Tetra Lotombe (Bryconaethiops boulengeri)

Bryconaethiops boulengeri (Pellegrin, 1900)

Ficha Técnica

Ordem: Characiformes — Família: Alestidae (Alestídeo)

Nomes Comuns: Lotombe (nome local) — Inglês: Boulenger’s Featherfin Tetra

Distribuição: África, bacia do rio Congo

Tamanho Adulto: 25 cm (comum 14 cm)

Expectativa de Vida: desconhecido

Comportamento: pacífico, gregário

pH: 6.0 a 8.0 — Dureza: 3 a 20

Temperatura: 22°C a 27°C

Distribuição e habitat

Nativo da bacia do rio Congo na Tanzânia e República Democrática do Congo. Também se encontra no lago Tanganyika.

Descrição

Peixe de corpo alongado com nadadeira caudal bifurcada. Coloração prata com linhas negras em seus flancos. Nadadeiras translúcidas

Embora localmente seja amplamente criado comercialmente para fins alimentares, é bem raro no aquarismo.

Macho em época de reprodução

Criação em Aquário

Aquário com dimensões mínimas de 100 cm de comprimento e 40 cm de largura desejável.

Fluxo de água deverá ser preferencialmente forte com excelente oxigenação. A decoração é indiferente, porém o uso de substrato arenoso e inúmeras rochas médias espalhadas pelo aquário simulará seu biótopo. Deixe áreas abertas para nadarem livremente.

Comportamento

Apresenta comportamento pacífico e pode ser mantido em aquário comunitário, desde que os demais peixes não sejam pequenos o suficiente para serem comidos. Podem ser mantidos com peixes de maior porte e semi agressivos, uma vez que são bem rápidos e ativos.

Tente adquirir pelo menos 8-10 espécimes, uma vez que esta espécie é gregária e apresentará comportamento mais natural quando mantido em grupos maiores.

Reprodução

Ovíparo. Sua reprodução é similar aos demais Tetras. Dispersam ovos livremente entre as plantas. A eclosão ocorre de 24 a 36 horas e após uma semana alevinos estarão nadando livremente. Não ocorre cuidado parental.

Dimorfismo Sexual

Machos são mais coloridos e as nadadeiras anal e peitoral apresentam coloração levemente rosa.

Alimentação

Onívoro. Peixes selvagens provavelmente são forrageiros, se alimentando de pequenos insetos, crustáceos, frutas caídas, etc.

Em aquário aceitará prontamente alimentos secos e vivos. Camarões e minhocas vivas são particularmente apreciados.

Etimologia: Bryconaethiops;, bryko (grego) = morder + Aethiops, região do Nordeste da África.

SinônimosBryconaethiops microstoma boulengeri

Referências

  1. Bell-Cross, G., 1965. Additions and amendments to the check list of the fishes of Zambia. Puku Occ. Pap. Dept. Game Fish. Zambia
  2. Ibala Zamba, A., G. De Boeck, V. Mamonekene and E. Vreven, 2007. Rehabilitation of Bryconaethiops yseuxi Boulenger, 1899 (Characiformes: Alestidae) from the Congo River basin, Africa. J. Nat. Hist.
  3. Paugy, D., 1984. Characidae. p. 140-183. In J. Daget, J.-P. Gosse and D.F.E. Thys van den Audenaerde (eds.) Check-list of the freshwater fishes of Africa (CLOFFA). ORSTOM, Paris and MRAC, Tervuren. Vol. 1

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Fevereiro/2018
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 615 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*