Golfinho Azul (Cyrtocara moorii)

 

Cyrtocara moorii (Boulenger, 1902)

Foto obtida em www.1fish2fishdartmouth.com

Nome Popular: Golfinho Azul — Inglês: Hump-head, Blue Dolphin

Ordem: Perciformes — Família: Cichlidae (Ciclídeos)

Distribuição: África, endêmico do lago Malawi

Tamanho Adulto: 20 cm

Expectativa de Vida: 8 anos +

pH: 7.8 a 8.6 — Dureza: –

Temperatura: 24°C a 28°C

Foto: cichlids.com (c)

Aquário Mínimo: 100 cm comprimento X 40 cm largura — Para manter um harém com um macho e diversas fêmeas considere aquário com pelo menos 100 cm de comprimento, para aquário comunitário mínimo de 150 cm. O aquário para a espécie deverá conter inúmeras rochas formando um paredão rochoso para se refugiarem e demarcarem território. Deixe algum espaço livre para nadarem. Não devem ser mantidos sob forte iluminação.

Comportamento & Compatibilidade: Apresenta agressividade mediana, principalmente com peixes de mesma cor, mas quando necessário faz valer sua dominância se revelando um peixe bastante agressivo e enérgico.

Alimentação: Em seu ambiente natural se alimenta principalmente de invertebrados. Em aquário poderá fornecer alimentos secos granulados ou congelados como artêmia, camarão e moluscos.

Reprodução: Ovíparo. O acasalamento ocorre num local escolhido previamente pelo casal e o macho atrai a fêmea num ritual de movimentos. A fêmea depositará os ovos no solo e o macho fertilizará em seguida. Incubadores bucais, a fêmea guardará os ovos na boca. Cerca de 10 dias os ovos eclodem e a fêmea irá protegê-los na sua boca por cerca de duas semanas a três semanas. No final do período de incubação os alevinos são libertados, completamente formados e auto-suficientes para procurarem a sua própria alimentação. Demoram a atingir a maturidade sexual, ocorrendo por volta dos 2 a 3 anos de idade. Possui crescimento bastante lento.

Dimorfismo Sexual: Ambos sexos apresentam a mesma coloração, porém as nadadeiras dorsal e anal maiores e a cor quase negra da nadadeira anal são características dos machos, assim quando atingem a maturidade, desenvolvem uma protuberância na cabeça.

Biótopo: Ocorre entre rochas e fundos arenosos em águas rasas, entre três e quinze metros de profundidade. Comumente são observados em conjunto com Protomelas annectens, seguindo grandes cardumes de peixes sabulícolas como Fossorochromis rostratus e Taeniolethrinops praeorbitalis, se aproveitando da capacidadade de remexer a areia deste últimos para se alimentar.

Etimologia: Cyrtocara do grego, kyrtos = dobrado + grego, kara = rosto.

Sinônimos: Haplochromis moori, Cyrtocara moori, Cyrtocara moorei, Haplochromis moorii

Informações adicionais: Pertence a um grupo conhecido comumente como ciclídeos pavões (Peacock cichlid) ou Haps. Como todo ciclídeo pavão, possui coloração extraordinária que só é demonstrada após cerca de um a dois anos de vida.

Ocorre por todo lago Malawi e também no Lago Malombe.

Referências:

  • Maréchal, C., 1991. Aulonocara. p. 11-17. In J. Daget, J.-P. Gosse, G.G. Teugels and D.F.E. Thys van den Audenaerde (eds.) Check-list of the freshwater fishes of Africa (CLOFFA). ISNB, Brussels; MRAC, Tervuren; and ORSTOM, Paris. Vol. 4.
  • Romero, P., 2002. An etymological dictionary of taxonomy. Madrid, unpublished.
  • Informações obtidas parcialmente em ciclideos.com

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Outubro/2020
Colaboradores (collaboration): —

Sobre Edson Rechi 847 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*