Duboisi (Tropheus duboisi)

 

Tropheus-duboisi

Tropheus duboisi (Marlier, 1959)

Nome Popular: Duboisi — Inglês: White-Spotted Cichlid

Família: Cichlidae (Ciclídeos)

Origem: África, endêmico do lago Tanganica

Tamanho Adulto: 12 cm

Expectativa de Vida: 5 anos +

Temperamento: Territorial, agressivo

Aquário Mínimo: 100 cm X 40 cm X 50 cm (200 L)

Temperatura: 24°C a 28°C

pH: 8.5 a 9.0 – Dureza: 10 a 12

Visão Geral

Encontrado em meio a rochas e cavernas em profundidades que variam entre 4 a 30 metros. Costumam se fixar numa determinada área (arenosa ou rochosa) onde desenvolve forte relações hierárquicas com demais indivíduos do grupo. Há mudanças significativas de coloração durante seu desenvolvimento, quando jovem apresenta coloração preta/azulado com pontos brancos por todo corpo, na medida que amadurece mantém a coloração preta com uma faixa levemente amarelada ou branca e cabeça azulada. Populações mais representativas são Maswa e Karilani.

Aquário & Comportamento

O aquário para a espécie deve seguir o padrão Tanganica formando um paredão de rochas com algum espaço aberto para nadarem. Aquário mínimo de 200L para manter um trio com um macho e duas fêmeas, para um cardume maior considere um aquário mínimo de 150 cm x 50 cm.

Mantê-los em grande cardume é necessário uma vez que em seu ambiente natural vivem em grandes grupos com relações sociais bastante desenvolvidas com hierarquia bastante singular. Se mantiver em pouca quantidade poderão apresentar agressividade maior do que o normal podendo até mesmo haver mortes devido a disputas. Quando mantido em grande grupo, as interações sociais são bastante fascinantes. Pode ser criado com outros ciclídeos desde que possuam a mesma dieta alimentar e exigem parâmetros de água semelhantes.

Reprodução & Dimorfismo Sexual

Ovíparo, são incubadores bucais e a fêmea cuida da progênie carregando os ovos na boa até sua eclosão ou até que possam viver em sua colônia sem perigo (normalmente em torno de 21 dias). Machos possuem nariz empinado enquanto as fêmeas tem uma inclinação maior e um nariz mais arredondado.

Alimentação

Herbívoro, se alimenta basicamente de algas em seu ambiente natural, secundariamente pequenos crustáceos. Em cativeiro aceitará prontamente rações especificas para ciclídeos africanos, devendo ser fornecido também Spirulina e alimentos de base vegetal como verduras frescas como alface e espinafre. Espécie bastante suscetível ao bloat, caso não seja fornecido regularmente alimentos de origem vegetal.

Tropheus-duboisi2
Espécime jovem

Referências

  1. Romero, P., 2002. An etymological dictionary of taxonomy. Madrid, unpublished.
  2. Riehl, R. and H.A. Baensch, 1991. Aquarien Atlas. Band. 1. Melle: Mergus, Verlag für Natur-und Heimtierkunde, Germany. 992 p.
  3. Maréchal, C. and M. Poll, 1991. Tropheus. p. 521-525. In J. Daget, J.-P. Gosse, G.G. Teugels and D.F.E. Thys van den Audenaerde (eds.) Check-list of the freshwater fishes of Africa (CLOFFA). ISNB, Brussels; MRAC, Tervuren; and ORSTOM, Paris. Vol. 4.
  4. Konings, A., 2013. Tropheus in their natural habitat. Cichlid Press, El Paso, U.S.A. 160 p.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Outubro/2015

Colaboradores (collaboration): –

 

Sobre Edson Rechi 769 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*