Tetra Fantasma Vermelho (Hyphessobrycon sweglesi)

Hyphessobrycon sweglesi  (Géry, 1961)

Hyphessobrycon sweglesi em sua forma mais clara, apresentando cores mais pálidas. Foto de Robert Beke

Nome Popular: Tetra Fantasma Vermelho — Inglês: Red Phantom Tetra

Ordem: Characiformes — Família: Characidae (Caracídeos)

Distribuição: América do Sul, bacia do rio Orinoco

Tamanho Adulto: 3.2 cm

Expectativa de Vida: 3 a 5 anos +

pH: 5.5 a 7.4 — Dureza: 2 a 15

Temperatura: 20°C a 28°C

Aquário Mínimo: 60 cm (comprimento) X 30 cm (largura) desejável — Prefere aquário com plantas formando áreas sombreadas. Mostram-se mais coloridos e ativos quando mantidos em aquário plantado com áreas abertas para natação. Pode-se adicionar raízes e folhas secas (opcional) como decoração.

Comportamento & Compatibilidade: É uma espécie pacífica e gregária que forma hierarquia livre, podendo ser mantido em aquário comunitário com peixes de tamanho diminuto. Será importante manter em cardume com pelo menos 10 espécimes para que mostrem seu comportamento natural e cores mais realçadas.

Alimentação: Onívoro. Naturalmente se alimentam de vermes, pequenos insetos e crustáceos. Em aquário aceitará prontamente alimentos secos e vivos.

Reprodução: Ovíparo. O macho conduzirá a fêmea liberar os ovos, que serão fecundados e sua maioria irá para o fundo do substrato ou aglomerado de plantas. Eclodem entre 24h e 48h e larvas estarão nadando livremente após 48 h. Pais não exibem cuidado parental.

Dimorfismo Sexual: Fêmeas são ligeiramente maiores e mais roliças que os machos, principalmente na região ventral. Machos adultos possuem corpo retilíneo.

Biótopo: Bastante variável, desde habitat conhecido como “morichal” que tende a conter águas claras e substrato arenoso, muitas vezes com denso crescimento de macrófitas ou vegetação ciliar onde se abrigam. Também foram coletados em ambiente de água negra, em lagos de várzea, em meio a troncos, raízes e folhas em decomposição.

Etimologia: Hyphessobrycon do grego hyphésson, que significa “de menor estatura”, usado como um prefixo neste caso, mais o nome genérico Brycon. Sweglesi, nomeado em homenagem ao distribuidor de peixe tropical Kyle Swegles (Rainbow Aquarium, Chicago, Illinois, EUA), que coletou os primeiros exemplares.

Sinônimos: Megalamphodus sweglesi

Informações adicionais: Distribuído nos rios Muco e Meta na bacia do Orinoco na Colômbia e Peru. Há relatos de sua coleta no Brasil e Venezuela, porém não confirmado oficialmente.

Pelo menos duas ou três formas de cores que são vendidos, das quais uma é particularmente mais colorido e tem sido referida como H. sweglesi ‘red’ ou ‘var. rubra’. Suspeita-se que as cores variam de acordo com as condições na localidade de coleta, com os peixes mais vermelhos que habitualmente habitam águas claras e ambientes mais claros. Zarske (2014) encontrou as duas formas como idênticas em termos de morfologia e merística e, portanto, concluiu que são coespecíficas. Apresentam nadadeiras vermelhas e um grande ponto umeral no centro de seu corpo.

Fêmea de Hyphessobrycon sweglesi com sua coloração comum. Foto de Chor-Kiat Yeo
Macho de Hyphessobrycon sweglesi com sua coloração comum. Foto de Chor-Kiat Yeo

Referências:

  • Lima, F.C.T., L.R. Malabarba, P.A. Buckup, J.F. Pezzi da Silva, R.P. Vari, A. Harold, R. Benine, O.T. Oyakawa, C.S. Pavanelli, N.A. Menezes, C.A.S. Lucena, M.C.S.L. Malabarba, Z.M.S. Lucena, R.E. Reis, F. Langeani, C. Moreira et al. …, 2003. Genera Incertae Sedis in Characidae. p. 106-168. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  • de Queiroz, L.J., G. Torrente-Vilara, W.M. Ohara, T.H. da S. Pires, J. Zuanon and C.R. da C. Doria, 2013. Peixes do Rio Madeira. Vol. I. Dialeto Latin American Documentary, São Paulo
  • McKay, R.J., 1984. Introductions of exotic fishes in Australia. p. 177-199. In Courtenay, W.R. Jr. and J.R. Stauffer, Jr. (Editors). Distribution, Biology and Management of Exotic fishes. The John Hopkins University Press, Baltimore, Maryland, USA.
  • Robins, C.R., R.M. Bailey, C.E. Bond, J.R. Brooker, E.A. Lachner, R.N. Lea and W.B. Scott, 1991. World fishes important to North Americans. Exclusive of species from the continental waters of the United States and Canada. Am. Fish. Soc. Spec. Publ.
  • Weitzman, S.H. and L. Palmer, 1997. A new species of Hyphessobrycon (Teleostei: Characidae) from Neblina region of Venezuela and Brazil, with comments on the putative ‘rosy tetra clade’. Ichthyol. Explor. Freshwat.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Outubro/2018
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 696 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*