Tratamento de doenças: Pop Eye

Autor: Renato Moterani (Peixe Grande Aquarismo)

popeye

Essa doença é muito comum em ciclídeos mas todos os peixes susceptíveis à ela, é causada por uma associação entre bactérias e protozoários, especialmente nossa velha conhecida Hexamita, causadora também do duck lips e da doença do buraco na cabeça.

Ela tem esse nome porque seu principal sintoma é o inchaço de um ou de ambos os olhos do peixe, que saltam de suas órbitas.

É uma doença muito grave, na maioria dos casos o peixe perde a
visão do olho atingido, pela proximidade do cérebro, essa doença costuma evoluir rapidamente e pode matar o peixe em pouco tempo.

Nem sempre o peixe afetado reage ao tratamento, com isso essa doença tem uma das mais altas taxas de mortalidade entre os peixes. Felizmente ela é pouco contagiosa, atacando mais peixes debilitados.

O tratamento deve ser feito em aquário hospital, pois os medicamentos usados matariam também as bactérias que temos no filtro.

Para quem não sabe como montar um aquário hospital, ele deve ter capacidade entre 60 e 100 litros (pode ser maior de acordo com o tamanho do peixe), sem substrato e apenas com um filtro interno contendo perlon, uma bomba para tocar esse filtro e se possível uma cortina de bolhas (um índice mais alto de oxigênio sempre ajuda na cura de doenças), temperatura em torno de 28 graus.

Para tratar devem ser usados dois medicamentos, um para bactérias, no caso pode ser usado o Alcon Bacter (seguir a bula) ou tetraciclina (400mg para cada 50 litros de água repetindo diariamente por uma semana), e outro para combater protozoários, no caso Flagyl (metronidazol), também 400mg para cada 50 litros, nesse caso a cada 48 horas, por dez dias. Fazer TPA de 20% a cada 48 horas, sempre antes de colocar as novas doses dos medicamentos.

Se o peixe aparentar melhora antes do término do tratamento, não interrompa, continue pelo tempo que foi estipulado acima para evitar a volta da doença, se os sintomas não regredirem, prolongue o tratamento pelo tempo que for necessário.

 

Sobre Renato Moterani 16 Artigos
Natural de São Paulo-SP, é aquarista desde 1986, na época foi a uma avicultura (não existia o termo Pet Shop..rs) e comprou um peixe chamado Oscar, colocou esse peixe junto dos neons e espada de seu irmão mais velho, duas semanas depois ganhou esse aquário do irmão, após todos os peixes serem devorados. É técnico contábil, Servidor Público estadual, trabalhando atualmente no Instituto Butantan, com produção e pesquisa sobre venenos de serpentes. Sempre mantendo peixes jumbo, se especializou na área e desde 2014 mantém o grupo Peixe Grande Aquarismo e a página de mesmo nome. Atualmente possui 4 aquários montados, o maior com 2.200 litros e o menor com 100.

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*