta kinguios. Aquários para kinguios devem ter no mínimo 100 litros, para manter 2 exemplares no máximo (eles são peixes que devem ser mantidos em companhia de outros exemplares da mesma espécie devido sua natureza). Eles são peixes de água fria, por isso requerem maior taxa de oxigênio na água e seu metabolismo produz grande quantidade de dejeto, por isso, também acompanha a necessidade de um filtro bem robusto. Cascudos são campeões em ataques a kinguios, já que seu muco é atrativo para eles, não tem nada a ver com a ração, foi coincidência. Os ataques realmente começam do nada. Então, recomendo que, caso queira ficar com kinguio, além de providenciar um aquário adequado, que doe os cascudos. Outra dica, procure melhores marcas de ração, como Tetra, Sera, Tropical,que são mais equilibradas, fazendo com que os peixes produzam menos desejos e sejam melhor nutridos, sendo que os cascudos devem receber ração de fundo e o kinguio, uma ração específica para ele.

  5. Eu tenho um telecospio que ele ta parado la emcima de barriga para baixo, daqui a pouco ele volta a nadar.Ele as vezes nada ate o fundo so que depois pra subir eele fica parado na vertical.Qual poderia ser o problema dele?

    • Oi Paola, não sei se entendi o problema, ele nada desequilibrado, é isso ? kinguios frequentemente tem problemas na bexiga natatória, porque nela se acumulam gases. Isso acontece na maioria das vezes por causa da ração. Se esse for mesmo o problema, deixe sem comer por 2 dias, depois, alimente com ervilhas frescas cozidas (aqueles que vedem no mercado, congeladas de saquinho). Cozinhe elas por uns 5 minutos, tire a pele, dê uma amassadinha e ofereça, mas não muito. Faça isso por alguns dias, ele deve voltar ao normal. Depois que ele melhorar, ofereça rações para kinguios nas marcas Tetra, Sera, JBL ou Tropical, intercale bastante entre elas. Continue com as ervilhas 3 vezes por semana.

  6. Tenho 3 telescopios filhotes num aquario de 70 litros. Vi q precisarei um aquário maior. Mas nesse momento o q me preocupa é que estão mais preguiçosos. As vezes ficam parados no fundo e outras na coluna d’agua.
    Fiz TPA ha 4 dias, e hj depois de ler q bolhas e peixe ofegante e parado podo ser excesso de amônia, fiz TPA novamente. Ai me veio uma questão; será que 4 corais mortos no aqúario e q está provocando essa situação? Na dúvida os retirei.
    Não tenho plantas naturais e uso um filtro desses com uma fibra branca e carvão ativado, no tpa de hj os troquei tbm.
    Ps.: Ainda não tenho o kit de medir a amônia, irei providenciar.
    Desde já, obrigada

    • Boa noite, Janaina! Quantos centímetros tem os filhotes aproximadamente? Dependendo do tamanho deles, o pico de amônia é provocado pelo fato de que o filtro não esteja dando contra da quantidade de amônia produzida por eles. Se os corais mortos já são antigos, creio que não são eles os causadores.

  7. Olha tenho 3 kinguios e 3 carpas em uma caixa de agua de 350L, olhei que dois dos meus kinguios possou esse wen esse chapelzinho que os orandas tem. So que nos meus sao bem menores, eles podem ser considerados orandas ? Um e o red cap eu sei que ele e um oranda, mas os outros doid nao comprei sendo oranda e possoi um pouco desse wen. Gostaria de manda uma foto ou um video deles. Outra duvida oque e como si trata aquelas veias vermelhas que as vezes aparecem na cauda dos kinguios ? Geralmente em kinguios brancos.

    • Olá Matheus! Pode ser que seus orandas sejam ainda jovens. O wen demora para crescer uns 2 anos, há kinguios em que ele não fica muito grande, depende muito da genética ou então, são mestiços orandas, podendo ou não desenvolver um pouco de wen. Mas pode me mandar uma foto deles! Quanto as veias vermelhas, elas podem ser causadas por amônia ou nitrito elevados (falta de TPA ou filtragem ineficiente), temperatura muito alta ou ainda, uma infecção bacteriana. Verifique os parâmetros da caixa para ver se estão todos corretos. Com o tempo , as carpas precisarão ir para um lago, porque se mantidas por muito tempo em pequenos espaços, atrofiam e frequentemente morrem.

