Glaucus atlanticus, o Dragão Azul do mar

 

Nudibrânquio que vive em águas temperadas e tropicais de todos os oceanos. Embora cosmopolita, é encontrado com mais frequencia no Havaí, na costa leste e sul da África do Sul, em águas europeias, na costa leste da Austrália e nas costas de Moçambique. Em fase adulta chegam entre 3 e 4 cm.

São holoplanctônicas, ou seja, gastam suas vidas inteiras à deriva pela superfície. Elas flutuam de cabeça para baixo nos oceanos, graças a uma bolsa de ar que possuem em seu estômago, e com ajuda da corrente marinha. Além da bolsa de ar, elas são capazes de se mover para pegar presas, utilizando os apêndices para fazer movimentos lentos de natação.

Por conta de seu meio de locomoção, ela é raramente vista, a não ser durante os períodos de ventos fortes marítimos que as levam (e suas presas) até águas costeiras. Nesses períodos, elas podem ser encontradas em números, flutuando na superfície até mesmo das praias.

A lesma do mar possui veneno, na verdade armazenado a partir dos nematocistos de suas presas nas pontas de seus apêndices para proteção contra predadores. Cuidado, pois sua picada pode ser sentida pelos humanos.

A coloração escura ventral (virada para cima) as ajuda a se esconder (disfarçar) de aves, enquanto a coloração clara dorsal (virada para baixo) pode as ajudar a se esconder de peixes. No entanto, alguns peixes pelágicos se alimentam delas.

Sobre Edson Rechi 827 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*