Carpa Cabeçuda (Hypophthalmichthys nobilis)

 

Hypophthalmichthys-nobilis2

Hypophthalmichthys nobilis (Richardson, 1845)

Nome Popular: Carpa Cabeçuda — Inglês: Bighead carp

Família: Cyprinidae (Ciprinídeos)

Origem: Ásia, China

Tamanho Adulto: 146 cm (comum: 70 cm)

Expectativa de Vida: 20 anos 

Temperamento: Pacífico

Aquário Mínimo: espécie ideal para lagos e tanques de grande porte

Temperatura: 10°C a 28°C

pH: 6.0 a 8.0 – Dureza: indiferente

Visão Geral

Ocorre em grandes rios e lagos de várzeas. Sua distribuição estende desde o sul da China até o norte da bacia do rio Amur, entre a fronteira da China e Rússia. Foram introduzidos amplamente fora da sua área de distribuição natural, incluindo os Estados Unidos e Brasil, sendo muitas vezes consideradas invasivas.

Durante o outono e inverno, quando a temperatura cai para próximo de 10°C, juvenis e adultos formam cardumes grandes e migram para locais mais profundos de rios para hibernar.

Apresenta cabeça grande sem escamas, boca grande e olhos localizados abaixo da cabeça. Adultos possuem coloração cinza prata manchado e podem chegar a cerca de 40kg. Muitas vezes confundido com Hypophthalmichthys molitrix.

A Carpa Cabeçuda é uma espécie importante na aquicultura, tendo a quinto maior produção (7,5%) de todos os peixes de água doce cultivadas em todo o mundo. Tem uma taxa de crescimento muito rápida, o que o torna uma espécie popular na aquicultura. Ao contrário da Carpa comum, a Carpa Cabeçuda são filtradores, consumindo principalmente zooplâncton, secundariamente fitoplâncton e detritos. Na aquicultura, os adultos podem sobreviver  em água salobra (até 7 ppt) quando liberados em estuários e lagoas costeiras.

Aquário & Comportamento

Devido seus hábitos e tamanho, convém criar em lagos ou tanques de grande porte.

Reprodução & Dimorfismo Sexual

Ovíparo, reproduz-se em águas muito profundas, turva e quente (geralmente entre 22° a 30°C), com alta corrente (1,1-1,9 m / s) e altas concentrações de oxigênio. Produz até 100.000 ovos. Os ovos são amarelados, transparente e eclodem após cerca de dois ou três dias com temperaturas em torno de 25°C enquanto deriva livremente sob a água.

Alimentação

Espécie zooplanctófaga, que se alimenta de pequenos organismos aquáticos e também de microalgas, rotíferos e pequenos crustáceos.

Etimologia: Hypophthalmichthys: Grego, hipo = sob + grego, ophthalmos = olhos + grego, ichthus = peixe. nobilis: nobre

Hypophthalmichthys-nobilis

Referências

  1. Kottelat, M., 2001. Freshwater fishes of northern Vietnam. A preliminary check-list of the fishes known or expected to occur in northern Vietnam with comments on systematics and nomenclature. Environment and Social Development Unit, East Asia and Pacific Region. The World Bank. 123 p.
  2. Ukkatawewat, S., 2050. The taxonomic characters and biology of some important freshwater fishes in Thailand. Manuscript. National Inland Fisheries Institute, Department of Fisheries, Ministry of Agriculture, Bangkok, Thailand, 55 p.
  3. Welcomme, R.L., 1988. International introductions of inland aquatic species. FAO Fish. Tech. Pap. 294. 318 p.
  4. Baensch, H.A. and R. Riehl, 1991. Aquarien atlas. Bd. 3. Melle: Mergus, Verlag für Natur-und Heimtierkunde, Germany. 1104 p.
  5. Kottelat, M. and J. Freyhof, 2007. Handbook of European freshwater fishes. Publications Kottelat, Cornol and Freyhof, Berlin. 646 pp.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Maio/2016

Colaboradores (collaboration): –

 

Sobre Edson Rechi 769 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*