Peixe Paulistinha (Danio rerio)

Danio-rerio

Nome Popular: Paulistinha — Inglês: Leopard danio, Zebra danio, Zebra fish

Ordem: Cypriniformes — Família: Cyprinidae (Ciprinídeos)

Distribuição: Ásia: Paquistão, Índia, Bangladesh, Nepal e Mianmar.  Aparência em águas colombianas presumivelmente por fuga de uma instalação de criação de peixes de aquário

Tamanho Adulto: 4 cm (comum: 3 cm)

Expectativa de Vida: 3 a 5 anos

pH: 6.0 a 8.0 (embora tolere um grande range de pH, ideal manter entre 6.4 a 7.4)

Dureza: 5 a 19

Temperatura: 18°C a 28°C

Aquário Mínimo: 80 cm X 30 cm X 40 cm (96L)

Comportamento & CompatibilidadeEspécie de comportamento pacífico e comunitário, mas muito agitado. Peixes lentos ou de nadadeiras longas devem ser evitados em aquários com paulistinhas, pois poderão ser mordiscados. Deve-se manter em cardume de pelo menos seis indivíduos ou mais.

Embora atinja pequeno tamanho, é uma espécie bastante ativa que nada freneticamente a todo o momento. Desta forma exige um bom espaço para nadar, devendo ser mantido em aquário com pelo menos 80 cm de comprimento.

Alimentação: Onívoro, em seu ambiente natural alimentam-se de pequenos crustáceos, larvas de insetos e pequenos vermes. Em cativeiro aceitam prontamente alimentos secos.

Reprodução: Ovíparo, fêmeas dispersam livremente ovos em local pré-determinado pelo macho, onde será fecundado em sequência. Pais não cuidam da progênie e ovos eclodem em até 2 dias.

Dimorfismo Sexual: Fêmeas maduras apresentam corpo em forma roliça e são levemente maiores e menos coloridas do que os machos. Machos apresentam corpo mais retilíneo e são mais coloridos principalmente em fase de reprodução.

Biótopo: São encontrados em pequenos riachos de fluxo lento ou inexistente com densa vegetação marginal, água normalmente cristalina e raramente turva. Também abundante em piscinas marginais e sazonalmente inundadas, além de arrozais e pequenos córregos e canais.

Informações adicionais:

Espécie de baixo custo e popular no aquarismo. Bastante rustico e tolerante com diversos parâmetros de água, sendo indicado para aquaristas iniciantes. São bastantes ativos se locomovendo rapidamente por todo o aquário.

O paulistinha tem esse nome devido a suas listras, que segundo os aquaristas, lembram muito a bandeira de São Paulo, porém vale a pena lembrar que o peixe tem sua origem na Índia. É um importante organismo modelo, frequentemente utilizado em pesquisas genéticas e análises voltadas para a biologia do desenvolvimento. Sua notável capacidade de regeneração tem sido importante para a criação de linhagens transgênicas.

Embora atinja um pequeno tamanho, é uma espécie bastante ativa e que precisa de bastante espaço para nadar, sendo indicado um aquário de pelo menos 80 cm de comprimento com plantas altas para se sentirem a vontade.

Macho e fêmea respectivamente
Macho e fêmea respectivamente

Referências:

  1. Robins, C.R., R.M. Bailey, C.E. Bond, J.R. Brooker, E.A. Lachner, R.N. Lea and W.B. Scott, 1991. World fishes important to North Americans. Exclusive of species from the continental waters of the United States and Canada. Am. Fish. Soc. Spec. Publ. (21):243 p.
  2. Talwar, P.K. and A.G. Jhingran, 1991. Inland fishes of India and adjacent countries. vol 1. A.A. Balkema, Rotterdam. 541 p.
  3. Menon, A.G.K., 1999. Check list – fresh water fishes of India. Rec. Zool. Surv. India, Misc. Publ., Occas. Pap. No. 175, 366 p.
  4. Rahman, A.K.A., 1989. Freshwater fishes of Bangladesh. Zoological Society of Bangladesh. Department of Zoology, University of Dhaka. 364 p.
  5. Valdesalici, S. and A. Cellerino, 2003. Extremely short lifespan in the annual fish Nothobranchius furzeri. Proc. R. Soc. Lond., Ser. B: Biol. Sci. (Suppl.).

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Setembro/2015
Colaboradores (collaboration): –

 

Sobre Edson Rechi 734 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

7 Comentário

  1. Eu Desisti de ter aquário da muito trabalho gasto e os peixes sobrevive e é injusto colocar os peixes dentro de espaço tão pequeno é maldade,ai eu mesma fiz um pequeno Laguinho no quintal com plantas igarape fica flutuando, pedras grandes e pequenas em formato de tocas e areia no fundo depois de pronto colocar água e esperar até aparecer larvas de mosquito aí tá hora certa de colocar os peixes e funcionou perfeitamente não uso bomba nem filtro só limpo o fundo com cuidado e o Cascudo peixe ajuda com a limpeza troco um pouco da água umas vezes quando tá calor água tratada tem que deixar a água de um dia para outro no balde para depois colocar no lago .não uso comida seca só sirvo minhoca picada e bem lavada para os peixes acho que estão felizes tem plantas pedras uma toca e pega sol um pouco de manhã quando chove eles ficam felizes e deve ser por isso que já nasceram filhotes de peixinhos e bem interessante de observar e gratificante acho que aquário e meio triste mais um Laguinho da liberdade para os peixes e vivem melhor todo mundo feliz. E isso é mais natureza.a a água tá bem clarinha e um deve ser o Cascudo e as plantas .

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*