  8. Olá. Tenho dois peixes telescópio bem jovens em um aquário pequeno, que será trocado em breve para melhor comportá-los. Um deles parece que ficou doente, pois só fica no fundo do aquário escondido e retraído, sem nadar e sem comer, respirando aparentemente com dificuldade. Notei um leve esbranquiçado nos olhos também. O outro peixinho está normal e serelepe. Fiz teste de cloro, amônia, ph, nitritos e nitratos e estão em níveis normais. A temperatura fica entre 26 e 28 graus. O que pode ser? Se eu precisar tratar com remédios devo separá-los ou é seguro colocar para os dois no aquário principal?

    Desde já agradeço.

    • Olá Fausto! Se possível coloque uma foto, esses sintomas são comuns a muitas doenças. Quando diz que os parâmetros estão normais significam que amônia e nitrito estão zerados e o pH em torno de 7.2 a 7.4? Por enquanto, aumente a aeração do aquário já que 29°C particularmente é muito quente para eles.

      • Oi Rosana. Sim, fiz o teste e os níveis estavam zerados e o PH adequado. Cloro zero também. Fiz de tudo para baixar a temperatura com ventiladores, mas aqui está muito quente e nada conseguiu fazer ficar abaixo de 26º. Infelizmente ele morreu ontem. A outra continua bem fisicamente. Fim de semana vamos providenciar o aquário maior e substituir o filtro de placa que estava sendo usado por um tipo canister mais eficiente. Vamos substituir também as pedrinhas do fundo do aquário por areia, pois além de dificultar a limpeza fico pensando na possibilidade de ele ter engolido uma pedrinha pequena e isso ter ficado preso nele, ou machucado por dentro, não sei. De qualquer modo obrigado pela resposta e espero que isso possa ajudar quem estiver lendo os comentários.

        • Bom dia, Fausto ! Realmente, é uma possibilidade ter engolido alguma pedrinha pequena, uma vez que eles fuçam o substrato o tempo todo atrás de comida. Muito bom adquirir um canister, que é muito mais eficiente do que placas biológicas de fundo. Quanto ao substrato, use cascalho de rio n°2, que é mais pesado que a areia e eles não engolem, areia grossa também fica bom. Parabéns por todas as substituições que está fazendo, certamente os peixes agradecerão! Lamento que tenha perdido um dos kinguios, infelizmente, essa é a parte desagradável do nosso hobby. Desejo uma boa sorte na montagem do novo aquário e estamos aqui sempre que precisar!

  9. Tenho um aquário com 54 litros, de água doce,tinha dois cometas, um telescópio, dois orandas, dois limpa fundos e um limpa vidros,um dos cometas picou e comeu durante a noite o rabo do telescópio, o q acabou por o matar, separei o cometa e também acabou por morrer sempre se deram bem agora um dos orandas anda a picar o rabo do outro oranda e do cometa, será normal ou devo isolar o oranda?

    • Isabel, boa tarde! Veja que kinguios são peixes pacíficos, ainda mais com os de sua própria espécie. Se um comportamento assim atípico se manifesta, é sinal de estresse, causado pelo fato de o aquário ser extremamente pequeno para todos esses peixes o que deixa a água de qualidade duvidosa. Se reler o artigo, verá as especificações de espaço para a espécie e os cuidados. O que precisa ser feito é preparar um aquário maior para comportar os que ficaram confortavelmente. É preciso ter em mente que eles crescem e muito, não ficam no mesmo tamanho de quanto compramos na loja. Tomando essa providência, tenho certeza de que a harmonia será restabelecida. Para seis kinguios, é preciso um aquário de pelo menos 280 litros, com filtro cuja vazão seja de 7 a 10 vezes o volume do aquário, pois eles produzem muita sujeira.

    • Silvia, boa noite ! Só com uma foto seria possível avaliar corretamente. Se possível visite nosso grupo no facebook e inicie uma postagem com uma foto do peixe.

  10. bom dia solange
    realmente os cascudos atacam os kinguios mas eu tenho um lago que mede 1mt40cm de largura por 60cm de altura de 300 litros de agua
    tenho 4 carpas e 5 kinguios e dois fritors muito bom pois apesar de tomar sol o tempo todo a agua esta sempre cristalina e sempre estou testando o ph da agua
    so gostaria de tirar uma duvida o cascusdo ele e importante para tira lodos ou nao pois meus peixes estao sofrendo ataques do cascudo
    eu posso tirar ele do lago
    desde de ja grato carlos

  11. Boa tarde, Carlos.
    Este lodo faz parte sim da alimentação de cascudos, motivo pelo qual são incluídos entre os animais “faxineiros” do aquário.
    Mas se ele começou a atacar os peixes a melhor coisa que faz é retira-lo do lago antes que cause mais problemas à saúde dos kinguios e carpas. Dificilmente o cascudo irá deixar este comportamento agora.

