Entrevista com Carlos Souza

Entrevista com o aquapaisagista multicampeão Carlos Souza

 

Bate pronto

Time de futebol: São Paulo
Uma banda: Pink Floyd
Uma música: Confortably Numb
Um filme: Senhor dos Anéis (trilogia)
Um livro: Cem Anos de Solidão – Gabriel Garcia Marques
Peixe favorito: Acará-disco (Symphysodon sp.)
Planta favorita: Aponogeton madagascariensis

Fale um pouco sobre você. Natural de onde? Atualmente reside em qual cidade? Qual sua profissão?

Sou natural de São Paulo capital e há anos atuo desenvolvendo ilustrações, retratos, pinturas a óleo e caricaturas. Fiz curso de Paisagismo mas infelizmente não ingressei na área. Neste momento busco novos desafios no mercado desenvolvendo consultoria na área de aquapaisagismo.

Como e quando começou no aquarismo? Conte resumidamente sua trajetória.

Sou aquarista desde criança, porém ingressei de verdade no aquarismo há dez anos. Comecei com um aquário comunitário com plantas e posteriormente entrei de cabeça no aquapaisagismo. Lembro que ficava encantado quando via aqueles belos aquários plantados do Takashi Amano na net.

Depois disso descobri que havia uma loja especializada em aquapaisagismo a Aquabase. Com isso passei a ser um frequentador assíduo.

Qual foi sua maior influência para começar no aquarismo? E atualmente, quem te influencia?

Acho que o Takashi Amano influenciou a maioria, mas minhas referências foram os aquapaisagistas brasileiros. Dentre eles: Renato Kuroki, Luca Galarraga, André Longarço, Rony Suzuki, Fabian Kussakawa, Roberto Longarço, Américo Guazzelli, Marcelo Tonon e Luidi Doim.

Aprendi muito com todos eles, mas o meu mentor foi o Renato Kuroki. Sem a ajuda dele teria desistido do hobby. Minhas influências atuais são o Josh Sim e o Takayuki Fukada.

Dos erros cometidos em sua trajetória no aquarismo, qual a lição mais importante passaria para quem está começando?

Meu maior erro foi sem sombra de dúvida a pressa em querer fazer tudo pra ontem. A lição mais importante seria controlar a ansiedade e buscar informações de qualidade. Com isso você gastará menos dinheiro e terá mais sucesso com seus projetos.

Quais são suas inspirações para as montagens de seus aquários? Onde você as busca?

Busco me inspirar na natureza.

Onde você encontra o itens de hardscaping para os seus projetos? Que tipo prefere nos seus aquários?

Antigamente era muito difícil termos acesso a um hardscape de qualidade. O mais comum era sairmos garimpando em margens de rios a procura troncos e rochas. Hoje a realidade é completamente diferente, muitas lojas tem hardscape de qualidade a venda.

Não tenho preferência em montar aquários somente com raízes ou rochas. O fator determinante é a minha fonte de inspiração.

Quais são os itens indispensáveis em um aquário com plantas?

Bom substrato fértil, iluminação de qualidade, gás carbônico e fertilizantes.

Quais são os peixes mais aconselhados possuir em um plantado?

Tetras em geral (pequenos caracídeos).

Quais as plantas mais indicadas para quem quer começar a montagem?

Anubias, Microsoruns, Eleocharis e Musgos.

Montagem de 2014

Qual a maior dificuldade de manter um plantado de competição?

A maior dificuldade é no começo da montagem. Devido as plantas não estarem com o sistema formado acaba sempre aparecendo algumas algas indesejáveis. Aquário de competição requer uma dedicação diária.

E a maior dificuldade nas fotografias?

Tá aí minha maior dificuldade. Geralmente o “dia da foto” é muito tenso. O trabalho de meses pode ser comprometido por uma foto mal tirada. O segredo é ter muita paciência e se possível tentar mais outra seção de fotos. Geralmente tiramos umas 500 fotos pra escolher somente uma.

Estabelece um cronograma para a montagem de seus aquários?

Sim, geralmente de 4 a 7 meses.

Montagem de 2015

No decorrer da evolução do aquário, alguma vez já fez mudanças radicais ou remontou o layout?

A maioria das vezes. 🙂 Gosto de fazer as mudanças com o aquário cheio. Pode parecer loucura mas consigo enxergar melhor. Uma vez que usei isopor de base e para minha decepção depois de cheio d’água o mesmo levantou substrato, plantas e rochas. Tive que desmontar e refazê-lo.

