Garra Panda (Garra flavatra)

 

Garra flavatra (Kullander & Fang, 2004)

Nome Popular: Garra Panda — Inglês: Rainbow garra

Ordem: Cypriniformes  — Família: Cyprinidae

Distribuição: Ásia, Myanmar

Tamanho Adulto: 6 a 8 cm

Expectativa de Vida: até 8 anos

pH: 6.6 a 7.4

Temperatura: 22°C a 28°C

Posição no aquário: Fundo / Meio

Nível de dificuldade: Médio

Foto de Lidia Sworobowicz (CCBY)

Garra Panda é encontrado em riachos das montanhas Rakhine Yoma em Arracão, no oeste de Myanmar. Seu padrão de cores varia consideravelmente entre indivíduos, com alguns exibindo pigmentação amarela e vermelha particularmente intensa, mas não está claro se essas diferenças representam variação natural dentro ou entre populações. O Garra Panda está entre os Garra mais atraentes dentro do gênero.

Prefere um alto nível de oxigênio dissolvido na água. Sua boca em forma de ventosa permite grudar em objetos e resistir a fluxo forte de água, algo particularmente que ele gosta.

Devido sua beleza chamativa, tamanho compacto e havido comedor de algas,  frequentemente é encontrado no aquarismo. As vezes é referido erroneamente como um Botia.

Em seu ambiente natural, Garra flavatra está ameaçado pela perda de seu habitat, poluição da água e exploração.

Aquário Mínimo: 60 cm comprimento X 30 cm largura — é desejável que a decoração do aquário para o Garra Panda contenha substrato fino, rochas e raízes. Plantas podem ser utilizadas, mesmo as de folhas macias. Como muitos peixes que habitam naturalmente ambiente lótico, é bastante intolerante ao acúmulo de resíduos orgânicos e ficará melhor se houver um alto nível de oxigênio dissolvido e um movimento moderado da água. Iluminação forte promoverá o surgimento de algas, apreciado pela espécie. Evite inserir em aquários imaturos.

Comportamento & Compatibilidade: O Garra Panda é um peixe pacífico que pode ser mantido em aquário comunitário. Não possui comportamento gregário, mas pode ser mantido em grupo. Pode ocorrer agressões intra espécie até que a hierarquia esteja definida. É uma ótima opção para se manter com espécies asiáticas de pequeno porte como Barbos, Rasboras e Danios.

Alimentação: Apesar de se alimentar primariamente de algas, Garra Panda não possui hábito alimentar exclusivamente herbívoro. Pode ser alimentado com rações vegetais, spirulina e ocasionalmente alimentos secos com alto teor de proteína.

Foto de Lidia Sworobowicz (CCBY)

Frutas e legumes frescos, como pepino, melão, espinafre ou abobrinha, podem ser oferecidos ocasionalmente e receitas caseiras à base de gelatina contendo uma mistura de alimentos secos de peixe, marisco, frutas e legumes frescos.

Reprodução: Ovíparo. Naturalmente a reprodução do Garra Panda ocorre entre Maio a Julho. Ovos são liberados pela fêmea e imediatamente fertilizados pelo macho. Eclodem entre 24 a 48h e os alevinos permanecem no saco vitelínico por até 72h. Não ocorre cuidado parental.

Dimorfismo Sexual: Em Garra Panda é visível somente quando adultos. Machos sexualmente maduros desenvolvem uma série de tubérculos visíveis na cabeça, ao longo da linha lateral e ao redor do pedúnculo caudal, e tendem a ser mais magros no corpo do que as fêmeas.

Biótopo: Garra Panda foram coletados em ambiente lêntico em profundidade rasa (~30 cm de profundidade) em córregos de até três metros de largura e o substrato era composto por uma mistura de cascalho, seixos e pedras sobre o qual corria água límpida e transparente.

Importante frisar que embora foram encontrados em águas de fluxo lento, estes ambientes são sazonais. Assim, os riachos aumentam em profundidade um metro ou mais e fluem mais rapidamente durante a estação chuvosa. Possui lábio inferior em forma de disco, permitindo que se mantenham grudados a alguma superfície se alimentando mesmo sob forte fluxo de água. Indicativos que se trata de uma espécie de ambiente lótico.

Foto de Lidia Sworobowicz (CCBY)

EtimologiaGarra, nome vernacular para uma espécie particular de “escavador de areia”, que Francis Buchanan-Hamilton aplicou como um nome genérico para ciprinídeos do fundo “sem afinidade com outro gênero”.

flavatra : do latim flavus , que significa ‘amarelo’, e ater , que significa ‘preto’, em referência ao padrão de cor distinto desta espécie.

Sinônimos: não possui.

Referências:

  • Kullander, S. and F. Fang, 2004. Seven new species of Garra (Cyprinidae: Cyprininae) from the Rakhine Yoma, southern Myanmar. Ichthyol. Explor. Freshwat.
  • Arunachalam, M., S. Nandagopal and R. L. Mayden, 2014 – Species 10(24): 58-78 Two new species of Garra from Mizoram, India (Cypriniformes: Cyprinidae) and a general comparative analyses of Indian Garra.
  • Kottelat, M., 2013 – Raffles Bulletin of Zoology Supplement 27: 1-663 The fishes of the inland waters of southeast Asia: a catalogue and core bibiography of the fishes known to occur in freshwaters, mangroves and estuaries.
  • Yang, L., M. Arunachalam, T. Sado, B. A. Levin, A. S. Golubtsov, J. Freyhof, J. P. Friel, W-J. Chen, M. V. Hirt, R. Manickam, M. K. Agnew, A. M. Simons, K. Saitoh, M. Miya, R. L. Mayden, and S. He, 2012 – Molecular Phylogenetics and Evolution 65(2): 362-379 Molecular phylogeny of the cyprinid tribe Labeonini (Teleostei: Cypriniformes).
  • Zhang, E., 2005 – Zoological Studies 44(1): 130-143 Phylogenetic relationships of labeonine cyprinids of the disc-bearing group (Pisces: Teleostei).

 

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Maio/2024

Sobre Edson Rechi 860 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*