  12. Olá, desde já quero agradecer pelo belo trabalho nas informações sobre aquarismo. Adquirir um aquário de 240l, e gostaria de sugestões sobre marcas de filtros no modelo canister, para a filtragem do aquário. Vai ser um aquário de Kinguios mono espécie.

    • Não costumo indicar marcas, mas o melhor custo benefício é o Canister Atman. Adquira um com vazão de 1200L/H que dará conta. Existem outras boas opções como Hagen e Eheim, mas estes o valor é mais elevado.

  13. Olá, tenho um kinguio a um bom tempo, sempre o mentive junto de uma carpa, sempre conviveram bem, mas de uma semana pra ca o kingui apresentou umas manchas pretas no final da calda e das nadadeiras, nao me preocupei, aparetemente tinham “caido” essas pontas , mas hoje pela manha a calda ja estava muito menor e flagrei a carpa comendo a calda do kinguio. Como devo proceder ? oque pode ser as manchas pretas ? me ajude, obrigada

    • Sabrina, as manchas pretas são tecido cicatrizado, ou seja, tecido novo que veio. Com o tempo tende a adquirir a cor original do peixe. fica assim evidente que a carpa já vem atacando o kinguio há mais tempo. No caso, convém separar o kinguio em outro aquário até que a cauda volte a crescer completamente, já que o tecido ferido funciona como um chamariz, para que ela volte a atacar o mesmo local. Atente também que carpas ficam muito grandes e depois de certo tamanho devem ir para um lago, caso contrário, tendem a sofrer atrofia e morrem. Para ajudar na cicatrização e evitar infecções por fungos e bactérias, recomendo utilizar o Melafix, que você pode encontrar como fazer em casa em vídeos do youtube ou então adquirir o produto RCFlora Fix, que contém o mesmo princípio ativo.

  14. Não conheço muito sobre peixes de aquário sei que um dos meus dois peixinhos e um kinguio telescópio e ele esta com algum problema desconhecido por mim ele esta ficando de barriga para cima e esta com a barriga inchada o que seria isso? Me ajudem por favor

    • Olá, Samuel
      Preciso saber se o peixe está de barriga pra cima no fundo ou se está boiando na superfície. Se estiver boiando, certamente é problema de bexiga natatória e aí, sugiro que siga as dicas do artigo acima referente a esse problema. Caso ele esteja no fundo, com a barriga inchada, provavelmente é uma infecção bacteriana e sugiro que trate o quanto antes com Alcon Bacter em aquário hospital (pode ser um organizador de 50L), somente com compressor e pedra porosa, fazendo TPAs diárias de 40% para controlar a amônia e repondo o equivalente do medicamento pedido nessa troca. No mais, siga as instruções da bula.

    • Djefelson, cada fêmea tem um tempo. Você precisa dar condições a ela para produzir ovos. Essas condições consistem em um aquário com parâmetros em dia (amônia e nitritos zerados, pH em torno de 7.2 a 7.4), água limpa, alimentação com rações de boa qualidade e espaço (respeitando que cada kinguio precisa de pelo menos 70 litros). Você vai saber quando ela estiver pronta porque os machos irão persegui-la.

  15. Meu kinguio Redcap está ficando com a calda avermelhada e ele é todo branco, oque pode ter motivado essa mudança? No aquário tem um cometa junto.

    • Oi Daniele
      Há algumas possibilidades : 1) Pode ser que a amônia ou o nitrito estejam elevados – é preciso efetuar os testes para essas substâncias a fim de verificar, se estiverem acima de zero, basta efetuar uma TPA de 30%. Veja também se sua filtragem está bem dimensionada para o tamanho e população do aquário. 2) Temperatura elevada – quando a temperatura está alta para eles, os vasos sanguíneos se dilatam e como ele é branco, tornam-se mais visíveis, nesse caso, aumente a oxigenação do aquário utilizando um compressor com pedra porosa. 3) Infecção bacteriana – se nenhuma das possibilidades acima por viável, provavelmente é uma infecção bacteriana, nesse caso, convém separá-lo em aquário hospital e efetuar tratamento com o Alcon Bacter seguindo as instruções da bula.

