Dentudo (Oligosarcus hepsetus)

 

Oligosarcus-hepsetus-dentudo

Oligosarcus hepsetus (Cuvier, 1829)

Nome Popular: Tambicu, Dentudo — Inglês: desconhecido

Família: Characidae (Caracídeos)

Distribuição: América do Sul; sudeste do Brasil e bacia do Prata

Tamanho Adulto: 24 cm

Expectativa de Vida: desconhecido

Temperamento: Agressivo, predador

Aquário Mínimo: 150 cm X 50 cm X 50 cm (375 L)

Temperatura: 20°C a 28°C

pH: 6.0 a 7.4 – Dureza: desconhecido

Oligosarcus-hepsetus-dentudo2

Visão Geral

Sua distribuição ocorre em parte da região sudeste do Brasil, principalmente em São Paulo e parte do Rio de Janeiro, assim como em toda bacia do Prata. Ocorre em rios e arroios e tem preferência por águas profundas, frias e limpas.

Conhecido por inúmeros nomes comuns como Branca, Tambicu, Tambica, Tabijucu, Dentudo, Dente-de-cão, Saicanga e Douradilho.

Estes peixes apresentam uma voracidade aliada a uma grande força e velocidade de ataque. Possui dentes proeminentes e grande abertura bucal. Sua coloração é prateada com tons dourados ou avermelhados em sua nadadeira caudal.

Aquário & Comportamento

O aquário deverá possuir preferencialmente fluxo lótico moderado com substrato de cascalho, além de raízes e rochas de médio porte, mas sempre deixando espaço aberto para nadarem. Como qualquer peixe que ocorre em ambiente lótico, costuma ser bastante intolerante com a presença de amônia na água exigindo um sistema de filtragem eficiente. Exige água com elevada porcentagem de oxigênio dissolvido. Tampe bem o aquário evitando deixar frestas, são peixes que se assustam facilmente podendo pular do aquário.

Apesar de sua aparência agressiva, é uma espécie relativamente pacífica e que pode ser facilmente dominado por peixes de mesmo porte. Reserva-se a comer peixes que cabem em sua boca. Ideal manter com peixes de mesmo porte e de comportamento igualmente pacífico. Embora possa ser intolerante com indivíduos de formato similar, é possível manter um pequeno grupo com quatro ou mais espécies desde que o aquário possua dimensões adequadas.

Reprodução & Dimorfismo Sexual

Sua reprodução em aquário, assim como seu dimorfismo sexual são desconhecidos.

Alimentação

É um peixe piscívoro, emboscando suas presas atrás de galhadas, árvores e pedras nas margens. Em aquário poderá não aceitar alimentos secos, exigindo o fornecimento de alimentos vivos como peixes, minhocas, insetos, entre outros. Uma vez habituado ao aquário poderá aceitar filés de peixes e camarões.

EtimologiaOligosarcus – vem da palavra grega oligos = pequeno + palavra grega Arkos = ânus

Referências

  1. Géry, J., 1977. Characoids of the world. Neptune City ; Reigate : T.F.H. [etc.]; 672 p. : ill. (chiefly col.)
  2. Menezes, N.A., 1969. Systematics and evolution of the tribe Acestrorhynchini (Pisces, Characidae). Arq. Zool. (Sao Paulo) 18 (1-2):1-150.
  3. Cordiviola de Yuan, E. and C. Pignalberi de Hassan, 1985. Fish population in the Paraná River: lentic environments of Diamante and San Pedro areas (Argentine Republic). Hydrobiologia 127:213-218.
  4. Molecular cytogenetics of Oligosarcus hepsetus (Teleostei, Characiformes) from two Brazilian locations – Karine F. Kavalco, Rubens Pazza, Luiz A. C. Bertollo, Orlando Moreira-Filho
  5. Alimentação de Oligosarcus hepsetus (Cuvier, 1829) (Characiformes) no Parque Estadual da Serra do Mar – Núcleo Santa Virgínia, São Paulo, Brasil – MLLA Botelho ; LM Gomiero ; FMS Braga

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Agosto/2016

Sobre Edson Rechi 757 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*