Em média quanto tempo o aquário atinge a maturidade para ser fotografado e inscrito nos concursos?

Em média uns 6 meses.

Os aquários são destinados para concurso. Finalizado o trabalho não fica com dó de desmontar o aquário? E quando se obtém uma boa colocação com determinada montagem… pior ainda?

Sem dúvida, dá muita dó em desmontar. Geralmente esse é o melhor momento do aquário. Quando viemos a saber o resultado dos concursos nossos aquários já estão desmontados.

Montagem de 2016

Como vê a evolução do aquarismo plantado na última década?

O aquarismo plantado vem evoluindo de forma considerável. As empresas nacionais vem aperfeiçoando seus produtos e as importadoras trazendo produtos de qualidade. Na minha opinião o aquapaisagismo está numa crescente.

O que você acha das redes sociais e a relevância delas para o aquarismo?

Acho as redes sociais importantíssimas para a disseminação do hobby. É claro que tem muita informação confusa, mas tem muita gente comprometida em fomentar o hobby. O segredo é saber filtrar as informações.

Como figura carimbada em grupos e concursos de aquapaisagismo. Como você vê a banalização do aquarismo muitas vezes sem qualidade e responsabilidade nas redes sociais?

A parte negativa é o ego das pessoas. Basta montar um aquário que alguns cidadãos se acham deuses. Existem outros aquaristas que ficam propagando informações confusas para somente virar o centro das atenções. Muito complicado.

Montagem de 2017

Qual sua maior conquista e a maior decepção ao longo destes anos de aquarismo?

Meu melhor ano foi o de 2016 no qual obtive o primeiro lugar no concurso AGA. Minha maior decepção foi o ano passado. Más não enxergo dessa forma, todo o processo foi importante. Estamos aprendendo constantemente com os erros e acertos.

Quais seriam as dicas para que alguém se torne um bom aquapaisagista?

Dedicação e persistência.

Qual suas melhores colocações em concursos de aquapaisagismo?

Algum título ou colocação te marcou mais? Qual razão?

O que mais me marcou foi ter ficado em 1°lugar no Concurso Mundial  AGA. Esse concurso tem um nível muito acirrado. Muito bom ter aquela fita emoldurada na parede.

Ultimamente anda surgindo bastante grupos de aquapaisagismo. Infelizmente a grande maioria dos grupos são fechados e dificilmente disseminam informações principalmente para principiantes. Algo que deveriam fazer para que o aquarismo plantado estivesse ainda mais em evidência. Qual sua opinião a respeito?

Realmente está surgindo vários grupos. A competição as vezes atrapalha e muitas vezes ajuda também.

Mas, se todos os grupos se comprometessem a difundir mais o hobby talvez o aquapaisagismo estaria em outro patamar. Entendo também que tem grupos que ministram cursos ajudando na disseminação de conteúdos de qualidade.

Muitos querem tudo mastigado, infelizmente. Quem tiver alguma dúvida basta entrar em contato com os integrantes do BAU. Teremos o enorme prazer em ajudá-los.

Montagem de 2018

O que falta para o aquapaisagismo literalmente se tornar popular no Brasil? Como ocorre inúmeros países asiáticos e parte da Europa.

Essa pergunta é complicada e polêmica. Na minha opinião esse é um grande problema que há anos vem se arrastando. Muitos lojistas não capacitam seus funcionários a ter conhecimento técnico sobre o que estão vendendo.

A maioria das lojas sequer consegue manter um aquário plantado saudável. Isso de alguma forma desestimula o cliente. Aparentemente as coisas estão mudando mesmo a passos de tartaruga.

Sua ascensão nos últimos anos é notória. Qual o segredo?

Sempre fui apaixonado pelo aquapaisagismo. Me dedico diariamente a meus aquários.

Montagem de 2019

Além de você, mais alguém gosta ou é aquarista em sua casa?

Meus irmãos e irmãs ficam encantados quando olham meus aquários más infelizmente só eu que sou aquarista.

Tem outros animais de estimação?

Não.

Além do aquarismo, você possui outro hobby?

Não possuo.

Ilustração de um peixe Mandarim

Agradeço pela entrevista. 

Entrevista publicada em Agosto de 2020.

Sobre Edson Rechi 827 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*