  16. Uns de meus peixes está com a barriga bem volumosa, mas percebo fezes brancas no aquario… e não escuras como de costuma.. pode ser parasitas?
    Se sim como tratar?
    Meu aquário tem 400lts e sump..
    Possuo carpas e kinguios aproximadamente de uns 15 cm uns 2 lebistes, 1 pangassius, 2 cascudos, e uns 6 pqulistinhas..

    • OI Mariane
      Fezes brancas indicam a presença de protozoários intestinais. A barriga volumosa pode ser causada por essa infestação mas fique de olho, principalmente se aparecer escamas levantadas. Para tratamento, procure o Azoo Anti-Endoparasites, você vai encontrar no Mercado Livre. Use conforme especificado nas instruções.

  17. Oi Rosana!

    Meu único Kinguio está há dias no fundo do aquário, se movimenta bem pouco, não alimenta , troquei a ração Tetra de flocos por uma granulada Poytara pra ver se havia uma reação. Mas nada…

  18. Boa tarde, é normal que os kinguios fique o tempo todo abrindo e fechando a boca? Meu aquario é de 200 litros e tem dois canister um de 1000 litros hora e outro de 1300 litros hora, porem eles fica o tempo todo abrindo e fechando a boca sobe a superfície e desce a todo momento.

  19. Oi Janaína. Sua filtragem é excelente, esse comportamento pode ser devido a algum elemento tóxico na água, superpopulação ou ainda início de problemas na bexiga natatória, ocasionado pela ração que está usando. Faça os testes para os parâmetros (amônia, nitrito e pH) e se possível, abra uma postagem no nosso grupo do facebook para avaliarmos com detalhe o que possa estar ocorrendo.

  20. Olá, vendo vários matérias e vídeos estou planejando comprar 1 peixe Kinguio.
    Possuo um aquário de 72 litros com termostato e um filtro hang on de 600 l/h.

    É possível manter 1 kinguio de forma saudável em um aquário desse tamanho?

    Também vi diversas opiniões sobre montar o aquário sem substratos e enfeites, para não ocupar espaço e evitar o acúmulo de sujeira, facilitando inclusive a sifonagem.
    Há algum prejuízo para os peixes em se mantar o aquário sem substrato?

  21. Olá, Gabriel

    Não é recomendável manter um kinguio sozinho, já que é um peixe que gosta de socializar com outros da mesma espécie, então, teria que ter no mínimo 2. E nesse caso, o volume do seu aquário é um pouco pequeno, seria melhor um de 100 litros. Para esse de 72, o filtro tem uma vazão razoável, o porém é que filtros hang on oferecem pouco espaço para abrigar as cerâmicas e com kinguios, você precisa de uma boa filtragem biológica já que eles produzem muita sujeira, seria melhor um canister. Aquários montados sem substrato são conhecidos como Bare Bottom e sim, podem ser montados sem problema algum, porque facilitam a manutenção e evitam o acúmulo de sujeira como mencionou. Para quebrar o “vazio”, você poderá colocar alguns pequenos vasos com plantas naturais como a Anubia, que os kinguios não conseguem comer.

  22. Olá, primeiramente gostaria de parabenizar pelas excelentes dicas e conselhos que vocês fornecem aqui! Parabéns.
    Gostaria de saber quais os tipo de peixes de “faxina” vocês recomendaria para um aquário de 192L com 10 kinguios e 3 carpas, que não afete a harmonia do aquário.

  23. Leandro, muito obrigada! Veja que seu aquário está superlotado, portanto, sugiro não colocar mais peixes. Carpas não devem ser mantidas em aquários desse porte, pois correm o risco de sofrer atrofia. São peixes de grande porte e que precisam de muito mais espaço para seu desenvolvimento sadio. Você tem um total de 13 peixes em 192 litros, o que dá para cada um 14,7 litros, é muito pouco para peixes que produzem uma carga muito grande de matéria orgânica. Sugiro que propicie um aquário maior, pelo menos 500 litros e doe as carpas. Se ainda não faz, faça testes para amônia e nitrito (que são tóxicos) pois correm o risco de estarem elevados. Em um aquário maior você poderia colocar dojos ou coridoras bronze.

  24. Obrigado Rosana. Concordo com você na questão da super lotação. Na verdade eu vou mudar essa fauna, pois estou comprando esse aquário e ele já está com esses peixes! Quero fazer uma fauna menor e com Discos.
    Quais especies você recomenda eu colocar com eles e quantos peixes seria recomendável para um aquário de 192L?

  25. Oi Leandro! Ok, na verdade, não é recomendado aquário menor que 200 litros para manutenção de discos, mas creio que 4 exemplares estaria bem para seu aquário, já que eles podem atingir 15 a 20 cm de diâmetro. Os discos são peixes de cardume, mas são lentos da hora da comida, então, os companheiros de aquário não podem ser também, muito ativos da hora da alimentação. Coloque com coridoras, neons ou ciclídeos anões, eles formam uma fauna equilibrada. Cuidado com os cascudos, nem todos podem ser colocados com os discos, é previso optar pelas espécies essencialmente herbívoras para que não venham a atacá-los em algum momento. No mais, a qualidade da água é tudo, visto que são peixes bem sensíveis com parâmetros e temperatura. Boa sorte da nova montagem e qualquer dúvida, abra um post no grupo do Aquarismo Paulista do facebook 🙂

  26. Olá tenho um kinguios preto
    Notei que ele está estranho
    Não sei como explicar o ânus dele digamos está saltado pra fora
    Alguém sabe me dizer o que tem de errado com ele ou e normal estou com ele a 1 ano
    Obrigada

  27. Olá, tenho um kinguio comum, e infelizmente apareceu um tumor entre o corpo e a cauda na parte de cima. Dias depois a guelra esquerda apresentou uma descoloração e posteriormente uma “pele” esbranquiçada se soltou. No lugar ficou um buraco de uns 0,5 cm. Essa semana vi uns pontinhos brancos na cara dele. Ele nada e se alimenta naturalmente. Aumentei a temperatura para 25ºC e estou diariamente colocando uma mistura de óleo de malaleuca na quantidade recomendada por aquaristas, com 2 TPA’s semanais de 20% aproximadamente. Quero saber se com esse tratamento é possível essa ferida se fechar e o tumor desaparecer. O que você fala pode comentar também sobre o uso de alho e açafrão (cúrcuma) no patê que faço com vegetais. Desde já agradeço a atenção.

    • Oi Renato! Gostaria que me enviasse uma foto do peixe, para que eu pudesse avaliar melhor essas lesões. Para isso, peço que se cadastre e abra um post no nosso grupo do facebbok: https://www.facebook.com/groups/aquarismopaulista/?ref=bookmarks. Fico no aguardo. Com relação ao uso de alho eu aconselho, pois é muito bom para incrementar a imunidade dos peixes, desde que seja adicionado cru, para que tenha suas propriedades conservadas. Quanto ao uso da cúrcuma, desconheço seu uso em patês.

  28. Olá , tenho um aquário de 160 litros , com 3 kinguios ainda pequenos, o filtro é um canister, porém a água está sempre turva, não consegui que ela ficasse cristalina ainda, meu aquário ciclos, coloquei dois primeiro e o terceiro agora a uma semana… oq pode ser a água turva? Tenho feito a tpa certinha

  29. Oi Simone! Se eu entendi direito, seu aquário está recém ciclado e recebeu os primeiros habitantes. Nesse caso, pode ser que a biologia do filtro esteja se adaptando a carga de matéria orgânica que eles produzem, então, se a causa for essa, logo deve desaparecer. Outra possibilidade, é que esteja fornecendo muita comida, experimente diminuir um pouco na quantidade.

    • Obrigada pela resposta, já diminui… agora estou notando que meu Oranda esta muito quieto no fundo, hoje não comeu, já no contrário o meu telescópio está muito agitado, nadando de um lado pro outro, mas está se alimentando normal. Preocupada com meus gordinhos, já me apeguei

  30. Dou ração para os kinguios 2 vezes ao dia,coloco até eles pararem de comer,estou certo ou tenho uma quantidade certa para dar para eles?obg.

    • Oi Flávia! O recomendado é fornecer uma quantidade de ração que seja consumida em até 5 minutos. Dessa forma, você evita que restos de ração fiquem acumulados nos lugares de menor circulação e consequentemente, contribuam para deteriorar a qualidade da água. No entanto, existem algumas variedades de kinguio que são mais lentas na hora da alimentação, nesse caso, precisaria de um tempo um pouco maior.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*